sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Mais Sobre o Corp Circle Riolândia Brasil

Globo


Pesquisadores querem que os radares da aeronáutica passem a monitorar a região de Rioândia
E este não seria o único relato sobre fenômenos não identificados na região noroeste paulista
O fenômeno registrado no início da semana em Riolândia tem ganhado repercussão. Moradores e especialista em ufologia visitam o local para ver de perto o desenho que se formou no canavial.
Pesquisadores do Instituto de Astronomia e Pesquisa Espacial estão preparando um relatório para aeronáutica, onde pedem que a região passe a ser monitorada.
Usando um GPS, aparelho de monitoramento por satélite, o especialista do INAP, identificou as coordenadas geográficas do local.
As informações são parte do trabalho de investigação sobre o estranho desenho que se formou no canavial. Jorge Néri também fotografou e fez imagens da área.
O ufólogo deve concluir um relatório sobre o episódio. O documento vai ser encaminhado à aeronáutica, para um setor especializado na investigação desse tipo de fenômeno.
O depoimento de Maurício Pereira da Silva, morador que teria visto o objeto não identificado, vai ser a principal informação no relatório preparado pelo especialista.
Os pesquisadores Paulo César Rapassi e Maria José Antunes Francisco, contam que já analisaram outras ocorrências perto de Votuporanga.


Veja o vidio em http://tvtem.globo.com/

Cidade de Riolândia quer lucrar com fama de 'terra dos ETs'

Diário de S. Paulo

Cidade de Riolândia quer lucrar com fama de 'terra dos ETs'

SÃO PAULO - Os estranhos círculos que apareceram num canavial em Riolândia, a 565 quilômetros de São Paulo, transformaram a pousada de pescadores onde o fenômeno ocorreu num ponto turístico. Até uma excursão está sendo organizada para levar os curiosos para o novo point da cidade. Na prefeitura, segundo a funcionária pública Ana Maria Leal Pereira, um cartaz-convite foi afixado com o desenho de um ET tendo ao fundo a foto do canavial marcado, como no filme "Sinais". Nele está escrito: visita à Pousada do ET, R$ 10 por pessoa inclui passagem e comes e bebes no local.

Ana Maria não se conteve e foi ver o desenho no canavial antes da excursão. Ela diz que já fez sua adesão para voltar com a caravana que visitará a pousada à noite.

- Acho que vai ser a maior farra. Vamos ficar até de madrugada, vai ter até churrasco e cachorro-quente. Em toda a rodinha o assunto é o ET.

O filho de Ana Maria, Aldo Rosa Pereira, acredita que os ETs estão procurando estabelecer contato e até teoriza sobre o formato da marca deixada no canavial. "A nave não pousou, ela só parou no ar, bem perto da cana. Os círculos menores foram formados por sondas ou patas da nave que tocaram o solo", diz.

As piadas sobre o acontecimento também são um prato cheio nas ruas. Dizem que a nave parou sobre a cana porque acabou o combustível e foi preciso reabastecer. A outra versão é que vieram buscar amostras para roubar a fórmula do etanol. Já nos botecos, a opinião é de que os visitantes queriam mesmo é uma boa caninha. Nem o presídio de Riolândia foi perdoado. Moradores afirmam que as quadrilhas estão ficando tão especializadas que já contratam até disco-voador para resgatar preso através de abdução.

O arrendador da pousada e única testemunha visual da visita da nave que originou o círculo de quase 60 metros de diâmetro em seu quintal, Maurício Pereira da Silva, diz que está levando até fama de louco.

- Não queria nem que isso tivesse vazado. Quem contou para a televisão foi um hóspede que estava aqui. Tenho medo até de perder as reservas que tenho para o Carnaval - afirma. Dezenas de pessoas passam todos os dias pela pousada desde a última quarta-feira e a procura, segundo ele, está aumentando ainda mais.

Além do misterioso círculo do canavial, Riolândia tem também outro acontecimento incomum: um político que não mente. O prefeito da cidade, Maurílio Viana (PSB), admite não ter idéia do que causou o fato.

- Com esse valor do álcool, os ETs devem estar atrás de uma muda de cana - ironiza.

A resposta, então, está com o presidente do Instituto Nacional de Investigação de Fenômenos Aeroespaciais, Claudeir Covo, de 57 anos, e estudioso de objetos voadores não-identificados há 48 anos:

- Até agora, não se tem certeza do que realmente aconteceu - diz o ufólogo.

Covo ainda não foi à cidade, mas acompanha as investigações sobre o caso por meio de amigos. O ufólogo sugeriu a um deles a realização de um teste com a terra dentro e fora do círculo do canavial.

- Quando há um pouso de disco voador, ocorre uma alteração química no solo. A gente pega a terra, põe em dois potinhos e planta alpiste neles pra ver se os brotos crescem de forma idêntica - explica ele.

Na maioria dos casos em que foi comprovado que houve pousos de óvnis, segundo Covo, o alpiste se desenvolveu mais devagar na amostra de terra que estava dentro da marca.

Extra.globo.com



2 comentários:

  1. Isso é picaretagem e acho que deveríamos criar uma ciência nova, chamada: "Negaciologia", aonde os "nagacionólogos" estudam os fenômenos dos "ufólogos" (seus inimigos naturais) e publicam na internet e na imprensa, desmentindo-os.

    ResponderEliminar