sábado, 11 de janeiro de 2020

Relatórios da CIA sobre OVNIs revelam detalhes num campo de mísseis do Cazaquistão

Um relatório de inteligência recentemente desclassificado pela CIA lança nova luz sobre um mistério OVNI caso com quase 50 anos, revelando detalhes num campo experimental de mísseis no atual Cazaquistão.

O relatório não inclui apenas fenômenos aéreos não identificados (UAP), mas também há rumores sobre "armas a laser" da Guerra Fria.

O avistamento de OVNIs ocorreu em 1973 e foi revelado pela primeira vez ao público num "Relatório de Informações de Inteligência" publicado pela CIA em 1978. Fortemente redigida, a versão desclassificada do documento contém apenas um parágrafo, detalhando num estranho encontro com um OVNI num lugar chamado "Site 7".

O encontro com o OVNI ocorreu durante o verão, quando a fonte do avistamento "saiu para respirar", dando um tempo para assistir a uma partida desportiva Canadá e URSS na televisão. Era noite, e a fonte viu nele "um objeto circular não identificado de verde intenso (brilhante) ou uma massa no céu".


O observador acredita que o objeto estava flutuando acima do nível das nuvens, embora o céu estivesse limpo no momento da observação. A fonte não pôde, no entanto, estimar o diâmetro do objeto.

A visão tornou-se mais estranha a partir daí: “Dentro de 10 ou 15 segundos da observação, o círculo verde se alargou num curto período de tempo vários círculos verdes concêntricos se formaram ao redor da massa. Em alguns minutos a coloração desapareceu. Não havia som, como uma explosão, associado ao fenômeno ”, afirma o documento.

Mas, após um pedido de revisão obrigatória da desclassificação pelo investigador John Greenewald, do The Black Vault - um site especializado em registos desclassificados do governo - a CIA publicou uma imagem mais completa do avistamento, que foi registado no contexto de um relatório detalhado de inteligência sobre atividades militares no campo de teste de armas de Sary Shagan da União Soviética.

Greenewald traçou uma linha direta entre os avistamentos da era da Guerra Fria e encontros semelhantes de UAP documentadas pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, sendo o mais famoso os objetos não identificados que aparecem em três vídeos publicados pela Marinha dos Estados Unidos pela Academia de Artes e Ciências To The Stars em 2017 e no início de 2018.

Posteriormente, um oficial militar revelou ao The Washington Post que os UAPs interferem no espaço aéreo militar várias vezes por mês.

"Isso é muito semelhante ao contexto que vemos hoje, com ameaças a instalações militares", disse Greenewald à Newsweek em entrevista por telefone. “A Marinha dos Estados Unidos declarou publicamente que isso é uma preocupação. Eles estão sendo invadidos por esse fenômeno não identificado”.

O arquivo desclassificado mais completo publicado pela CIA detalha as atividades no campo de teste, incluindo mapas aproximados das instalações, a hierarquia de comando e estimativas de pessoal, o que o torna uma inteligência fascinante da era da Guerra Fria, mesmo sem o dramático encontro com o OVNI. As armas testadas nas instalações incluíram mísseis e ogivas experimentais com cartuchos carregados com centenas de bolas de metal.

É possível que mais armas experimentais também tenham sido desenvolvidas no campo de testes. “Segundo os rumores, os experimentos com armas a laser foram realizados num local desconhecido no campo de tiro. Os testes supostamente envolviam antenas poderosas ”, observa o relatório.

O local 7, onde ocorreram os avistamentos de OVNIs, foi a sede da "unidade de verificação ogiva" e uma guarnição de pessoal da Força Aérea Soviética.

Embora menos conhecido nos círculos de pesquisa dos EUA, o avistamento é apenas um dos inúmeros encontros com fenômenos aéreos não identificados que cercaram as instalações militares soviéticas durante a era da Guerra Fria, semelhantes às invasões inexplicáveis ​​ainda registradas pelas forças armadas. Americanos

A Newsweek também se dirigiu à Agência Central de Inteligência com uma solicitação de contexto adicional em torno do documento, mas não tinha notícias a tempo da publicação.

Artigo original de https://israelnoticias.com/tecnologia/informes-cia-ovnis-misiles/

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

FBI e autoridades investigam invasão de OVNIs ou Drones em vários estados dos EUA

Avistamentos misteriosos em três estados dos EUA levam à investigação do FBI As agências federais e as autoridades policiais do Colorado, Kansas e Nebraska se uniram para investigar avistamentos misteriosos de drones nos Estados Unidos, que alguns afirmam ser enxames de OVNIs (objetos voadores não identificados).

Avistamentos misteriosos

Desde meados de dezembro, os departamentos do xerife na área fronteiriça dos três estados receberam pelo menos 30 relatórios de avistamentos noturnos de drones ou objetos semelhantes a drones voando no céu em formação, às vezes em grupos de mais de uma dúzia, relatado pela CNET.
O FBI, a Federal Aviation Administration (FAA) e a Força Aérea dos EUA também foram chamados para investigar os avistamentos.


"Várias divisões da FAA estão trabalhando em estreita colaboração com as partes interessadas federais, estaduais e locais para tentar determinar se os avistamentos relatados no Colorado e no Nebraska são drones e, se sim, quem os está operando e por que motivo", disse a FAA em comunicado. Segunda-feira.

Quem está por trás desses enxames?

No entanto, a partir de agora, ninguém parece saber quem está operando essas máquinas.
A FAA também acrescentou que alcançou locais de teste de sistemas de aeronaves não tripuladas (UAS), empresas de drones e empresas autorizadas a operar drones na área, mas não encontrou ninguém responsável pelos surgimento desses objetos.


De acordo com a Gazeta de Colorado Springs, a Força Aérea pode estar por trás desses objetos voadores, como parte de um programa secreto de contra-drones projetado em parte para manter as câmeras aéreas longe dos diversos silos de mísseis na região onde os avistamentos foram relatados .
No entanto, o Gabinete do Xerife do Condado de Morgan organizou uma reunião com vários parceiros policiais e disse que a Força Aérea havia negado qualquer tipo de envolvimento.

Drones ou OVNIs?


O fato de ninguém estar assumindo a responsabilidade pelas observações levou alguns a acreditar que essas máquinas voadoras são OVNIs sendo controladas por extraterrestres.
Muitos cidadãos preocupados foram às mídias sociais para compartilhar imagens e vídeos dos misteriosos aparelhos voadores ainda por identificar.

www.ibtimes.sg

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

OVNI triangular gigantesco visto acima do Texas dias após avistamento em Nova York

O enorme objeto se moveu lentamente pelo céu noturno no dia de Ano Novo e tem uma semelhança surpreendente com o chamado OVNI visto acima do estado norte-americano de Nova York apenas alguns dias antes. 

Um enorme OVNI em forma de triângulo foi filmado pairando sobre o Texas apenas alguns dias depois que um similar gravado em Nova York.

O vídeo bizarro, gravado em Houston no dia de ano novo, mostra três luzes brilhantes movendo-se lentamente pelo céu noturno.


As luzes parecem permanecer numa formação triangular perfeita - provocando reivindicações de alguns crentes de que eles realmente formaram uma arte singular.
O vídeo foi compartilhado inicialmente por Stephaine Westerfield no YouTube a 3 de janeiro, onde disse: "Não tenho certeza do que são essas luzes".

Desde então, foi captado por vários canais de conspiração, provocando um frenesi entre os espectadores.

Uma das pessoa que viu o vídeo comentou: "É um grande objeto em forma de triângulo, como muitos que estão sendo vistos por todo o mundo".

www.dailystar.co.uk

Portugal não foi exceção no que toca a observações na noite de ano novo.
Na Quinta do Lago no Algarve algo era registado por uma turista britânica nessa mesma noite.


Será caso para dizer... Fique atento ao céu noturno e com o smartphone sempre por perto.

Novos sinais vindos do espaço

Os cientistas estão talvez mais animados com a natureza da galáxia que os está enviando. Parece ser semelhante ao nosso, dizem eles. "A identificação da galáxia hospedeira para os FRBs é fundamental para nos informar sobre que tipo de ambientes os FRBs vivem e, portanto, o que realmente pode estar produzindo FRBs", disse Sarah Burke-Spolaor, professora assistente de física e astronomia e coautora de um novo artigo. papel na natureza.

"Esta é uma pergunta para a qual os cientistas ainda estão tentando entender os canudos".


Essa descoberta acrescenta mais mistério à questão de onde os FRBs vêm.
A primeira das explosões veio de uma minúscula galáxia composta de metais e estrelas recém-formadas, o que levou os cientistas a sugerir que eles poderiam ser o resultado do tipo de estrelas encontrado lá - mas isso não se aplicaria à galáxia recém-descoberta. Isso significa que os astrônomos terão que considerar outras explicações sobre como os FRBs são gerados e podem sugerir que há várias origens.

A fonte recém-descoberta, denominada FRB 180916, fica a apenas meio bilhão de anos-luz da Terra e muito mais próxima do que outras explosões encontradas no passado.
É sete vezes mais perto do que a única outra explosão repetida que foi rastreada. Isso poderia permitir um estudo mais aprofundado da explosão que poderia dar mais pistas sobre a origem das explosões, disseram os cientistas.

Fonte The Independente

terça-feira, 7 de janeiro de 2020

Astronauta britânica defende que extraterrestres existem e que podem estar na Terra

Por SIC Notícias

Helen Sharman foi a primeira astronauta britânica a ir ao Espaço.

A primeira astronauta britânica defende que os extraterrestres existem e que é possível que estejam a viver na Terra, entre os humanos, sem que sejam detetados.

"Existem milhões e milhões de estrelas lá fora no universo e devem existir todo o tipo de diferentes formas de vida. Serão como eu ou tu, feitos de carbono e nitrogénio? Talvez não."

As declarações são de Helen Sharman, a astronauta que visitou a estação espacial da União Soviética, Mir, em 1991.

Citada pela CNN, a astronauta defende mesmo que "é possível que eles estejam aqui, neste momento, e nós simplesmente não os conseguimos ver".


Helen Sharman passou oito dias na estação espacial, quando tinha 27 anos, fazendo dela uma das mais jovens astronautas a entrar em órbita.

Se você observou algo de extraordinário reporte através do e-mail ufo_portugal@sapo.pt


UFO Portugal Network, desde 2007 a informar o público...

Vigilante resgista em vídeo Objecto Voador Não Identificado em Portimão Algarve

Correio dos leitores, relato reportado ao Ufo Portugal Network

Este é um exemplo dos inúmeros relatos que vão sendo reportados ao Ufo Portugal Network fora do tempo da sua observação.
Porém não deixam de ser extremamente importantes, visto poderem conter informações de grande importância, relevância para outras testemunhas que optam pelo silêncio devido ao receio do descretido ou não existência de outras testemunhas, após consulta dessa informação através da imprensa ou redes sociais no momento dessa mesma observação.
Esta é uma das formas a que o Ufo Portugal Network, tem vindo a incentivar as testemunhas a enviar os seus relatos, suas observações anómalas ou desconhecidas perante o seu conhecimento.

Observação realizada na madrugada 03 de Maio 2019

Horas:4:22h

Local:Prainha Alvor Portimão - Algarve

Testemunha: Anónimo

Vídeo


Relato
"Como sou sou segurança no aldeamento Prainha estava a fazer a ronda pelo aldeamento como a essas horas o aldeamento está calmo fui sentar num banco a ouvir música em frente ao mar no momento que estou a chegar estava no telemóvel olho para o horizonte no momento que olho pro horizonte começo a reparar num aparelho gigante mas como sou era um pouco cético a esse assunto ainda tentei observar se não era uma outra coisa mas foi aí que ao ver aquilo a vaguear por aquelas horas da madrugada no local que era comecei a  perceber o que era ,e comecei a observar os detalhes da nave ,nave arredondada era grande ela estava a vaguear por cima do mar com as luzes a sair por baixo da para perceber um pouco no vídeo ,luzes tipo como se fossem das janelas ou decoração eram pequenos quadradinhos com luzes roxas cor dela era branca acinzentado,no momento que vi que estava a vaguear com mais força pensei que tinha notado a minha presença e comecei a ir embora foi quando comecei a ir embora que tentei gravar um pouco esqueci me é de por zoom mas naquele momento faltam nos ideias".

Abaixo imagens da localização da passagem do Objecto Voador Não Identificado, registado pela testemunha.



Através da base de dados do UFO Portugal Network, temos um registo no dia seguinte deste incidente, de uma outra observação realizada em Gondomar.

Se observou o mesmo fenómeno, poderá entrar em contacto connosco através do e-mail: ufo_portugal@sapo.pt

O seu testemunho é de extrema importância de forma a podermos apurar a sua observação e de outras testemunhas.

domingo, 5 de janeiro de 2020

Orbe pulsante filmado voando erraticamente no céu da Carolina do Sul EUA. Será um OVNI?

Pai e filho foram jantar na Carolina do Sul e disseram ter visto algo inexplicável no céu no dia seguinte ao Natal: uma esfera brilhante que lembrava uma estrela, mas saltou e flutuou por quase 5 minutos.

Jay Wilson e o seu filho de 14 anos, Cameron, partilharam um vídeo do orbe no YouTube na semana passada, o que eles registaram em Laurens, uma cidade a cerca de 110 quilômetros a noroeste de Columbia.

O vídeo mostra a esfera parada, desaparecendo e movendo-se para trás de uma linha de árvores. Suas mudanças de direção são erráticas e parecem desafiar as capacidades de um helicóptero.


"Não, não volte aqui", ouve-se Jay Wilson dizendo no vídeo, à medida que o objeto se aproxima. "Isto é o mais louco que eu já vi."

Wilson contou à McClatchy esta semana que ele e o seu filho viram o objeto por volta das 18h.26m de dezembro, enquanto seguiam para o metrô.

“O que chamou a minha atenção foi a cor da luz. Nunca vi algo assim. É difícil de explicar. Apenas se destacou ”, disse Wilson num email.

“Primeiro pensei que era alguém atirando fogos de artifício, até passar da vertical para a horizontal instantaneamente. Foi quando peguei no meu telefone e parei na estrada para gravar. Eu sabia que isto era algo para ver.

Ele ainda não tem certeza do que foi e os comentaristas do YouTube não ofereceram idéias viáveis.

Possíveis explicações incluem alguém com um laser portátil ou um drone. Mas essas teorias desmoronam ao assistir as acrobacias, sem mencionar a luz que desaparece atrás das árvores. Um laser a refletir nas árvores.

"Nunca vi nada parecido na minha vida. Vê-lo com meus próprios olhos, em vez de vídeos do YouTube, é de tirar o fôlego ”, disse Wilson a McClatchy.

 “Apenas assista ao vídeo e veja como essa objeto se move. Uma coisa que notei foram alguns segundos antes de começar a se mover e que ficaria mais brilhante. Você também pode ver isso no vídeo. Era como se estivesse cobrando ou reunindo energia.

O vídeo é o mais recente de uma série de avistamentos de OVNIs relatados na Carolina do Sul nos últimos meses, incluindo alguns gravados na costa.

A Mutual UFO Network (MUFON), organização sem fins lucrativos, não divulgou um registro dos avistamentos de OVNIs em dezembro na Carolina do Sul, mas diz que houve três em novembro. A Carolina do Norte registrou 13 avistamentos durante o mês, informa a MUFON.

Enquanto isso, o total nacional para novembro foi de 407 relatórios, a maioria descrita como círculos ou esferas, diz a MUFON.

 "Eu meio que acredito em OVNIs", disse Wilson a McClatchy. "Eu já vi coisas assim antes, mas nunca estive em posição de gravar."

www.charlotteobserver.com

OVNIs na Bélgica? Um boom no número de relatórios em 2019

Relatos de objetos voadores não identificados tiveram um aumento considerável no ano passado na Bélgica, de acordo com o "UFO-meldpunt", que recebeu 266 relatos em 2019 enquanto os cobeps, de língua francesa, contavam 85 por sua parte. 

Duas ondas de relatórios teriam aumentado os números.
O primeiro ocorreu em maio, quando a SpaceX lançou os primeiros 60 mini-satélites de sua constelação "Starlink".
A segunda ocorreu a 14 de setembro, quando um balão meteorológico da Irlanda explodiu no céu de Ghent, causando 37 relatos ao UFO-meldpunt, um recorde em apenas um dia.

Os relatórios com detalhes suficientes são analisados. Em muitos casos, a equipe concluiu que o objeto observado era um balão (57 de 266 relatórios de OVNIs), um satélite (46) ou detritos espaciais ou uma estrela cadente (29).

www.lalibre.be

quarta-feira, 1 de janeiro de 2020

Santarém - Portugual: Luz no céu desperta atenção

Observação realizada na noite 23 Dezembro de 2019, pelas 21 e 22 hora noturna.

Segundo a testemunha Sra. Maria Lopes, se trata de uma luz vermelha, que terá tido uma movimentação estranha.
Foi essa movimentação anómala que lhe chamou atenção.

A não visibilidade da luz vermelha se deve ao reajuste e autofocus automático de luz, diafragma do equipamento.

Aqui deixamos os dois vídeos realizados pela testemunha gentilmente reportados ao UFO Portugal Network.



Se você viu o mesmo fenómeno na região e observou algo de extraordinário ou estranho, entre em contacto conosco através do e-mail ufo_portugal@sapo.pt 

Observação na noite de Réveillon na Quinta do Lago Algarve

Esta noite na Quinta do Lago Algarve.
Será o primeiro registo de 2020!

Relato da testemunha...

Hello,

Firstly, Happy New Year to you.

I have a video of something I saw last night while enjoying the view from my hotel balcony in Quinta do Lago area. I first noticed these two large clusters of colour moving in the sky at a fairly slow speed. They moved together, I started to video the movement and zoomed in and noticed the colours were "rotating". The objects were large, and suddenly disappeared by dropping down below the buildings. I am sorry I stopped videoing, I was conscious that my partner was talking in the background.
I first saw the object at 00.20am on 1st January 2020.


Kind Regards,

O UFO Portugal Network não sabe ao certo se este objecto poderá ou não ser um drone.
Porém ficamos dependentes de outras testemunhas que nos possam contactar através do e-mail ufo_portugal@sapo.pt 

Ovnilogia, balanço de actividade 2019 em observações anómalas no país


O ano 2019, foi sem dúvida um ano de percussões a nível internacional com um grande destaque da imprensa no que se refere a OVNIs "Objectos Voadores Não Identificados", devido a uma semi abertura ou senão manifestação sobre a Marinha dos EUA se envolver diretamente no estudo destes objectos voadores não identificados, e como não poderia deixar de ser o envolvimento do Pentágono.

Portugal no que retrata a imprensa, não deu um grande destaque no assunto "Casos Nacionais", porem deu mais importância aos casos ocorridos lá fora "Internacionais".
No que se refere a observações a que o Ufo Portugal Network tenha conhecimento através do correio eletrónico que nos tem chegado ao longo do anos, contamos com um total de 12 observações.
Muitas outras foram chegando, porém identificadas essa observações que se enquadraram na catalogação do identificável.
Uma pequena percentagem dessas manifestações entraram também elas no inconclusivo, pela falta de informação ou mesmo imagens que não nos ajudaram muito devido a uma qualidade de imagem muito fraca, o que acaba de alguma forma por ser lamentável.

As observações no território nacional foram muito dispersas no ano 2019, em relação a anos anteriores. Não houve um mês em destaque, como ocorre com frequência na época veraniana, pelo facto das pessoas se encontrarem mais tempo no exterior devido às condições climatéricas favoráveis, tempo quente ou férias!
Este é um factor fundamental que tem potenciado significativamente o número de observações à escala global, mas não em Portugal no ano findado!

No mês de Setembro decorreu a Vigília Nacional 2019, realizada nos dias 27 a 29, da qual contou com um excelente registo em vídeo de uma das participantes deste evento.
Observação essa realizada em Lisboa.



Figura do ano na Ovnilogia Nacional

Francisco Mourão - Exopolitic - Portugal
Consideramos a figura do ano na Ovnilogia Nacional, Francisco Mourão da Exopolitic Portugal, pela sua excelente participação de âmbito internacional pelo History Channel, levando aos quatro cantos do planeta um pouco da nossa ovnilogia "casos nacionais".

A sua participação é deveras importante para que lá fora, se tenha conhecimento destes fenómenos recorrentes no nosso país.

Sem dúvida que 2019 acabou por ser um ano interessante no que retrata a ovnilogia nacional lá fora, ou não seja isso o exemplo do Ufo Portugal Network e respectiva Vigília Nacional 2019, ter sido falada, comentada durante o evento (Storm Area 51), através de Michael W. Hall.



Paulo Jorge Cosmelli, foi também ele fundamental através da imprensa com o seu desempenho e consultor no que se refere a fenómenos anómalos não identificados.

Contudo o trabalho do Ufo Portugal Network, irá prosseguir com o mesmo desempenho de sempre dando a voz daqueles que observam algo de extraordinário no país.

Esperemos que 2020, seja um ano de novos horizontes, revelações sobre este tão polémico mas apaixonante assunto. Que seja um ano em que a nossa imprensa nacional se resigne a um pouco mais a estes fenómenos no nosso território.

Um especial agradecimento a todos aqueles que em nós confiaram e depositaram confiança nas sua observações.

OVNIs existem: os governos não querem que saibamos a verdade?

Há 15 anos, o cientista político nascido na Alemanha publicou o que é considerado o primeiro estudo acadêmico sobre o fenômeno.
Hoje é uma referência.

John Edward Mack era um psiquiatra, escritor e professor americano na Harvard Medical School. Ele foi o Prêmio Pulitzer na categoria biografia, um dos principais pesquisadores e escritores de experiências de seqüestro e defensor da eliminação de armas nucleares.

No início dos anos 90, Mack iniciou um estudo com mais de uma década de 200 homens e mulheres que relataram terem experiências recorrentes de seqüestro extraterrestre. Tais reuniões receberam pouca atenção de figuras acadêmicas (R. Leo Sprinkle foi talvez o primeiro, na década de 1960). Mack, no entanto, provavelmente ainda é o acadêmico mais estimado em estudar o assunto.

Inicialmente, ele suspeitava que essas pessoas sofressem de doenças mentais, mas como não havia patologias óbvias após as entrevistas, seu interesse despertou. Após o incentivo de seu velho amigo Thomas Kuhn, que previu que a questão poderia ser controversa, mas instando-o a coletar dados e a ignorar a análise materialista, dualística e "uma ou outra" predominante, Mack iniciou um estudo e entrevistas combinados. Muitos dos entrevistados relataram que seus encontros afetaram sua maneira de ver o mundo, incluindo a produção de um maior senso de espiritualidade e preocupação com o meio ambiente. Mack foi um pouco mais cauteloso em suas investigações e interpretações do fenômeno do seqüestro do que os pesquisadores anteriores.

Seu interesse pelos aspectos espirituais ou transformacionais das experiências de abdução e sua sugestão de que elas mesmas possam ser mais transcendentes que físicas por natureza - embora reais - o diferenciaram de muitos de seus contemporâneos, como Budd Hopkins, que defendia para a realidade física dos alienígenas.

Sua pesquisa subsequente foi estendida à consideração geral dos méritos de uma noção expandida da realidade, que permite experiências que podem não se encaixar no paradigma materialista ocidental, mas que afetam profundamente a vida das pessoas. Seu segundo (e último) livro sobre as experiências de seqüestro, Passaporte para o Cosmos: Transformação Humana e Encontros Alienígenas (1999), foi um tratado filosófico que conecta os temas da espiritualidade moderna e da visão de mundo, e o ponto culminante de seu trabalho com "Experimentadores" de encontros extraterrestres, a quem o livro é dedicado.

Existem OVNIs, professor?

John E. Mack É, simplesmente, um fato.

O trabalho provocativo de Wendt se tornou um clássico da ufologia no mundo acadêmico. Nele, o já renomado cientista político enfia o dedo na ferida ao lembrar que, se não sabemos o que acontece aos OVNIs, é porque é uma das grandes ameaças à autoridade do Estado contemporâneo. Segundo o autor, o fenômeno OVNI era um tabu que nem a ciência nem as administrações públicas estavam dispostas a discutir. A ignorância extraterrestre era uma questão política, não científica, na medida em que a soberania política moderna é antropocêntrica desde que o homem matou Deus.

John Edward Mack
O professor de Ciência Política da Universidade Estadual de Ohio lembra como ele havia explicado 15 anos atrás, não há dúvida de que os OVNIs, entendidos como objetos não identificados, existem. A amostra é que desde 1947 foram relatados cerca de 100.000 avistamentos. A maioria deles pode ser explicada de maneira convencional, ele admite, mas entre 5 e 20% não são tão fáceis de explicar.

Existem alienígenas?

Ninguem sabe. Eu não sei. E você? Mas assisto aos vídeos do exército e o que eles mostram é incrível. Pode haver uma explicação, mas ninguém pesquisou cientificamente o que é necessário descobrir. Então não podemos saber.

O trabalho de Wendt, que o tornou numa das autoridades "sérias" em ufologia nos Estados Unidos, não visa, portanto, responder à grande questão, mas levantar outra questão ainda mais importante: como é possível questão tão perturbadora e surpreendente quanto o fenômeno OVNI dificilmente desperta interesse entre a comunidade científica ou entre autoridades políticas, pelo menos explicitamente?

Por que ninguém tenta responder a essa pergunta?

Se assumirmos que é um tabu, lembre-se de que os tabus estão associados ao medo. Não se trata apenas das autoridades, os cientistas são ainda piores que o governo. Existe um medo subconsciente de encontrar vida extraterrestre. Há outra razão, o antropocentrismo do estado moderno. A soberania é exclusivamente humana. A mera possibilidade de sua existência põe em questão sua função. Então, para os Estados, é uma situação problemática na qual eles só podem perder.

Um tópico sobre o qual você não pode falar

Segundo o autor da teoria social social das relações internacionais ', o Estado e a ciência criaram uma estrutura argumentativa que torna impossível não apenas investigar essa porcentagem de casos duvidosos, mas até levantar a questão. É uma relação simbiótica, na medida em que o Estado baseia suas premissas na ciência, por meio da qual obtém apoio e prestígio institucional, enquanto a ciência prefere olhar para o outro lado.

É comum tratar as pessoas que acreditam em OVNIs como ignorantes, estúpidas ou retardadas, porque é uma forma de diminuir as preocupações das outras pessoas.

No seu artigo original, Wendt identificou quatro técnicas através das quais a discussão sobre OVNIs havia sido considerada um tabu: a representação de qualquer pesquisa sobre o assunto como "pseudociência"; relatórios oficiais, como o Relatório Condon de 1969, que não são realmente científicos; sigilo oficial, que impede o acesso aos arquivos; e uma "disciplina foucaltiana" na qual, através de ataques aos 'crentes', a população foi treinada para que não se atrevam a fazer a pergunta.

É politicamente útil que os apoiadores da pesquisa OVNI sejam apresentados como nerds?

Bem, acho que alguns programas de TV são pro OVNI. Eles me entrevistaram há algumas semanas para o History Channel e me trataram com respeito. Em um nível mais geral, é comum tratar as pessoas que acreditam nos OVNIs como ignorantes ou estúpidos, mentirosos ou pessoas com uma grande imaginação, para acabar com sua reputação e desprezar a preocupação das pessoas. Mas acho que será cada vez mais difícil, porque o exército está mudando sua política. Os céticos contribuem para esse objetivo se passando por ficção científica, mas essa realidade acabará surgindo.

Os limites do imaginável

Se "Soberania e OVNIs" merece uma leitura, não é tanto porque desafia os tabus sem complexos da vida em outros planetas, mas porque nos faz repensar nossa relação com o mundo. O que consideramos possível, quão impossível e de que maneira confiar na realidade dada - um mundo em que a democracia liberal é a forma de estado por excelência e em que o ser humano está no centro - nos cega para Outras possibilidades políticas.

Wendt nunca deixa de ser um cientista político quando se lembra de que uma das razões pelas quais os OVNIs e alienígenas são tão difíceis para o estado moderno é porque ele está preparado para enfrentar quase qualquer situação imprevista (guerras, imigração, pandemias, terrorismo) menos à possibilidade de que, durante a noite, seja descoberto que existe vida inteligente em outros planetas.

Seria um desafio descobrir vida extraterrestre?

Talvez.
Enquanto encontrarmos bactérias em Marte ou algo assim, a ideia de que os humanos estão no comando não mudará. Seria necessário que os alienígenas entrassem na sua nave espacial! Para mim, é apenas uma questão de tempo. A grande questão é que, se eles estão aqui, por que eles não aparecem? E acho que sim, de certa forma: irritando nossos pilotos estão exigindo sua atenção. Eles podem pensar que alguns desses humanos estúpidos podem se perguntar o que estão fazendo aqui.

O que podemos aprender politicamente com o tabu OVNI? Apenas cinco anos atrás, quem dissesse que Trump se tornaria presidente dos Estados Unidos seria tão ridicularizado quanto aquele que afirma que os OVNIs existem hoje. Entretanto…

É verdade que também era inimaginável que Trump vencesse. Ele quebrou um milhão de tabus desde que chegou ao poder, o que é terrível. Mas as coisas estão mudando de outra maneira em todo o mundo: por exemplo, eu vi como o casamento gay foi aprovado. OVNI de Alicante, imagens espetaculares capturadas na tempestade
DANA de setembro de 2019.

Existem mais movimentos liderados por pessoas. Nesse caso, eles foram os pilotos. Então, para mim, a lição política é a capacidade das pessoas de se mobilizarem em favor de certas causas que tornam o mundo um lugar melhor. Como nas mudanças climáticas. Os governos podem não ser capazes de resolver o problema, mas as pessoas podem.


Bem, espero que um dia possamos saber a verdade, seja ela qual for.

agencia6.com 

terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Votos de um próspero 2020

O UFO Portugal Network deseja a todos os seus leitores seguidores e amigos, votos de um ano 2020, repleto de muita saúde, alegria, sucesso e sobre tudo com muitos avistamentos e um total Disclosure.


A equipe UFO Portugal Network

Correio dos leitores... Avistamento em Sintra Portugal

O meu nome é Bruno e no passado sábado, fui para Sintra com a minha namorada, seria cerca de 20h30 e avistamos algo que ainda hoje nós perguntamos o que realmente vimos. 
No céu estariam cerca de algumas luzes que piscavam em sintonia e estavam realmente perto umas das outras (cerca de 20 ou um pouco mais) e andavam lentamente em conjunto sempre sem se dispersar como se tivessem interligadas pelo o céu, em direção a norte.... eu não sei dizer se era um objeto ou vários, porque como estavam próximas poderia ser ambas as situações, eu desde sábado tenho ido a net pesquisar por algum testemunho acerca do que vimos, mas sem sucesso.. sei que não fomos os únicos que observamos tal evento, pois a caminho vimos algumas pessoas a observar também. não conseguimos de fato filmar o que foi uma pena.. peço que se alguém de Sintra ou arredores tenha avistado também este fenômeno, que tente também explicar o que viu, porque estou constantemente a questionar o que vimos, porque foi algo fora de normal.

Se observou o mesmo fenómeno poderá reportar através do e-mail ufo_portugal@sapo.pt 

Uma imagem poderá nos ajudar a identificar o fenómeno.
Tentar saber se houve libertação de balões led´s.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Havia uma civilização anterior à nossa no sistema solar?


Os cientistas levantam a possibilidade de que uma espécie tecnológica possa ter existido em algum lugar em nosso sistema antes de ocuparmos a Terra.

Uma das questões mais difíceis sobre a quantidade de Astrobiologia é se existe, em algum lugar do nosso Sistema Solar, remanescentes de alguma forma de vida extinta. E alguns cientistas como astrofísico da Universidade da Pensilvânia Jason Wright, membro do Centro de Exoplanets e mundos habitáveis, até mesmo considerar uma espécie tecnológica pode ter existido em nosso sistema planetário em uma época anterior ao surgimento de humanidade na terra.

Já em 2016, Wright publicou um artigo em que discutia onde seria melhor procurar os sinais tecnológicos deixados por essa civilização hipotética. Outros astrônomos, entretanto, sugeriu à procura "faróis" e "light" nos objetos do Cinturão de Kuiper que poderiam servir como evidenciass da existência de tecnologias e, portanto, de civilizações, estrangeiros.

Para Wright, a mais óbvia para o desaparecimento de uma razão espécies tecnológico anteriormente que seria "um cataclismo, seja um evento natural, como um impacto de um asteróide com capacidade extinção, ou auto-infligidas, como uma catástrofe climática global".

Para o pesquisador, se estivéssemos falando de uma espécie com capacidades espaciais que haviam sido estabelecidas no Sistema Solar, um único evento não teria sido suficiente para fazê-lo desaparecer. Na verdade, a espécie extinta única permanentemente se tivessem dado muitos cataclismos em todo o Solar espaçados no tempo (como causando um enxame de cometas ou talvez uma guerra planetária) do sistema ". Outra possibilidade é que os assentamentos daquela civilização não tenham sido completamente auto-suficientes e dependessem de suprimentos do exterior que, após a catástrofe, parassem de chegar. "Alternativamente", diz Wright, "uma explosão de raios gama próxima ocorreu inesperadamente, ou uma supernova também poderia produzir um cataclismo que afetaria todo o sistema".

Pesquisar artefatos

Do ponto de vista estritamente científico, diz o pesquisador, é perfeitamente razoável perguntar se a vida existiu em nosso sistema planetário, ou se ainda existe hoje. A questão, cada vez mais, está se tornando a principal razão de ser de agências espaciais como a NASA.

Grande parte do trabalho de pesquisa, no entanto, está se concentrando na localização da vida microbiana ou, na melhor das hipóteses, na falta de inteligência. Para Wright, os artefatos tecnológicos, se existissem, seriam muito mais fáceis de encontrar.

De fato, se alguma vez uma espécie tecnológica antes da nossa, talvez espacial, surgisse no Sistema Solar, essa espécie poderia ter produzido artefatos ou outros sinais tecnológicos que teriam sobrevivido até hoje. Procurar por esses artefatos em vez de micróbios seria, para Wright, uma maneira potencial de resolver de uma vez por todas a grande questão da Astrobiologia.

No caso de Vênus, por exemplo, a chegada de um efeito estufa global e a possível reestruturação de sua superfície poderiam ter apagado todos os vestígios da vida anterior. Na mesma terra, diz Wright, erosão e, em última análise, as placas tectônicas teria sido capaz de apagar todas as evidências da civilização, se nossa espécie surgiu e se desenvolveu alguns milhões de anos atrás.


Portanto, possíveis sinais de tecnologias de civilizações anteriores à nossa, que seria extremamente antiga, só podia ser encontrado em um número limitado de lugares no sistema solar, como sob a superfície de Marte ou a lua ou qualquer um dos inúmeros Sistema de corpos Exterior solar.

ABC