sábado, 15 de novembro de 2008

Adiós a la Phoenix Mars Lander


Sonda quedará perdida en el Norte de Marte
Adiós a la Phoenix Mars Lander La agencia espacial norteamericana se despidió esta semana de la misión Phoenix que, entre varios éxitos, confirmó la existencia de agua en Marte. A pesar de tener dato la sonda como muerta, la NASA garantizó que va a continuar a buscar señales de vida de la Phoenix cada órbita de la sonda espacial Mars Reconnaissance Orbiter.
“ES una misión rellena de éxitos. Primero, duró muy más tiempo del que los propios científicos esperaban y después confirmó la existencia de agua en Marte”, comentó el astrónomo José Matos, esperando que los próximos meses sean “bastante ricos en novedades sobre el planeta, resultado de los datos enviados por la sonda”
Prevista resistir sólo tres meses, la sonda Phoenix se reveló mucho más robusta, aguantando más de cinco en el frío gélido del Norte de Marte. También por su localización en el planeta rojo, la Phoenix fue única. “Esta fue la misión que alcanzó la latitude más a Norte de Marte. Debido al aproximar del Invierno marciano y consecuente ausencia de luz solar, la sonda iba a dejar de funcionar en un corto espacio de tiempo. Todos los datos recogidos por la Phoenix van a ser ahora analizados, aumentando el conocimiento que nosotros tenemos sobre Marte. Todo esto será útil en la misión que prevé llevar el hombre al planeta”, concluyó.
Desde su llegada a Marte, a 25 de Mayo, hasta a su muerte, la Phoenix envió para el cuartel general de la misión, en el Arizona, en Estados Unidos, más de 25 mil fotografías, incontables análisis al suelo marciano e informes diarios sobre las condiciones meteorológicas a la superficie del planeta.
PHOENIX MARS LANDER

Largura – 5,5 m con paneles solares abiertos
Laboratorio - 1.5 m diâmetro
Altura - 2.2 m
Data de lanzamiento: 4 Agosto 2007
Vehículo de Lanzamiento: Delta II 7925
Llegada a Marte: 25 de Mayo 2008
Duración prevista: 90 sol (días marcianos)
Duración total: 125 sol (días marcianos)

FECHAS-LLAVE

11 de Junio – Phoenix ML obtem la primeria muestra del suelo
16 de Junio – La pala de la PML alcanza una capa blanca y brillante del suelo
19 de Junio – NASA sospechosa se trata de hielo
31 de Julio – Analices químicas confirman sospecha: Hay agua en Marte
26 de Agosto – Phoenix alcanza los 90 días inicialmente previstos de la misión
10 de Noviembre – NASA anuncia el fin de la misión.
Información Periodico Correio da Manhã

Astronautas van a beber orina reciclada



14 Noviembre 2008 - 22h28


Vaivém 'Endeavour' lanzado esta noche
Astronautas van a beber orina recicladaEl vaivém 'Endeavour', que será lanzado a la 00h55 de sábado (hora de Lisboa), va a llevar para la Estación Espacial Internacional un sistema de reciclagem que permitirá transformar la orina de los astronautas en agua potável.
La NASA planeia aumentar la tripulación de la Estación Espacial Internacional, de tres para seis astronautas, el próximo año, pelo que en el vaivém 'Endeavour' siguen nuevos compartimientos para los astronautar duerman y el sistema de reciclagem de agua.
'Hicimos pruebas y nadie colocó grandes objecções.

Para allá de un ligero sabor la iodo, es tan refrescante como cualquier otro tipo de agua.

Tengo alguna en mi frigorífico', dije a la Associated Press Bob Bagdigian, ingeniero de la agencia espacial norteamericana responsable por el sistema de reciclagem que costó 250 millones de dólares (196 millones de euros).


El vaivém tripulado por siete astronautas también lleva a bordo el primero frigorífico de la Estación Espacial Internacional, equipamiento para ejercicio físico y una segunda casa-de-banho.
L.R.

Fuente de Información - Periodico Correio da Manhã http://www.correiomanha.pt/canal.aspx?channelid=00000219-0000-0000-0000-000000000219

Conversando com Virgilio Sánchez - Ocejo

.... Há "ufólogos" que nunca fizeram investigação de campo ¿Como vão criticar a uma pessoa que se desloca, ocupa seu tempo com todo o que isso implica? Estes críticos são geralmente os ufólogos de hoje em dia, chamados de biblioteca, e como dizia Pedro Ferriz são “polillas de bibliotecas”, mas que não contribuem nada ao fenómeno. Só põem em Internet notícias de jornais de jornalistas que não são ufólogos, nem entendem muito destas matérias. ... (Virgilio Sánchez-Ocejo - Miami, Outubro 2007)


Virgilio Sánchez-OcejoMUC
* Miami Ufo Center








Transcripción fita realizada porEquipo Redacção IIEE-ChileBaixo a supervisión deRaúl Núñez o entrevistador.

Fotos: Raúl Núñez
Nos meses de Setembro, Outubro e Novembro do 2007 foram meses de grande actividade fora de Chile para o IIEE e para quem escreve estas linhas, experiências de todo tipo.


Desde a internación urgente num Hospital de Miami com problemas por um rebelde cálculo renal (não um implante ET…) até conversas e contactos muito interessantes com gente da ufología americana.


É assim, como ficamos convencidos uma vez mais, que nosso entrevistado nesta oportunidade, advogado de profissão, cubano de origem, é um dos pilares da investigação ufológica tradicional nos Estados Unidos.


Pode-se estar de acordo com ele ou não, se pode discrepar de suas teorias, mas não se pode deixar de reconhecer que mais de meio século nestes temas merece todos nossos respeitos e por esta razão nossa conversa foi muito intensa.


Abordaram-se temas como o da sua estadía no Chile no ano 2000 com o tema do chupacabras, sua visão do fenómeno Ovni actual, episódios inéditos da ufología nos Estados Unidos, interessantes impressões do que sucedeu com as organizações americanas de tamanho, ou seja todo um repaso a uma trajectória de dedicación e paixão por estes temas.


Em resumo: Um homem grande, alto de estatura… mas também de espírito e constancia. Um verdadeiro exemplo de honradez na ufología de hoje em dia.
















Livro publicado nos EEUU., em 1997 por nosso entrevistado em colaboração com Wendelle C. Stevens sobre o caso de Filiberto Cárdenas



1. Dom Virgilio… ¿Quantos anos leva você nestes temas?R: (Rri…) Desde o ano 1956. Estudava a carreira de Direito na Universidade de Havana. Uma manhã como às 10 hrs., vi alguns estudantes olhando para acima, tinham nuvens igual que hoje, e eu vi uma luz baixo a nuvem e pensei nesse momento que era uma luz dessas de bengala. Não lhe fiz caso. Ao outro dia uma jornal de segunda classe dizia: “Platillo Volador sobre Havana ” e então disse-me, o que eu ví foi um platillo volador ou foi uma luz estranha de bengala… e ali começou minha curiosidade.
Naquela época a revista “Bohemia” saía semanal e de vez em quando traduziam escritos sobre o fenómeno Ovni do inglês e do francês. Aime Michel, conheci-o por esses escritos ao espanhol, e muitas vezes punham boas reportagens sobre estes ufólogos daquela época
Lembrança que no ano 1958, uma companhia de cerveja fez uma espécie platillo volador e o coloco num parque da estrada que ia ao aeroporto, nessa promoção não disseram nada, o aparelho emitia luzes e sons estranhos, foi até a televisão, e depois do platillo volador saíram artistas disfarçados de marcianos. As autoridades que não sabiam nada lhos levaram presos apesar de ser o Dia dos Inocentes. Chamava-me a atenção isto, pois já tinha preconceitos por ter lido artigos de Ovnis, foi quando chegue aos Estados Unidos quando vi que tinha interesse de parte de profissionais sobre este assunto.
É aqui quando decidi ir a um Congresso sobre Ovnis em Califórnia, pelos anos 70 creio recordar. Ali conheci a Pedro Ferriz, conheci essa vez alguns ufólogos daquela época que se reuniam na Grande Pedra no deserto de Califórnia. Pareceu-me todo isso um pouco extravagante, iam pessoas disfarçadas de extraterrestres, decian ser de outra geração. Não gosto disso, não tinha nada científico em aquilo.





Ao ter feito contacto com o senhor Pedro Ferriz, ele me convidou a um congresso em Acapulco como palestrante, mas eu lhe disse que não, pois eu não tinha pesquisado nada ainda e que só tinha algumas experiências, mas aceitei o convite de ir a Acapulco e ali sim tinha e conheci pesquisadores sérios, astronautas, conheci a J. Allen Hynek, à gente de CUFOS e a MUFON , também a Fabio Zerpa de Argentina. Foi o congresso que acumulo a todos os pesquisadores mundiais, os bons e os maus, pois tinha de tudo, e eu saque minhas próprias conclusões daquele evento, com quem trabalhar e com quem não. Passado isso, eu me fiz sócio de algumas organizações como CUFOS e a MUFON onde recebia mensalmente suas publicações e também me subscrevi a “Cuadernos de Ufología” de Espanha com Willy Smith. A partir de ali teve um caso de “sequestro” de um cubano em Miami e comecei a indagar, e consegui formar uma equipa de médicos para fazer uma avaliação deste caso, e consegui contactar-me com o Dr Hynek que naquele momento estava em Illinois, ele baixo surpreendido com este indivíduo ao qual eu isolei da imprensa. Hynek estava precisamente tratando de encontrar a esse cubano, e surpreendeu-se quando o chamei e vinho a Miami. Allen Hynek esteve com a família Marti, quem nesse momento tinham uma menina de 12 anos que descrevia o mesmo. Ali foi meu primeiro roce pessoal com Hynek.
.
Estive com o IPRI peruano até que morreu seu primeiro director e comecei com Hynek a ir aos congressos dos EEUU, ele me foi ensinando como pesquisar porque nesses anos não tinha livros que ensinarão nada, não tinha metodología… Hynek me foi ensinando o bom e o mau das investigações, como fazer investigação de campo, como recolher evidências físicas, Nos reuníamos em casa de Willy Smith cerca de Orlando e as perguntas minhas eram constantes. Eu aprendi quase tudo dele, o vamos dizer…. O foi minha guia e maestro. Aprendi a eliminar caso que não tinham base científica, que não serviam para a ciência ainda que fossem bons a primeira vista mas não podiam ser bem estudados, como recopilar dados para que os estudos científicos pudessem desenvolver programas para estudar o fenómeno…ainda estamos em isso, não cabe dúvida.2. ¿Onde ficaram os arquivos de J. Allen Hynek?R: O arquivo combino-se com sua esposa, mas dantes de morrer Willy Smith esteve em sua casa. Eu não quis ir a sua casa nos últimos tempos. Hynek já não podia falar e quando o chamava, era eu o que falava e ele não podia me contestar, isso me afecto muito a mim pessoalmente. Após uma amizade tão longa, compartilhando congressos, charlas, hotéis, etc... afecto-me muito… após uma operação e a quimioterapia que se lhe aplicava ele não podia nem falar e em coisa de cinco ou seis meses se foi indo. Sua esposa chamava-me pára que lhe falasse mas era muito doloroso saber que não podia se expressar. Sei que Willy Smith se levou parte de seu arquivo por oferecimento dele, mas lhe deu muita pena o pegar tudo, mas se se levo todo seu arquivo de diapositivas em cores mas de 1200 fotografias privadas de suas investigações. Este material teve-o Willy Smith até que morreu em Junho do 2006. Anteriormente a isso, ele me disse que não queria que esse material de Hynek se perdesse, pois sua esposa não estava interessada neste tema, e me disse te combina com este material. Deu-me umas 14 caixas as quais tinham umas 100 diapositivas aproximadamente. Ultimamente eu comecei a cooperar com o pesquisador espanhol J.J. Benítez Eu conhecia a J.J. Benítez pelo assunto Varginha em Brasil, onde o criticaram muito, quando ele passo por Miami. Willy Smith, eu e alguns mais do centro (Miami Ufo Center) lhe convidamos a comer a um restaurante e ele muito abertamente nos mostrou seu cuaderno de bitácora de campo e nos explicou suas investigações. Ensino-nos mais de 100 fotografias sacadas de sua investigação em Brasil e explicou-nos como faz suas investigações de campo. Pessoalmente impressionou-me muito, ademais ofereceu-nos o material que quiséssemos. Eu sei que muitos criticam a J.J. Benítez mas o que me impressionou foi seu metodología de trabalho, como faz suas investigações, não suas teorias, nem resultados, nem sua maneira de pensar. Eu discrepo com ele, mas sua maneira de pesquisar me impressionou, mais se vai aos lugares e pesquisa a fundo… agora o desenvolvimento de suas teorias eu posso discrepar, mas sua valia esta que pesquisa em terreno.Seguramente as diapositivas sairão na página Site de J.J. Benítez (1) com a premura que as diapositivas não percam cor. Possivelmente, isto será para um aniversário da morte de Hynek, e lembrámos uma colaboração mútua para seus próximos livros que tratará de assuntos militares e Ovnis onde eu contribuir-lhe-ei alguns casos que tenho em estudos e que pertencem ao âmbito dos EEUU.Repito, a aplicação do fenómeno por parte deste escritor e pesquisador, eu não creio todo o que escreve, os Cavalos de Troya e isso para meu é aparte. Eu estou na ufología, valorizo que estuda e vai aos lugares a pesquisar. É muito criticado por alguns, mas há ufólogos que nunca fizeram investigação de campo ¿Como vão criticar a uma pessoa que se desloca, ocupa seu tempo com todo o que isso implica?Esses críticos são geralmente os ufólogos de hoje em dia, chamados de biblioteca, e como dizia Pedro Ferriz são “polillas de bibliotecas”, mas que não contribuem nada ao fenómeno. Só põem em Internet notícias de jornais de jornalistas que não são ufólogos, nem entendem muito destas matérias. Internet acabou com as organizações americanas pelos custos que significa fazer boletins e transmitir informação em forma escrita aos subscritores e interessados na ufología séria, essa é a parte negativa, mas a parte positiva é que os contactos agora são rápidos e ao minuto. O que há que saber hoje em dia, é pegar a palha e deixar o demais… essa é a finque principal3. Dom Virgilio ¿Em que situação actual estão as organizações americanas de antanho que estudavam o fenómeno Ovni?R: Contar-te-ei… que quando ocorreu o caso Gulf Greeze (2) que pesquisamos Willy Smith e eu, sobretudo meu amigo Willy Smith que vivia em Orlando cerca de Gulf Breeze, na parte norte de Flórida, ele foi um dos primeiros pesquisadores em chegar a pesquisar o caso. Também já tinha nesse momento dois pesquisadores da MUFON. Este homem, Edward, num dia num restaurant cenando com Willy Smith e os dois pesquisadores da MUFON … Willy mencionou que não tinha claro isto das fotografias, que sacaram com a luz, a nave e essas coisas, pensava que essas fotografias eram muito estranhas e que eram mentiras. Ao dia seguinte quando foram à casa da testemunha Willy Smith junto aos dois pesquisadores da MUFON , este senhor lhe botó (3) da casa… não lhe deixo entrar… por que não cria em sua maneira de pensar. Este é o ponto quando Willy Smith pensou, aqui há algo escuro, pois se a testemunha fosse honesta deixá-lo-ia entrar a sua casa, sem importar que pensasse diferente, pois o comentário de sua dúvida não foi realizado em forma oficial, senão se realizou em decorrência de uma comida, um simples comentário de suas dúvidas, e ao outro dia se lhe impediu entrar à casa da testemunha de nome Edward.




Boletim da MUFON e Jornal local informando sobre a maqueta encontrada em casa de protagonista do caso Gulf Breeze
.
Aqui se enredo a coisa… começou-se a sacar dados e pesquisar as fotos e comprovou-se que eram fraudulentas, era uma maqueta, inclusive se encontrou a maqueta ao cabo de dois anos. A testemunha dizia que a fotografia da câmara Polaroid não podia ser duplicada, mas ele sabia como fazer duplicados destas fotos com esta câmara. Em Halloween, no dia das bruxas, ele era conhecido e seus filhos que fotografava a cães e animais, e depois às pessoas fotografadas lhes dizia que se lhe tinha aparecido uma bruxa ou um cão na imagem sacada... ou seja ele sabia fazer duplas exposições com aquela câmara, que ele mesmo dizia ao princípio que não se podia fazer duplas exposições.Este é só um dado… um só. Ali dividiu-se a ufología americana.A MUFON começou a verificar e fazer uma reinvestigación para saber se tinha ou não fraude no Caso Gulf Greeze. Um casal de pesquisadores da MUFON , que não recordo seus nomes, informaram à MUFON , a seu Presidente daquele então Walter Andrus, que as foto eram não legitimas, eram uma fraude. Automaticamente, Walter Andrus os botó ( 4) da MUFON. Todos os que estavam na contramão dizendo que era fraude o botaron da MUFON. ¿Quais eram as razões?Entre as coisas que pesquisou Willy Smith é que as assinaturas da MUFON , que é uma instituição “Non-Profit” - não especula com dinheiro - pois aqui nos EEUU há uma Lei que a fim de ano se deve apresentar os documentos de entradas e saídas aos subscritores de como se uso esse dinheiro. A cada ano deve emitir um estado que seja equivalente das contas registadas. Determinou-se que no último ano de Gulf Breeze teve 84.000 dólares de ganhos, ou seja que a MUFON , Walter Andrus pensando na parte económica e dizendo que o caso era verdade, as assinaturas subiram quase a um triplo. Isto esta em papel… pois a fim de ano se deve dar à publicidade. Outra coisa… quem primeiro disse que as fotografias eram uma fraude foi um jornalista do “Miami Herald”, que não era ufólogo. Ficou nas páginas deste jornal o que digo, e foi a primeira bandeira vermelha que salio mencionada.Por outra parte, encontraram-se testemunhas, rapazs que tinham servido a ele (a Edward Walter) não só para fazer os duplicados da fotografia, senão um que aguentava um poste de plástico pintado de negro acima com o modelo, se punha uma linterna embaixo do poste e se alumiava o modelo… mas ao cabo dos anos se vendeu a casa, e os novos donos quiseram pôr “insolación” na cobertura e ali se encontrou a maqueta do “platillo volador”, tinham esquecido a maqueta na mudança.

Algumas das controvertidas fotos do Caso Gulf Breeze e a portada do best-seller publicado por Edward Walter com respeito a este tema.

Outra coisa que motivou a divisão foi o assunto de Bruce Maccabee Leste é um técnico da Marinha dos EEUU que fazia estudos oculares dos objectos volantes e trabalhava para a MUFON : Este atestiguo no livro que se publicou que era verdade… que o objecto era real. O assunto foi que ele recebeu 20.000 dólares de antecipo por parte da companhia que editou o livro, e que deu primeiramente à casa que tem hoje em dia… e depois lhe prometeram um tanto por cento dos ganhos que tivesse o livro. A companhia que realizou o livro precisava alguém cientista que avalara o que dizia Ed, a testemunha. Ou seja teve dinheiro por aí… (5 ) De lá para cá…. a ufología americana dividiram-se.
.
Estamos a ver agora, a CUFOs o centro de investigação de Ovnis que creio J. Allen Hynek agora vai fechar, por não ter assinaturas. A MUFON no outro ano retiro-se… o filho ocupo-se um pouco tempo da MUFON e agora os arquivos estão na garagem de uma casa. Há uma listagem em inglês o “UFO UpDates” editado em Canadá, que recebe muita informação desde Inglaterra, mas não há mais nada….Mas… há um balanço, notei ultimamente algo muito interessante, que há científicos que não são ufólogos, que não pertencem a nenhuma organização, não têm contacto com nada de ufología, mas que, estão aparentemente recabando estes dados que temos recopilado no tempo e estão a desenvolver teorias futuristas sobre a ciência. Gente que esta nestes momentos nas Universidades e que estão a estudar o aspecto psicológico e sociológico do fenómeno, por exemplo, a transmissão de pensamento, a projecção austral, as nuvens negras que se descobriram recentemente no espaço, em fim… coisas assim. Um professor de física de Nova York que se gradúo em Harvard sacou um livro sobre os mundos paralelos, se lhe critico muito mas já hoje em dia se esta aceitando falar destas teorias abertamente a nível académico….4 . ¿Ou seja as representações que se atribuem certas pessoas em Sudamérica, como representantes da MUFON são ficticias ou eles mesmo se autodenominan?R: Sim, são títulos que se dão eles mesmos suponho… já não fica nada disso. Eu mesmo fui representante da MUFON para toda Centroamérica quando existiam estes agrupamentos e estavam activas, mas hoje em dia não têm nem sequer subscritores. A gente não é tonta, se saem notas de pesquisadores sérios que dizem que Gulf Breeze foi uma fraude e esta organização não o quer admitir por seus interesses, e se ajustaram a que era verdade e não publicaram nunca uma nota na contramão ou desmentido. Só ficou uma “piña” ou um grupitro que se repartem os benefícios baixo um mesmo interesse. O mesmo passa nas revistas de Espanha, isso tu o sabes muito bem, Eu enviei artigos porque mo têm pedido e me põem uma nota minúscula como notícia e ponto, são verdadeiras “seitas de amigos” me ocorreu a meu com a revista “Para além”5. Insisto, ou seja… ¿Estes “representantes” de diferentes países não têm nenhuma conexão com a MUFON clássica, de anos atrás?R: Aquela já não existe. Não há nenhuma conexão. Aclaró… que é meu ponto de vista, posso estar equivocado. A Verdade absoluta não existe, é minha maneira de pensar.6. Amigo Virgilio, estes caminhos da ufología levaram-no a você a caminhos incríveis, como por exemplo, pesquisar factos relacionados com o denominado “chupacabras”. A estas alturas… ¿Chegou a alguma conclusão em concreto?R: Hynek ensinou-me a pesquisar todo e me dizia, o fenómeno Ovni tem duas características uma psíquica e uma física, você não pode estudar só uma parte ou senão ficasse trunco de uma pata. Partindo do ponto psíquico aparecem dados conjuntamente com o fenómeno Ovni. Eu pensava que o Chupacabras, quando ocorreu aqui em Miami no ano 1996 que vinha desde Porto Rico, eu o estudei baixo as evidências físicas, não pensava que o fenómeno Ovni estivesse envolvido. Foi no ano 2000 quando após assistir a um Congresso a Capilla do Norte passe a Chile. Dirigi-me a Calama e conheci a um comerciante que vivia em Calama o qual tinha filhos no colégio Montesori, este tinha medo à situação, mas se brindou em me ajudar e me fazer de guia.Note que a diferença que em Miami que só duro um par de meses e se acabou, eu pensava que ia recolher os rastrojos em Chile, mas vi. que o fenómeno continuava e isso permaneceu dois ou mais três anos. Pude obter mais evidências físicas, cabelos, unhas, dentes, que ficavam nas grades onde eram os animais atacados. Obtive impressões também que depois das comparar com as de Miami comprovei que eram totalmente iguais.
Impressões recolhidas Virgilio Sánchez-Ocejo
Agora, em Chile eu descobri impressões de Ovnis que deixavam marcas de um trípode e de ali saíam impressões do chupacabras. Muitos avistamientos de Ovnis tinham estas características. Em Tocopilla inclusive recopile um depoimento de um big-foot saindo do mar, de sete pés, o qual passou adiante de um grupo de amigos que se tomavam uma cerveja ao redor de uma fogata na praia. O estranho ser pôs-lhe a mão no corpo a um destes amigos e lhe deixo uma marca de algas verdosas. (6)Devo dizer que quando estive ali nos seguia uma carroça branca a todos lados. Conseguimos fotografias desta carroça, seus ocupantes eram de aspecto chilenos, com trajes, inclusive creio ter tido controle de nossos chamados telefones, pois a gente chamava-nos para dar-nos os dados de novos ataques que estavam a passar nos arredores.Uma vez levaram-se um chupacabras pequeno que ao que parece têm aspecto de pelota de futbol americano, estes correm em dois patas, correm de um lado para outro, estes não atacam, e actuam como se fossem uma família. Este ser estava na parte de atrás de uma residência e levaram-lho dantes que chegássemos nós.Devo dizer que recebemos ameaças de mortes tanto eu como minha ayudante. Nesses momentos decidimos ir à Estrela do Norte e declarar este assunto, desde ali puseram-nos um repórter junto a nós.Ali controlam-no todo as salineras, as empresas mineiras, e os carabineros. Vi coisas que não concordavam com o meio. Grandes carroças Volvos em lugares muito humildes.Devo dizer que os seguimientos se acabaram a igual que os telefonemas amenazantes uma vez que começaram a sair estes comentários pelo diário.7. ¿Você confiava plenamente no ayudante e/ou comerciante que lhe acompanhava? (7)R: Temos diferentes pontos de vista. Sei que esteve no Exército e depois chegou a Calama. A meu serviu-me de guia. O separo-se de mim e tem suas próprias ideias, Depois o vi expressando suas ideias pela Televisão e são ideias completamente diferentes às que eu tenho. O é muito localista, não faz comparações com o fenómeno em outras partes do mundo, mas respeito seus pontos de vista. Agradeço-lhe que se tenha brindado me fazer de guia, mas não concordamos em muitos aspectos em nossas apreciaciones. 8. ¿Ou seja que o fenómeno do chupacabras até hoje em dia não tem solução?R: Para meu tenho que esperar a avaliação dos elementos físicos, em isso estou.9. ¿Você relaciona o do Chupacabras com o fenómeno OVNI, apesar que muitos pesquisadores não apreciam esta possibilidade?R: Sim, porque estive ali e tenho fotografias e videos das impressões do trípode. Fomos a um lugar que lhe diziam o “aeroporto de Ovnis” onde tinha muitas marcasde onde salian estas impressões É um lugar a uns 7 quilómetros entre Maria Elena e Tocopilla, lhe dominam “o aeródromo” Ali há uma via de ferrocarril estreita e cabos de alta tensão, precisamente foi um trabalhador eléctrico que se encontrava num poste quem viu as impressões e depois conseguimos um esvaziado destas impressões. Ali descobri as marcas do trípode. Tinha quase 80 impressões não constantes, o qual indica que este animal, salta, tinha algumas a cada 15 metros aproximadamente. Seus saltos são elevados como se voasse, quando se explica isto a gente diz que um esta louco, mas sabemos por depoimentos de Porto Rico que este animal tem uma espécie de aleta que se esconde entre a pele e que vai desde o pescoço para a parte posterior baixa do corpo… ao saltar levantam esta aleta e fariam um movimento ondulante o que faz que se elevem e baixa como um elevador para abaixo, temos depoimentos de pessoas que falam de saltos de muitos metros à altura e dos postes que levam os cabos da luz, mas quando se diz isto, a gente o mais normal é que diga que esta louco….
Investigadores Willy Smith, Virgilio Sánchez-Ocejo e Carlos D. Ferguson, Coordenador da Rede Argentina de Ovnis em Miami, ano 1999
10: Mudando de tema ¿Vê a futuro uma hipotética relação de nossa humanidade actual ou contacto com uma civilização foránea a nosso Cosmos, com todo o que estamos a viver?R: Não gosto de especular sobre o futuro, mas os dados me ensinaram que todas estas civilizações por assim o dizer, estão em outros níveis em outras dimensões, sempre existiram e estão conosco desde a antigüedad, desde que o homem é homem.
Não tenho uma bola de cristal para saber o que nos traz o futuro, mas até agora compreendi que não estamos sozinhos aqui na Terra , olha o que te digo, não no “espaço”.
Desde que inventou-se a Bomba Atómica pelos anos 1945, Nagasaki, na Guerra Fria entre a ex URSS e os EEUU sempre se viram Ovnis nos lugares estratégicos e militares.
Penso que se há um ataque atómico a configuración da Terra se pode mudar e isto afectaria a dimensão deles. Acho que tentam nivelar sua existência, para isso criaram um objecto físico e real que pode entrar em nossa tridimensionalidad para se mostrar em alguns lugares importantes e que nossos avanços tecnológicos não afectem seu dimensionalidad.
Sua única arma que teriam eles seria a do “Controle Mental” e aqui vou ao que mencionou J. Allen Hynek, o fenómeno é físico e psíquico. Nós vemos projecções deles e nossas acções armamentísticas lhes afectam, isso não me cabe dúvida. Esta parte psíquica que controlam seria a razão dos contactados falando de mensagens de paz e amor e também as abducciones. Eles não podem se apresentar ante nós, seu espaço dimensional é diferente e só vemos suas projecções, creio eu… Estou convencido nosso futuro esta unido a eles e procuram uma convivência conosco o mais pacifica possível.
NOTA REDACCION:Deixamos aqui nossa longa conversa com o pesquisador Virgilio Sánchez Ocejo, realizada em Outubro do 2007 em Kendall (Miami –USA). Temos omitidos alguns detalhes que utilizaremos em posteriores trabalhos.
A esencia do conversado esta editado.
Só nos fica agradecer a este amigo investigador, o tempo que nos dedicou e a sempre boa disposição que tem para quando visitamos a bela cidade de Miami.
.
Adaptação e explicação de alguns conceitos utilizados:
(1) Esta parte do arquivo de Allan J. Hynek já se pode ver na página SITE do pesquisador espanhol Juan José Benítez http://www.jjbenitez.com
(2) Gulf Breeze: Pequena localidade da Flórida , onde ocorreram os factos protagonizados por Edward Walters o 11 de Novembro de 1987.
Fotografias de Ovnis e raios de luzes criaram uma grande controvérsia que até hoje em dia persiste em alguns círculos ufológicos.(3) Botó:
Não lhes deixo entrar à propriedade(4) Botó:
Não lhes aceitou mais…
(5) Não é a primeira vez que ocorre isto na investigação ufológico.
O dinheiro de por médio faz mudar atitudes, pensamentos, pessoas e consciências.
Segundo o jornal “Pensacola News Journal” de data domingo, Junho 10 de 1990, página 9A, Edward Walters ganhou $200,000 dólares por seu livro "The Gulf Breeze Sightings". William Morrow & Company, Inc. que publicou o livro, lhe pagou a Edward Walter $200,000 por adiantado.
Ed Walter disse que a televisão ABC lhe tinha oferecido $450,000 dólares por uma mini-séries. Ademais, soube-se que o verdadeiro nome de Ed Walter é Edward Hanson, mas também a utilizado o apellido Hoyt. Sua esposa nomeia-se Frances. O aludido também tinha antecedentes policiais.
Foi preso em 1967 por cargos de fraude no Condado de Duval, Flórida.
Dois cargos de roubo de autos no Condado de Alacha, Flórida. Serviu 1 1/2 anos em presídio, mas foi perdoado em 1990 pelo governador Bob Martinez. Estes são os dados contribuídos pelo jornal. Só cabe se perguntar
¿Como pôde a MUFON lhe dar, a este homem que seu nome realmente se desconhece, crédito a seu relato e fotos?
(6) Este fantástico relatou foi confirmado depois pelas testemunhas, e prontamente nosso SITE publicasse um extenso trabalho ao respecto deste tema.(7) A referência é ao comerciante de Calama de nome Jaime Ferrer, quem depois apresentou-se durante algum tempo como “pesquisador” Ao termo da repercussão mediática na imprensa, o protagonismo do aludido finalizou. Algo muito comum em Chile. Pessoas vinculam-se a certos fenómenos e depois desaparecem.¿As razões?
Deixamo-las ao livre pensamento do leitor…
.
SIGLAS DE AGRUPAMENTOS MENCIONADOS IPRI :
Instituto Peruano de Relações interplanetarias
CUFOS :
Center for Ufo StudiesMUFON : Mutual Ufo NetworkALGUMAS FRASES PONTUAS DE VIRGILIO SANCHEZ-OCEJO Eu não sigo a nenhum guia espiritual… o guia meu é o CriadorWilly Smith dantes de morrer surpreendeu-me dizendo-me que tinha cinco pessoas que sabiam que eram os Ovnis. Hynek sabia-o, mas ele era um cientista e precisava as evidências físicas por isso não disse nada.
Jacques Vallé não quis dizer nada., e o céptico Philip Klass também o sabia….
Hynek nunca disse que os Ovnis existem… nunca disse que eram reais… SE disse que requeria o fenómeno um estudo sério com base científica….
Eu sei que muitos criticam a J.J.Benítez mas o que me impressionou foi seu metodología de trabalho, como faz suas investigações, não suas teorias, nem resultados, nem sua maneira de pensarEm Chile eu descobri impressões de Ovnis que deixavam marcas de um trípode e de ali saíam impressões do chupacabras…
Tradução automática Espanhol / Português

Todos os créditos são do Site http://www.iiee.cl/
Página - (http://www.iiee.cl/e_entrevistas_virgilio_sanchez.html ).

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

O arquivo de Luis Altamirano

















O IIEE de Chile o administrará
No sábado 11 de outubro do ano em curso, o IIEE de Chile fez-se cargo do arquivo completo de Luis Altamirano em seu domicílio particular.
Para tal efeito, o IIEE obteve a respectiva autorização dos Serviços Sociais do Instituto Nacional de Geriatría que lhe atendeu em Santiago, e um Poder Especial outorgado e assinado pelo próprio Luis Altamirano com data 25 de Outubro de 2008, em Casablanca (V Região) onde o pesquisador expressa sua vontade que o IIEE administre este imenso arquivo, relacionado com seus longos anos de recopilación e cuja única finalidade é que não se perca este labor realizado dia a dia e com grande esforço por sua vez.
Nestes momentos se esta catalogando em dependências do IIEE a grande quantidade de material retirado de casa do pesquisador.

O arquivo geral consta de material audiovisual, fitas gravadas, livros, e uma imensa quantidade ainda não determinada de recortes de jornais, revistas e imprensa escrita, todo relacionado com o mundo da ufología nacional. Seu translado às dependências do IIEE foi só possível num veículo de grandes proporções.
Demais esta dizer que na catalogación e classificação deste material se encontraram verdadeiras reliquias relacionadas com o tema dos OVNIS, as quais se teriam perdido no tempo de não ter tomado esta decisão.
O IIEE espera compartilhar e mostrar todo este material mês a mês em sua página SITE, (
http://www.iiee.cl ) ou a quem deseje apreciá-lo pessoalmente, e é bem como comentaram-nos que se inaugurará um espaço especial denominado Os Arquivos X de Luis Altamirano, onde se exporá pouco a pouco algumas reliquias da ufología chilena, que vão desde notícias dos anos 1800 até nossos dias. Relatórios inéditos sobre alguns casos nunca publicados, bibliografías de origem nacional quase impossível de encontrar hoje em dia, centos de fitas que contêm a maioria dos programas radiales de Patricio Varela, e todo um entresijo de cartas e escritos que poderiam servir para realizar uma documentada história dos OVNIS em Chile e também de seus componentes… os ufólogos, ao longo dos anos, etc, etc…
Consultado Patricio Arias, co-fundador do IIEE de Chile, expressou-nos que este labor se converteu numa verdadeira “experiência religiosa” e esta sendo um esgotador trabalho de classificação e ordenamento do material, pois este não se encontrava com um método de classificação definido, mas que trabalham com a melhor vontade para que ao final se reconheça e perdure o trabalho de uma pessoa que dedicou toda sua vida a nossos temas. . e seu esforço sirva pára futuras gerações de pesquisadores.
Equipo Redação
NOUFA-Chile

Tradução Espanhol / Portugues...

Não é um ovni, é um pássaro













Dentro do mundo do mistério e relativamente comum encontrará pessoas que para reforçar suas próprias "hipóteses" e "teorias" se põem a maquinar suas próprias provas ou procuram evidências parciais que favoreçam sua postura, e desta maneira justificam suas enunciados que proclamam em quanto médio ou foro se lhes permite.
Desgraçadamente muitas dessas provas não são reais e até em alguns casos são manipuladas, com tal de confirmar sua "verdade", ainda que esta não seja a autêntica verdade sobre tal ou qual fenómeno que pretendam ou presumen pesquisar.


Exemplos destes são as imagens de "lamparas-ovni" e "balões-ovni" que rondan pela rede.

Não são poucos os que cometem ditos enganos autoinducidos, assim é mais fácil "mentir com a verdade" (sua verdade).

Desafortunadamente ditas "verdades" afectam àquelas pessoas que lhes chegam a crer causando entre outras coisas temor, confusão e fanatismo, que em alguns casos, que estão plenamente documentados várias as fontes jornalísticas internacionais, terminaram em muito lamentáveis finais.
Por que não aceitar as provas que todo mundo pode comprovar e seguir aferrado a uma crença que esta demonstrado é falsa?


Em alguns casos, segundo alguns especialistas a mais comum, é por encher esse vazio espiritual, emocional e pessoal que há em suas vidas, que consideram rutinarias, sem chiste, nem sentido; então as pessoas inventam-se uma aventura, uma realidade alterna, a qual é plenamente alimentada por estas hipóteses e crenças no ultradimensional, o extraterrestre e questões similares com tal de se sentir bem eles mesmos. Estas pessoas procuram que todos escutem suas palavras e ideias, mas não lhes interessa para nada escutar aos demais, e menos se não têm os mesmos ideais.
Não podemos negar que em nosso mundo sim existem fenómenos e casos reais de acontecimentos sem uma explicação lógica e racional até o momento, seria como viver com os olhos fechados.


Mas não porque não a tenham uma explicação nesse momento em que se dão, não quer dizer que não a tenham. Se aplicamos-nos a procurá-la encontrá-la-emos tarde ou temporão.
Isto me recordou o caso que se deu faz numas semanas quando voltei a visitar o telefonema "Casa dos tubos" em cidade Guadalupe, em onde uns colegas e um servidor, fomos testemunhas presenciales de alguns factos que davam a aparência de ser de índole paranormal, como por exemplo ruídos estranhos que aparentaban ser gritos, ruídos como de pedras golpeando contra o andar e umas imagens algo insólitas que aí se conseguiram captar.
Dos ruídos poder-se-ia dizer que foram originados pelas vibraciones na estrutura da casa que nós mesmos causamos ao caminhar por seus velhos corredores; dos aparentes gritos poderia tratar-se de várias coisas que vai desde o vento até animais do sector, ao igual que com as três imagens de aparência "fantasmagórica" que aí se captaram, ainda que dessas imagens alguns referem que se trata da mesma figura ainda que em diferentes posturas e lugares da casa, ainda que não por isso se vai dizer que se trate de um "fantasma". Este caso contínua baixa análise por parte de vários pesquisadores.
Outros casos que me vieram à mente são todos aqueles dos pesquisadores dedicados a "caçar" ovnis fortuitos também chamados ovnis invisíveis ou fantasmas. Destes "ovnis" há as suficientes explicações e evidências comprobables por todo mundo, para dizer que o 90% deles tão só se trata principalmente de aves, balões e insectos voladores mau enfocados ao momento de captar a imagem.


Como o suposto ovni da imagem, tão só se trata de um pássaro. Isto se demonstrou múltiplas vezes descartando a possibilidade de que se trate de um autêntico ovni e muito menos que se trate de uma "nave extraterrestre".
E de 10%, sendo objectivos e imparciais, só o podemos o deixar classificado como autenticos objectos voladores não identificados, que continuarão baixa análise.
É tão fácil ser realista, objectivo e imparcial que me parece algo testaruda essa atitude de alguns pesquisadores de fechar os olhos ante as provas que todos podemos ver de maneira simples e livremente.


É como se valorizassem mais sua própria soberbia que à qualidade de seu trabalho.
Dizem que é de sábios cometer erros, e depois os corrigir; pois que demonstrem essa sabedoria que dizem ter haciendolo assim.
Se quer-se dar um autêntico serviço à humanidade (como alguns dizem que querem o fazer) pesquisando e revelando estes mistérios, se tem que apegarse à realidade, a não ser que o único que se queira seja alargar seu soberbia e egolatría.


















srbelduque@gmail.com

De um grande amigo do Ufo Portugal, tem demonstrado um forte interesse e desempenho em revelar o que são denominados falsos Ufologos.
Os meus agradecimentos ao amigo Belduque.
A verdade te
O Senhor Belduque é um dos mais conceituados Jornalistas, que se interessa pelo estudo de Ovnilogia e Mistérios.
Um lutador pela verdade da fenomenologia insólita.
Além de
que a verdade tem que ser dita, seja a que custo for.


Muchas Gracias Amigo Belduque...

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Bem vindo Raúl Nuñes

Tenho o prazer de apresentar á comunidade um grande amigo e Investigador, em que muito tem contribuído na Ovnilogia Internacional.
Raul Nuñez que mantêm um forte contacto entre Espanha e Chile apresenta uma grande diversidade de informações.
Muitas das quais para a comunidade Portuguesa é de total desconhecimento.
Porem com uma união de colaboração entre este nosso anfitrião Raul Nuñez para com a comunidade do Ufo Portugal, teremos a oportunidade de desbravar mais informação além fronteiras.






Fotografia de Raúl Nuñez
Aqui vai um pouco do historial deste nosso novo amigo.

Coordenador do IIEE de Espanha para Chile e Sudamérica


• Nasce o 20 de Julio de 1950 em Santiago de Chile. Estuda no Colégio Calasanz de Santiago.


• Organiza no final dos anos 1960 a primeira rede internacional de intercâmbio de informação Ovni desde a capital chilena.


• No ano 1972, estuda Filosofia e Letras no Pedagógico da Universidade do Chile


• No ano 1976 é transferido para Espanha e estuda Técnicas de Comunicação.


• No ano 1983 adquire a nacionalidade espanhola sem perder sua nacionalidade de origem.


• Entre os anos 1980 e 1990 realiza estudos sobre História de Europa, Antropologia, e Tradições Antigas. Especializa-se em temas como Hitlerismo Esotérico e enigmas históricos relacionados com a Conquista de América.


• Nos princípios dos anos 90 edita o NOUFA em Barcelona (Espanha) (Noticiero Ufológico Autônomo) um boletim dedicado às paraciencias, especialmente ao tema Ovni, onde participam os melhores especialistas espanhóis da época.


• Colabora em revistas espanholas como Ano Zero, Enigmas, O Sétimo Lume, Limites da Realidade e Karma-7, desenvolvendo temas relacionados com Civilizações Desaparecidas, Ilha de Pascua, Mitos e Lendas Sudamericanas. Corresponsal da revista chilena “Revelação” em Espanha e Europa durante cinco anos.


Mencionada publicação editou trabalhos relacionados com aparecimentos marianas e mistérios eucarísticos, além de um extenso percurso sobre a Espanha religiosa e a relação com fatos milagrosos.


• No ano 1995 inicia uma colaboração dominical em Rádio Gramanet (Barcelona) no programa de rádio “O Laberinto” junto com a jornalista especializada Marta Risse. Em ditos programas tocam-se temas diversos relacionados com o mundo do paranormal. Chegaram-se a realizar quase 70 programas de temáticas diferentes.


• Viajou em várias oportunidades a Chile e Sudamérica em general, para pesquisar mistérios como o denominado Ilha de Friendship. Trabalhou intensamente na investigação sobre as origens a ex Colônia Dignidade, enclave nazista em pleno território chileno. Todos estes trabalhos foram publicados em diferentes meios de comunicação espanhóis, tanto de rádio como escritos.


• O seu trabalho jornalístico em diferentes partes do mundo, entrevistou a personagens como sua Santidade Dalai Lamba, Charles Berlitz, Jacques Valleé, Antonio Ribera Jordá, Miguel Serrano, etc. Complementando trabalhos com investigadores como Virgilio Sánchez Ocejo, Willy Smith, Manuel Figueroa, Alex Chionetti e Ramón Navia Osorio.


• Na atualidade reside uma temporada em Chile. É representante e fundador da primeira delegação em Sudamérica do IIEE (Instituto de Investigação e Estudos Exobiológicos) Instituto de Investigação o qual tem a Sede Central na cidade de Barcelona (Espanha)


• No ano 2004 realizou o programa de rádio “De teu lar ao céu” em Rádio Encontro (107.3 FM) na populosa comuna de Peñalolen em Santiago de Chile.


• Em Outubro do 2004 coordenou a Primeira Homenagem Internacional que se realizou em Chile ao pesquisador espanhol Antonio Ribera Jordá, ato realizado no Centro Catalão da capital chilena.


• Autor dos livros “Explorando O Laberinto” (IIEE Edições) “O chupacabras e outros seres fantásticos” (Edição particular)


• Dirige a página Site do IIEE (Delegação de Chile – http://www.iiee.cl/)


Para ficarem a conhecer mais deste excelente Investigador visite a sua página na Internet.




Mais uma iniciativa e parceria além fronteiras Ufo Portugal.


Corp Circle en Brazil SC


Agroglífo en plantación de trigo en Ipuaçu-SC.
Crédito de la foto, IVO HUGO DOHL.
Dos extraños acontecimientos ufológicos asustan los catarinenses.
Acordando que, ese que os escribe - ese humilde editor del blog Linksduzão - no fue testigo ocular de ninguno de esos acontecimientos, pero fue uno de los primeros a obtener esas fotos y divulgarlas e ir al local del fenómeno.
Vamos a los hechos:En la madrugada del día 05/11/08, aproximadamente a la 04:00, una familia de agricultores del interior del estado de Santa Catarina, precisamente en Quilombo - distante 600 KM de la capital Florianópolis y sólo 45 KM de mi residencia (Xaxim-SC) - oyó un gran estruendo seguido de un temblor que llegó a estremecer la casa toda, asustando sus habitantes. Estaba chovendo y, lo que se pensó ser un rayo que cayó por cerca, en la mañana siguiente se reveló un gran misterio.Al se deparar con la plantación de milho, distante 200 metros de su residencia, el agricultor Augusto Zanella percibió que el milharal estaba todo sucio por la tierra - del caule hasta su pendão (la parte superior de la planta) - y que algunas plantas estaban quemadas y quebradas. El más sorprendente sin embargo, fueron las extrañas ranhuras que se abrieron en el suelo en toda la extensión donde aconteció el fenómeno, revolvendo inclusive piedras por el camino (vea esa foto abajo)














El epicentro fue ahí, como muestra en esa foto arriba, pero las ranhuras recorren varios metros por bajo de la plantación abriendo pequeñas crateras y derrumbando los pies de milho y, cuando no derrumbando, dejando su parte superior quemada.(foto abajo)








































Como yo pude constatar, no fue sólo en un local de la plantación que aconteció eso, pero, caminando por la plantación se descubrió un otro epicentro con las mismas caracteristicas, descartando cualquier posibilidad que haya sido un rayo el causador de todo eso.






















































Pero como había escrito en el comienzo de ese post, fueron 2 acontecimientos extraños en esa misma región (con diferencia de 2 días). Ese otro acontecimiento, ocurrido 2 días después de y distante unos 60 KM del primero (Ipuaçu-SC ), es el más fascinante y, con certeza lo que más va a repercutir.El sábado 08/11/08 agricultores relataron extrañas marcas en las plantaciones de trigo de la región y, como se puede ver en la foto abajo y en la 1ª del post, extrañas aún. Fueron 2 dibujos iguales a ese, distante 1 KM uno del otro y, con certeza son "Agroglífos", como son llamados los dibujos hechos enigmaticamente con el uso de algún tipo desconocido de tecnología en áreas cultivadas con cereales y, más raramente, pastagens naturales.













Agroglífo en plantación de trigo en Ipuaçu-SC.
Crédito de la foto, IVO HUGO DOHL.
Inicialmente conocidos como 'círculos ingleses', ellos tuvieron origen los años 80, en áreas rurales del suroeste de Inglaterra, pero los años siguientes fueron esparciéndose para otros países. Hasta hoy ya fueron registrados 20 mil en por lo menos 30 naciones, aunque el local de su surgimento original, Gran Bretaña, aún detenga cerca de 80% de las manifestaciones mundiales, que pueden llegar de más de tres mil por año.En Brasil, infelizmente, nada semejante fue registrado hasta ese día (08/11/08) – los amassamentos en canaviais de Riolândia y de otras áreas de São Paulo, en el comienzo del año, datos como agroglífos, son fenómenos bien distinguidos, pero como se constató en esa localidad ahora, con certeza ellos vinieron y, en pareja, con dibujo circular tradicional, sin que se quebrara la plantación (sólo amassamento) y sin vestigios de que pudiera ser hecho por humanos.
Dos extraños acontecimientos que, si no tuvieran conexión entre ambos, como mínimo deja una gran duda en el aire, en fase de que se halle una explicación plausível.
Informo que encuentra una equipo de la Revista UFO en lo respectivo local en Investigación de este Corp Circle.

Novo recente Satelite de USA - IBEX - Captando/Olhando a NIBIRU e



Saludos...




Este é um Primeiro capitulo de Dois que simplesmente lhes apresento para que o pensem e meditem em suas horas de lazer.


IBEX chamado por NASA Interstellar Boundary Explorer ou Interestelar Explorador da Fronteira, podria simplesmente tratar-se de um satelite especial para captar melhor a chegada de NIBIRU…e como a NASA gosta de jogar às siglas ocultas…alli têm que para eles sério “n-IB-iru Explorer” internamente conhecido em NASA ou melhor dito secretamente conhecido...NIBEX.


Porque digo eu tudo isto, porque há várias coisas que vou mostrar que lhe dão certa coesão a esta teoria minha.


Uma IBEX foi lançado com grande apresuramiento em Outubro 2008 segundo NASA para medir as ondas de choque em limite-los do Sistema Solar o que esta localizado a cerca de Mil de Milhões de Kms da Terra, e no entanto, NASA lança este IBEX numa Orbita – não Circular como deberia ter sido se se quer mapear todas as ondas de choque entre a radiación que rodeia o Sistema Solar e a radiación de choque que chega desde o Espaço exterior ao Sistema Solar - senão que estranhamente é oblicua ou elipsoidal em que um extremo se encontra cerca da Terra a uns 7000 Kms de altura em sua parte mas próxima à Terra e o outro extremo se encontra quase tocando à orbita da Lua a 320 Mil kms de distância. Ver cá os detalhes deste IBEX…




Adolfo Araya


Australia

Portales magnticosé conectan al Sol con la Fila



Investigadores han descubierto 'portales magnéticos' que se están formando muy por arriba de la Tierra y que pueden conectar durante poco tiempo a nuestro planeta con el Sol. Estos portales no sólo son comunes sino que pueden estar formándose el doble de veces de lo que antes se esperaba.

Oct. 30, 2008: Durante el tiempo que le tome leer este artículo, algo ocurrirá muy alto, por encima de su cabeza; algo en lo que hasta hace poco tiempo muchos científicos no creían. Se abrirá un portal magnético que conectará a la Tierra con el Sol (150 millones de kilómetros o 93 millones de millas de distancia). Toneladas de partículas pueden fluir a través de la abertura antes de que ésta se vuelva a cerrar, más o menos cuando usted llegue al final de la página.
"Se llama evento de tranferencia de flujo o 'FTE' (por su sigla en idioma inglés)", dice el físico del espacio David Sibeck, del Centro Goddard para Vuelos Espaciales (Goddard Space Flight Center, en idioma inglés). "Hace diez años estaba muy seguro de que no existían, pero ahora la evidencia es incontrovertible".
De hecho, hoy Sibeck está contando a un grupo internacional de físicos del espacio, en el Taller de Plasmas 2008, que se lleva a cabo en Huntsville, Alabama, que los FTE no sólo son comunes, sino que posiblemente sean el doble de comunes de lo que cualquiera se haya podido imaginar.
Derecha: Concepto artístico del campo magnético de la Tierra conectándose con el del Sol —también conocido como "evento de tranferencia de flujo"— donde se observa una nave espacial cerca que sirve para medir partículas y campos. [
Imagen ampliada]
Hace mucho tiempo que los investigadores saben que la Tierra y el Sol deben de estar conectados. La magnetósfera de la Tierra (o sea, la burbuja magnética que rodea a nuestro planeta) está llena con partículas del Sol que llegan por medio del viento solar y penetran las defensas magnéticas del planeta. Dichas partículas ingresan siguiendo líneas de campo magnético que pueden ser rastreadas desde tierra firme a lo largo de todo el camino hasta la atmósfera del Sol.
Anótese aquí para recibir nuestro servicio de ENTREGA INMEDIATA DE NOTICIAS CIENTÍFICAS"Solíamos pensar que la conexión era permanente y que el viento solar podía fluir hacia el medio cercano a la Tierra siempre que el viento estuviera activo", dice Sibeck. "Pero estábamos equivocados. Las conexiones no son estables en lo absoluto. Generalmente son cortas, explosivas y muy dinámicas".
Varios oradores en el taller han explicado de manera general cómo se forman los FTE: En el lado de la Tierra que es de día (o sea, el lado más cercano al Sol), el campo magnético de la Tierra presiona contra el campo magnético del Sol. Aproximadamente cada ocho minutos, ambos campos se fusionan brevemente o se "reconectan", formando un portal a través del cual pueden fluir partículas. El portal toma la forma de un cilindro magnético que tiene más o menos el ancho de la Tierra. La flota Cluster (Cúmulo), que cuenta con cuatro naves espaciales, de la Agencia Espacial Europea (European Space Agency, en idioma inglés), y las cinco sondas THEMIS, de la NASA, han volado a través del portal y han rodeado estos cilindros, midiendo de este modo sus dimensiones y detectando las partículas que pasan. "Son reales", dice Sibeck.
Ahora que las naves Cluster y las THEMIS han tomado muestras de los FTE directamente, los investigadores pueden usar esas mediciones para simular FTEs en sus computadoras y predecir cómo se podrían comportar. El físico espacial Jimmy Raeder, de la Universidad de New Hampshire, presentó una de estas simulaciones en el taller. Raeder dijo a sus colegas que los portales cilíndricos tienden a formarse sobre el ecuador de la Tierra y después a desplazarse hacia el polo invernal de nuestro planeta. En diciembre, los FTE se desplazan hacia el polo norte; en julio, lo hacen hacia el polo sur.
Derecha: Una muestra de un corte transversal de un "portal magnético" o FTE tomada por la flota de naves espaciales de la NASA. [Imagen ampliada]
Sibeck cree que esto está sucediendo el doble de veces de lo que se pensaba anteriormente. "Creo que hay dos variedades de FTE: activos y pasivos". Los FTE activos son cilindros magnéticos que permiten que las partículas fluyan con bastante facilidad; son importantes conductos de energía para la magnetósfera de la Tierra. Los FTE pasivos son cilindros magnéticos que ofrecen más resistencia; su estructura interna no admite fácilmente un flujo de partículas y campos. (Para los expertos: los FTE activos se forman en latitudes ecuatoriales cuando el IMF -Interplanetary Magnetic Field o Campo Magnético Interplanetario, en idioma español- apunta hacia el sur; los FTE pasivos se forman en latitudes más altas, cuando el IMF apunta hacia el norte.) Sibeck ha calculado las propiedades de los FTE pasivos y está alentando a sus colegas a buscar señales de ellos en los datos proporcionados por THEMIS y Cluster. "Los FTE pasivos podrían no ser muy importantes, pero hasta que no sepamos más acerca de ellos no podemos estar seguros".
Hay muchas preguntas sin responder: ¿Por qué los portales se forman cada 8 minutos? ¿Cómo se tuercen y se enrollan los campos magnéticos dentro del cilindro? "Estamos pensando mucho sobre esto en el taller", dice Sibeck.
Mientras tanto, muy por arriba de su cabeza, un nuevo portal se está abriendo, conectando así a su planeta con el Sol.
Adolfo Araya
Australia

AVISTAMIENTOS DE SERES ANÓMALOS

Zona da Araucania No inverno de 1997 o senhor EJFP de 43 anos guarda de segurança em importante indústria em Malleco estava vigiando no setor 22 que corresponde a uma planta de água, distante 20 metros da planta principal, só e de turno de 15:00 a 23:00 hrs. Permanecia de pé cerca de um poste de luz numa esquina, já que não se conta com garita a noite estava escura céu coberto mas não llovía fazia o setor norte há um cerco de púas distante 10 metros de onde o estava. Às 21:15 hrs., chamo-lhe a atenção algo que estava imediatamente após ditos cerca de púas: era uma pessoa quieta, volta para ele, de estatura normal de uns a 70 metros completamente vestida de alvo. Não pode assegurar se eram vestimentas como túnicas ou não mas a distinguiu perfeitamente na semi escuridão reinante. Sobre saía a figura, sim chama-a pessoa é por que lhe distinguiu cabeça e braços. Como é seu dever, pois esta proibida que pessoas alheias à planta se aproximem alguns passos em sua direção. A figura não se moveu nem emitiu som nem palavra alguma. Justo nesses instantes chegou em lugar em camioneta o chefe direto, sem acompanhante. Deu-se volta para recebê-lo mas ao olhar onde estava essa pessoa já não visualizo sua presença. Não tinha arbustos ou árvores ali, onde pudesse se esconder, simplesmente desapareceu. Pela escassa luz não lhe viu olhos nem facções, nenhum detalhe, salvo que era de contextura delgada. Pergunto-lhe a seu chefe se tinha visto “isso” mas lhe contestou que não. Outros guardas de segurança que também efetuavam vigilância nesse setor já tinham comentado que em dito lugar se viam coisas raras que lhes chamavam a atenção. Dois meses após isto estando de turno uma noite entre 23:00 e 7:00 hrs., correspondeu-lhe efetuar vigilância no setor A Laguna que era um bosque distante 200 metros da planta principal. Somente portava uma linterna média mas levava-a apagada. Quase às 4:00 hrs. Da madrugada enquanto caminhava por um caminho que cruza dito bosque viu que uma silueta alta com forma de pessoa como de dois metros de altura se o venia acercando de frente pelo caminho. Era médio encorvada delgada que não para ruído ao caminhar, já que não escutou calcadas e quando esteve essa silueta como a quatro metros de o, saltou fazia seu custado esquerdo para se ocultar por trás de um pino e desde aí acendeu seu linterna e lhe enfocó o rosto, somente atinjo a percatarse que tênia dois olhos brilhantes não soube de que cor “mas não eram de uma pessoa”. Também não viu-lhe facções suas roupas eram completamente negras e sentiu a sensação de que o estava olhando. Ao sentir um medo extremo, deu média volta e correu até o caminho público distante uns 200 metros ficando ali até o amanhecer quando termino seu turno. Assegurou que lhe viu a forma de uma cabeça e com ombros, mas do susto sozinho atino de fugir agregou conhecer o caso de outro guarda que ao estar em presença desse ser alto e de olhos brilhantes, se desmaiou. No setor desta indústria conforme a casos que fazem em arquivos de pesquisador, nesse setor tanto dentro como nos arredores d a indústria ocorreram ao menos 6 casos como estes, e inclusive é freqüente o avistamiento de ovnis e até de uma grande escuadrilla com veículos como pontas de setas, que só emitiram ruído ao cortar o ar ao passar a não mais de 100 metros de terra. Fonte: Raúl Gajardo
http://noufa2.blogspot.com
Gracias a Rau Nuñez por esta informação.

Arqueólogos descobrem nova pirâmide no Egipto


Arqueólogos têm descoberto uma nova pirâmide sob o areias de Saqqara, um enterramento antigo site, que permanece largamente inexplorado e deram origem a uma seqüência de nos últimos anos revelou Pirâmides, Egipto antiguidades do chefe anunciou terça-feira. The 4,300-year-old monument most likely belonged to the queen mother of the founder of Egypt's 6th Dynasty, several hundred years after the building of the famed Great Pyramids of Giza, the country's antiquities chief Zahi Hawass said as he took media on a tour of the find. A 4300-year-old monumento mais provavelmente pertenceu à rainha mãe do fundador do Egipto da 6a dinastia, várias centenas de anos após a construção do famoso Grandes Pirâmides de Gizé, o chefe do país antiguidades Zahi Hawass disse que ele tomou mídia sobre uma turnê o de encontrar. The discovery is part of the sprawling necropolis and burial site of the rulers of ancient Memphis, the capital of Egypt's Old Kingdom, about 12 miles (19 kilometers) south of Giza. A descoberta faz parte da extensa necrópole local do enterro e governantes da antiga Memphis, a capital do Egito's Old Unido, cerca de 12 milhas (19 km) ao sul de Giza.
Advertisement

All that remains of the pyramid is a square-shaped 16-foot (5-meter) tall structure that had been buried under 65 feet (25 meters) of sand. Tudo o que resta da pirâmide é uma praça em forma de 16-pés (5-metros) de altura estrutura que tinha sido enterrada em 65 pés (25 metros) de areia. "There was so much sand dumped here that no one had any idea there was something buried underneath," said Hawass. "Havia tanta areia despejados aqui que ninguém tinha idéia que havia alguma coisa enterrada embaixo", disse Hawass. Hawass' team has been excavating at the location for two years, but he said it was only two months ago when they determined the structure, with sides about 72 feet (22 meters) long, was the base of a pyramid. Hawass' equipe foi escavação no local durante dois anos, mas ele disse que era apenas há dois meses quando se determinou a estrutura, com os lados cerca de 72 pés (22 metros) de comprimento, foi a base de uma pirâmide. They also found parts of the pyramid's white limestone casing - believed to have once covered the entire structure - which enabled them to calculate that the complete pyramid was once 45 feet (14 meters) high. Eles encontraram também partes da pirâmide do invólucro calcário branco - uma vez que se supõe ter coberto toda a estrutura - o que lhes permitiu calcular que a pirâmide foi concluída uma vez 45 pés (14 metros) de altura. The pyramid is the 118th discovered so far in Egypt. A pirâmide é a 118a descobertos até agora no Egipto. "To find a new pyramid is always exciting," said Hawass. "Para encontrar uma nova pirâmide é sempre emocionante", disse Hawass. "And this one is magical. It belonged to a queen." "E este é um mágico. Pertencia a uma rainha." Hawass said he believes the pyramid belongs to Queen Sesheshet, who is thought to have played a significant role in establishing the 6th Dynasty and uniting two branches of the feuding royal family. Hawass disse que ele acredita que a pirâmide pertence à Rainha Sesheshet, que se pensa ter desempenhado um papel significativo na definição do 6 º Dinastia e unindo dois ramos da família real feuding. Her son, Teti, is believed to have ruled for around 20 years until he was possibly assassinated, a sign of the time's turbulence. Seu filho, Teti, acredita-se que têm governado por cerca de 20 anos, até que ele foi assassinado possivelmente, um sinal dos tempos de turbulências. Evidence of the identification is still indirect. Provas de identificação ainda é indirecta. The pyramids of Teti's two wives, already discovered 100 years ago and in 1994 respectively, lie next to it as part of the burial complex alongside the collapsed pyramid of Teti himself. As pirâmides de Teti's duas esposas, já descobriu há 100 anos e em 1994 respectivamente, caber ao lado, como parte do enterro, a par do complexo desabou pirâmide de Teti próprio. The Egyptian team is still diging and is two weeks from entering the burial chamber inside the pyramid, where Hawass hopes they will find proof of its owner - a sarcophagus or at least an inscription of the queen, he said. A equipa está ainda diging egípcio e é a entrada de duas semanas o enterro no interior câmara a pirâmide, onde eles vão Hawass espera encontrar a prova de seu dono - ou, pelo menos, um sarcófago de uma inscrição a rainha, disse ele. "Finding anything more would be next to impossible, as robbers in antiquity looted the pyramid," Hawass added, pointing to a gaping shaft on the structure's top that remains a testament to the thieves' actions. "Encontrar nada mais seria quase impossível, como assaltantes a pirâmide saqueado na Antiguidade", Hawass acrescentou, apontando para um poço escancarado sobre a estrutura do início permaneça um testamento para que os ladrões "as acções. Dieter Wildung, head of Berlin's Egyptian Museum and a leading Egyptologists in Europe, said Hawass' claim is plausible because it was common in the Old Kingdom for kings to build pyramids for their queens and mothers next to their own. Dieter Wildung, chefe do Museu Egípcio de Berlim e um líder Egyptologists na Europa, disse Hawass' alegação é plausível porque era comum no Antigo Reino de reis para construir pirâmides para as suas rainhas e mães de família, ao lado da sua. "Hawass is likely right," Wildung, who is not involved in the dig, said in a phone interview. "Hawass é provável direito", Wildung, quem não está envolvido na escavação, disse em entrevista telefónica. These parallel situations give a very strong argument in favor of his interpretation. Estas situações paralelas dão um forte argumento a favor da sua interpretação. Joe Wegner, an associate professor of Egyptian archaeology at University of Pennsylvania who has been involved in other expeditions at Saqqara, cautioned that until inscriptional confirmation is found, it's still an educated guess that the pyramid is Sesheshet's. Joe Wegner, um professor associado de arqueologia egípcia na Universidade da Pensilvânia que esteve envolvido em outras expedições em Saqqara, advertiu que até confirmação inscriptional encontra-se, ainda é muito educados um palpite de que a pirâmide está Sesheshet's. Although evidence of the queen's existence was found elsewhere in Egypt in inscriptions and a papyrus document - a medical prescription to strengthen the queen's thinning hair - the site of her burial was not known. Apesar das evidências da existência da rainha foi encontrado em qualquer outra parte do Egipto em inscrições e um papiro documento - uma receita médica para reforçar a rainha do desbaste cabelo - o site do seu enterro não era conhecido. The find is important because it adds to the understanding of the 6th Dynasty, which lasted from 2,322 BC to 2,151 BC It was the last dynasty of the Old Kingdom, which spanned the 3rd millennium BC and was the first peak of pharaonic civilization. O importante é encontrar porque ele adiciona ao entendimento da 6 ª Dinastia, que durou de 2322 aC a 2151 aC Foi a última dinastia do Antigo Reino, que calibram o 3 º milênio aC e foi o primeiro pico de pharaonic civilização. Saqqara is most famous for the Step Pyramid of King Djoser, built in the 27th century BC Saqqara é o mais famoso para o Passo Pirâmide do rei Djoser, construído no 27o século BC Only a third of the Saqqara complex been explored so far, and recent digging has turned up a number of key finds. Apenas um terço do complexo Saqqara foi explorado até agora, e se transformou cavando recente de uma série de chaves encontra. The last new pyramid found there three years ago is thought to belong to the wife of Teti's successor, Pepi I. A última nova pirâmide encontrada ali há três anos, está pensado para pertencerem à esposa de Teti do sucessor, Pepi I. In June, Hawass' team unveiled a rediscovery at Saqqara - a pyramid believed to have been built by King Menkauhor, an obscure pharaoh whose pyramid was first discovered in 1842 by German archaeologist Karl Richard Lepsius. Em Junho, Hawass' equipe inaugurou uma redescoberta em Saqqara - uma pirâmide que se supõe ter sido construído pelo rei Menkauhor, um obscuro faraó cuja pirâmide foi descoberto pela primeira vez em 1842 pelo arqueólogo alemão Karl Richard Lepsius. But desert sands later covered the pyramid and archaeologists were unable to find Menkauhor's resting place until three months ago. Mas mais tarde cobertos areias do deserto pirâmide e os arqueólogos não foram capazes de encontrar Menkauhor do repouso até três meses atrás.


sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Científicos buscan agua en la Luna


La Luna continúa a ser una caixinha de sorpresas. A pesar de acompañar el planeta Tierra hay millones de años, este satélite aún tiene algunos secretos bien guardados. La posibilidad de existir agua en los polos lunares está a aguçar la curiosidad de los científicos de la NASA que preparan más una misión para intentar descubrir aquel que podrá ser el tesoro más valioso de la Luna: hielo.




La NASA prevé lanzar la sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) hasta al final de este año y tendrá como misión hacer un levantamiento topográfico de la superficie de la Luna para ahí instalar una futura base.


El tesoro, calculan los investigadores, estará escondido en las profundidades de una de las muchas crateras de la Luna que nunca vio la luz del Sol. Como este satélite no tiene una oscilação tan acentuada de su eje de rotação como la Tierra, hay zonas que están en permanente oscuridad hay millones de años.


"Si fuera verdad que hay agua en la Luna, crece la esperanza que, de aquí a unos veinte años, cuando existir la tan hablada base lunar, los astronautas puedan aprovechar ese recurso", comenta el astrónomo José Augusto Matos, añadiendo que se abren incontables puertas para la explotación espacial: "Además de poder ser útil para los astronautas, el hidrogénio y el oxígeno podrán ser utilizados en el combustible para las futuras naves espaciales, facilitando hasta una ida a Marte."


Sabiendo que la superficie de la Luna es más seca del que el desierto más árido de la Tierra y que no tiene atmósfera, los científicos presentan dos teorías para justificar la existencia de agua. Unos creen que el vapor de agua, llegado a la Luna por el impacto de cometas, ‘migrou' hasta a los polos, permaneciendo depositado en el fondo de esas crateras donde la temperatura puede descender a los 200 grados negativos. Otros defienden que el posible hidrogénio de la Luna continúa a llegar a través del viento solar, constituido mayoritariamente por ese gas.


"De una forma o de otra, la tecnología de extracción actual aún es muy insipiente. No conseguimos aislar esa agua y también aún no sabemos si ella existe. Lo que se consiguió observar hasta ahora son partículas que dan a entender que pueda haber hidrogénio en la Luna. Con tantas misiones previstas a la Luna, en breve vamos a saber", remata José Augusto Matos.


LRO ESTARÁ UN AÑO A La VUELTAS


La Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) deberá ser lanzada hasta al final de este año. De acuerdo con la NASA, su misión va a durar cerca de un año, periodo durante el cual va orbitar a la vuelta de los polos de la Luna a cerca de 50 kilómetros de altitud. Tal como las misiones Ranger, Lunar Orbiter y Surveyor, que prepararon el terreno para el éxito del programa Apollo, uno de los objetivos de la LRO es escoger locales seguros para alunar, identificar los posibles recursos lunares y estudiar los efectos de la radiação en los seres humanos.


La LRO es constituida por seis instrumentos que suministrarán la imagen más real de la Luna alguna vez recibida en la Tierra. Los más importantes son el LAMP y el LEND que irán a demostrar la existencia o no de hidrogénio o hielo a la superficie de la Luna. Las dos cámaras de vídeo de alta resolución van a quitar fotografías de los polos.


CLEMENTINA DA La PRIMERA DICA


Los primeros indicios de la existencia de hielo en la Luna surgieron con la sonda Clementina, lanzada en 1994. Los datos fueron contestados, debido a la fiabilidade de los valores.


BUENAS MEDIÇÕES DEL PROSPECTOR


En 1998, la NASA lanza a Lunar Prospector, cuyas medições no permiten concluir que los datos registrados son de hielo o de hidrogénio. La LRO irá a encontrar la solución.


HECHOS


LUNA 1


Lanzado por la Unión Soviética, la Luna 1 fue la primera nave espacial a aproximarse de la Luna. En 1959 estuvo a 5,995 kilómetros de la superficie lunar.


PROGRAMA APOLLO


Funcionó entre 1961 y 1972. Fue creado por el presidente de los EUA John F. Kennedy con el objetivo de colocar un hombre en la Luna. Durante 11 años, 12 hombres tuvieron la oportunidad de andar en la Luna. Neil Armstrong, en 1969, fue el primero.


4,5 MIL MILLONES DE AÑOS


La formación de la Luna habrá ocurrido hace 4,5 mil millones de años, resultado del impacto de un cuerpo celeste en la Tierra, esparciendo material suficiente en el espacio para formar la Luna.


ESCUDO PRECIOSO


La Luna funciona como un escudo de protección para el planeta Tierra, impidiendo el impacto de varias toneladas de poeira cósmica en la superficie terrestre.


"LABORATORIO INTERESANTE" (Máximo Ferreira, Astrónomo)


Correo de la Mañana – Cual la importancia de encontrar agua en la Luna?


Máximo Ferreira – La probabilidad de encontrarse agua o hielo no es muy elevada. A encontrarse agua será extremadamente importante para el posible mantenimiento de una base lunar y el hidrogénio para ser utilizado como combustible.


– Cuáles son los grandes desafíos?


– Si existir, es fundamental saberse en que cantidades. Si es suficiente para aprovisionar las futuras naves y la propia base.


– La NASA anda con grandes expectativas para la misión LRO.


– Cuando se parte para una misión nueva se crea expectativas. Pero tenemos siempre presente que hay un margen para la realidad no ser así como esperamos. Vamos a esperar que surjan datos nuevos que nos ayuden a comprender mejor la Luna y preparar nuevos viajes.


– Continúan a existir secretos por revelar?


– Sí, la Luna continúa a ser un laboratorio muy interesante. Se sospecha que los satélites naturales de los otros planetas sean muy semejantes a la Luna. Todo el conocimiento que consigamos retirar puede ser aplicado en el aprendizaje sobre lo que nos rodea.



André Pereira Periodico Correio da Manhã