Noticias

Loading...

terça-feira, 3 de março de 2015

OVNI sobre a Serra da Arrábida "Setúbal"!

Intrigante vídeo circula na rede social Facebook, com presumível observação de um Objecto Voador Não Identificado sobre a Serra da Arrábida "Setúbal".

A Serra da Arrábida ao longo dos anos tem instigado a visita de investigadores devido a observações aéreas anómalas.
Mistérios e histórias circundam esta misteriosa Serra onde fenómenos inóspitos têm decorrido ao longo dos anos.
Serra da Arrábida conta com um vasto leque de observações nos últimos anos como também um caso de possível abdução onde pai e filho, ambos pescadores perdem os sentidos após tentarem comunicar com uma misteriosa luz no mar enquanto pescavam.

Desta vez não se tratou de uma abdução ou lapso de tempo, mas sim de um registo em vídeo, realizado pelo Sr. Marco Rodrigues na companhia dos seus amigos.

Julga-se que o vídeo terá sido realizado na noite 2 ou 3 de Março deste corrente ano 2015.

"Eu sei o que vi e acredito e não sou maluco nem ando a delirar fica a dica para todos os que quiserem comentar se for para gozar serão removidos todos os comentários fica o aviso ( amanha estarei no forte da 7 bateria entre as horas 20:30 e as 23:00 na tentativa de ver novamente ) para quem não quiser aparecer pelo menos tentem dar uma olhadela na nossa serra durante esse período ( horas ) ........ ( Marco , Cláudia , SR Flugencio e Telmo)", conta Marco.



Marco ainda explica através de uma imagem qual a posição do objecto observado nas suas gravações.


Não se sabe concretamente o que as testemunhas observaram, porem Marco salienta ir a um local, onde a visualização será mais propicia para um melhor registo.
A observação desta luz já dura à alguns dias o que o deixa mais curioso.

A última observação terá decorrido junto ao antigo Quartel Militar da Sétima Bateria, na Arrábida, que entrou ao inactivo desde o ano 2000.
Marco juntamente com dois elementos da GNR, constataram duas luzes se movendo entre a Serra da Arrábida e Tróia, uma distância aproximada de 3 Km.
As luzes aparecem e aparecem de forma misteriosa noutro local em segundos.

"Desaparecia de um lado e aparecia em menos de 2 segundos por cima de Tróia visito da Serra começando a ficar mais longe a olho vimos 2 supostas aeronaves mais pequenas com luzes brancas fortes em direcção a sul de Tróia e a outra muito brilhante mudando de cores ficou parada no mesmo sitio durante 30 minutos acabando por ficar mais longe acabando por desaparecer aconteceu entre as 21:00 e as 23:00 da noite do dia 3/3/2015" conta Marco, que lamenta não ter equipamento para realizar um bom registo e que apela a quem na região possa ter equipamento necessário para registar estes eventos.
Na noite seguinte, 7 de Março 22:40h era observado um avião de linha a grande altitude a "piscar", quando o mesmo liga as luzes de aterragem, surge o misterioso objecto  a cima do antigo Quartel Militar 7 Bateria, na Arrábida de cor vermelha que desaparece numa questão de segundo.
Neste incidente foram registadas outras novas testemunhas, relata Marco.


Se tiver mais informações sobre este acontecimento, queira por favor entrar em contacto com o Ufo Portugal para procedimentos de investigação ( ufo_portugal@sapo.pt ).

Find us on Facebook - Oficial International Ufo Group

Press the image


Join us and shere information of the world

sábado, 28 de fevereiro de 2015

OVNI Identificado nas fotografias de Rita Redshoes


O surgimento de uma fotografia realizada pela cantora internacional Rita Redshoes na noite 22 de Fevereiro na cidade do Porto, fez gerar bastante controvérsia nas redes sociais sobre alegado OVNI !

Numa entrevista ao jornal p3.publico, foi mencionado que seria realizada uma investigação sobre a imagem realizada pela cantora, onde seriam colocados alguns procedimentos em curso a fim de se apurar a origem do objecto que até àquele momento ainda não se tinha encontrada uma resposta plausível.
Durante o decorrer das análise foram colocadas outras três fotos pela cantora na sua página pessoal Facebook que ajudaram a determinar o misterioso objecto triangular nas fotos.

Após muita especulação as respectivas imagens se encontravam sobre peritagem pela investigadora "Bibina Bryson" que nos oferece um resultado final, com conteúdo cientifico e credível.
Bibiana Bryson, conta com um longo e extenso currículo no mundo da investigação com a participação e resolução de casos extremamente delicados, a tornando numa perita em desvendar "fakes" ou más interpretações.
Durante essa peritagem o Ufo Portugal foi facultando a noticia, modificando o seu conteúdo histórico permitindo que o público pudesse acompanhar o desenrolar de toda a investigação até à sua conclusão final.
Assim funciona a nossa politica do "Disclosure".
Para ter uma percepção pressione nas imagens para melhores detalhes...



Este é um fenómeno natural criado pela lente da câmera vs luz, índice de refracção do vidro "da lente" e a forma em que a lente reside.
O índice de refracção é simplesmente a razão entre a velocidade da luz no vácuo e a velocidade da luz numa dada substância.

A distância descreve onde uma imagem em foco é formada.
Ela também pode ser descrita como o ponto onde os raios de luz passam a partir de um objecto distante converge e estão no foco.

Se a distância da imagem é positiva, a imagem é formada por detrás do plano focal (tipicamente uma lente convexa).
Se for negativa, a imagem está em frente do plano focal (tipicamente uma lente côncava).
Uma imagem negativa distância também é referido como uma "imagem virtual".

Neste caso a cantora foi atraiçoada pela luz do seu equipamento que fez refracção nas suas fotos, registando todo esse efeito ilusório.
Trata-se de uma casualidade em fotos nocturnas.
Rita menciona ver movimento nas suas fotografias!
E tinha razão ao ver movimento nas suas fotografias, isso se deve a ter movido também o seu equipamento que terá registado essa refracção de luz em todo o movimento panorâmico.

Demasiados crentes acreditam convictamente que se trata de um Objecto Voador Não Identificado, os mais cépticos de início indicaram a iluminação como causa do efeito na imagem, outros apontavam para diferentes efeitos com as mais diversas opiniões.

Nestes assuntos será importante deixar decorrer as investigações até conclusão final dos resultados e sua peritagem.
Uma outra foto que nos foi enviada de um diferente ângulo também apresenta uma explicação muito simples.


A fotografia realizada com uma câmera DSLR de alta resolução apresenta uma obturação lenta com a programação modo nocturno, o que permite registar algo como uma aeronave em movimento, deixando um simples rasto de luz na imagem mantendo toda a paisagem estática perfeita.

Mesmo mantendo a câmera em modo "AUTO" esta irá realizar uma leitura através do diafragma o que permite passar esta para modo nocturno.

Em todas as fotografias é possível saber o seu histórico o que facilita um pouco análise de toda e qualquer foto que nos chegue.
No caso da Rita Redshoes, sabemos que foi realizada por um telémovel e não por uma câmera fotográfica o que nos dificultou em demasiado uma análise mais exaustiva.

Nestes casos afirmar que o fenómeno é A, B ou C, sem apresentar uma prova do que afirma se baseando numa simples teoria, apresenta uma total falta de conhecimento, quer do fenómeno, fotografia e no tipo de investigação que se faz na área da Ovnilogia.

São teorias infundadas sem meios comprovativos que afundam o estudo quando este deve ser levado com muita seriedade até conclusão final.
No quotidiano geral, e no grau elevado do cepticismo sobre o fenómeno OVNI se alega que não é OVNI porque sim, sem uma simples justificação dessa afirmação!

Ponto crucial...
No dia anterior 21 de Fevereiro, era observado um objecto voador com formato triangular.
No mesmo dia em que Rita Redshoes realiza a inóspita fotografia "Domingo 22 de Fevereiro", um outro objecto com formato triangular é registado entre outros relatos que nos deixam intrigados com todo o sucedido, como foi com o registo de Coimbra e um outro em Almada.

P3.Publico.pt

Texto de Amanda Ribeiro.

Rita Redshoes: não é um OVNI, foi um “flare”
Investigação do grupo UFO Portugal concluiu que os três pontos luminosos, captados pela cantora numa fotografia no Porto, resultam da refracção da luz dos candeeiros da rua sobre a lente.

Pois é, depois de meia Internet revolvida, comentário acima, insulto abaixo e alguma falta de humor pelo meio, já há conclusões — parece que Rita Redshoes não está mais perto de ser abduzida.

Os três pontos luminosos que a cantora captou, involutariamente, numa fotografia tirada no Porto já foram identificados pelo UFO Portugal. Findo o processo de averiguação, a conclusão aponta para um "lens flare".
Ou seja, trata-se da "refracção da luz dos candeeiros da rua sobre a lente da câmara", explica Nuno Alves, que estava encarregado pela investigação dentro do grupo.

Uma resultado que, sublinha o ovnilogista, já poderia ser induzido a partir da análise das três fotografias originais que Rita publicou na sua página de Facebook na quarta-feira passada (à esquerda).
A confirmação veio com a terceira da sequência, a única que capta os dois candeeiros que estão no passeio, duplicando também os pontos luminosos no negro do céu.
E a análise dessa imagem da argentina Bibiana Bryson, "uma das peritas mais importantes da ovnilogia mundial" que trabalha com o UFO Portugal em certas discussões, deu a certeza.

Nuno só lamenta que todas as fotografias não tenham sido conhecidas mais cedo.
"Tornou-se mais fácil provocar a confusão", diz, referindo-se às inúmeras reacções e críticas recebidas, sendo que algumas já apontavam para este e outros resultados semelhantes.
Nuno defende-se, valorizando a procura de provas conclusivas: "Quando existem estas situações, é importante aguardar um pouco e esperar conclusões fundamentadas."


Conclusão: ainda não é desta que Rita Redshoes vai embarcar na desejada "tour" intergaláctica.
Certo é que aquela fotografia acabou por ter mais "likes" do que qualquer outra na sua página — já dizia o gato.

Luzes em Ceres e 6 Ovnis na Suiça 19.02.1015

No dia 19.02,2015 a sonda Dawn fotografou duas emissões de luz à superfície de Ceres. Nesse mesmo dia ás 21h40, foi observado em Ollon - Suiça, dois objectos vindos do espaço, a uma velocidade extremamente reduzida numa uma formação sincronizada, desaparecendo subitamente ao momento que reduziram a sua velocidade praticamente a zero. Foram observados por cerca de 20 segundos. O objecto da frente, tinha uma dimensão superior.
Após esta observação, sensivelmente 5 minutos, 3 objectos estacionários emitiram vários flashs de cor branca/azul, por vários segundos.


Talvez pura coincidência ou mero azar, os 2 objectos observados, são semelhantes em observação, ás imagens captadas pela sonda Dawn, assim como a data do 19.02.2015 a que foram observados.



Objectos observados  Junho a Agosto de 2013, semelhantes aos observados no dia 19.05.2015



Video https://www.youtube.com/watch?v=Ix01Eguzh68

Logo após esta observação das 21h40, contactei o Nuno Alves, a lhe relatar o acontecimento, algo que já observara durante os meses de Junho a Agosto de 2013. Estes 2 objectos estavam presentes durante as observações feitas por centenas de pessoas, que ocorreram em todo o território nacional. Estes objectos eram observados a curtos espaços de intervalo, que podiam ocorrer de 10 minutos a 2 horas, várias vezes durante a noite. A sensação de «déjà-vu» me indicara que algo se iria passar nessa noite e alertei para estarem atentos ao céu.

Não tendo a câmara e o restante material pronto gravar as imagens e sobretudo não ter tido como objectivo uma vigília para aquela noite, somente apenas para o dia 21.02.2015, para a vigília da Operação Suricate, resolvi ir para casa e me ir deitar.
Às 23h30, a pessoa que reside comigo, saiu para fumar um cigarro, quando ás 23h40 observa ao horizonte a SW, uma luz laranja, que inicialmente lhe sugere um avião de linha, derivado aos flashs emitidos, mas estranhamente de cor laranja. Quando a estrutura deste objecto se torna observável, pôde ver que este tinha uma estrutura de forma de trapézio, com 4 luzes na parte da frente e uma na retaguarda. Os ditos flashs, eram uma fonte de luz que emitia raios « como electricidade » de cor laranja sobre toda a estrutura do objecto, até ao ponto de luz situado na retaguarda, de forma sequencial. O objecto tinha uma cor cinzento-escuro, não emitiu qualquer ruído, se dirigindo de SW para NE, atravessando grande parte da França, Suiça e Áustria, com uma trajectória linear.
Este objecto, estranhamente, também é semelhante em estrutura ao objecto superior a 1000 métros, observado em Peniche, Leiria e Ourém, em Agosto de 2013.



Operation Suricate 23h40:  http://cercles-suricate.e-monsite.com/cerclesuricate/alerte-p-a-n/ovni-pan-suisse-canton-de-vaud-19-02-2015-n-2.html#kXCuvDI4aDzZlph5.99



O dia 19.05.2015, foi um dia repleto de observações, como volto a escrever, talvez seja uma coincidência ou mero azar, ou talvez tudo simplesmente faça parte do mesmo, em todo o caso algo ocorreu nessa noite, nas minhas observações vos relato a verdade, espero que a Nasa com as imagens de Dawn faça de mesmo, mesmo que não se trate hipoteticamente de erupções vulcânicas á superfície de Ceres. 

Um grande abraço

Carlos Lopes

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Há duas luzes em Ceres que a NASA não consegue explicar

À medida que a sonda Dawn se aproxima, o planeta anão torna-se cada vez mais enigmático. Na última foto enviada, surgem dois pontos de luz que os cientistas não sabem identificar.

A sonda Dawn, em missão de descoberta ao planeta anão Ceres, está cada vez mais próxima do seu alvo.
Mas, à medida que a distância diminui, aumenta o mistério em torno de Ceres, o maior objeto da cintura de asteroides entre as órbitas de Marte e Júpiter.
A sua composição e características geológicas são desconhecidas e os cientistas da NASA esperam conseguir obter informações mais precisas quando a Dawn entrar em órbita de Ceres, no próximo dia 6 de março.
Mas, por agora, as fotografias enviadas pela sonda estão a intrigar os investigadores, que não conseguem perceber o que lhes tem sido dado a ver.
A última imagem de Ceres, que foi capturada pela Dawn no dia 19 de fevereiro a cerca de 46 mil quilómetros de distância do planeta anão, mostra dois pontos brilhantes, um deles de maior dimensão, que os cientistas não são capazes de identificar.
Em comunicado divulgado pela NASA, o investigador responsável pela câmara da sonda, Andreas Nathues, explicou que "o ponto mais brilhante continua a ser demasiado pequeno para ser captado com alguma resolução, mas apesar do seu tamanho brilha mais do que qualquer outro objeto visível em Ceres.
Isto é realmente inesperado e permanece um mistério para nós".
Inicialmente, a câmara da Dawn detetava apenas uma luz brilhante, surgindo depois um novo foco de luz, mais pequeno, bem ao lado do primeiro. Para Chris Russel, investigador principal para a missão da Dawn, este facto pode indicar que ambos os pontos têm origem vulcânica, mas é necessário esperar por imagens com melhor resolução que permitam confirmar - ou não - estas interpretações geológicas.

Crédito

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

OVNI / UFO aparece em filmagem da missão Apolo 10, de 1969

Aqui está um vídeo que não pode ter sido forjado, pois vem diretamente da NASA e foi filmado em maio de 1969.
Na marca de 1 minuto do vídeo, um objeto aparece subindo verticalmente e em velocidade constante no lado esquerdo da tela, aparentemente passando longe da cápsula espacial.
É claro, ninguém pode afirmar que tenha sido um objeto extraterrestre, mas mesmo assim, como não foi identificado, ele é mesmo um OVNI (Objeto Voador Não Identificado).

Veja:

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Cientistas abismados com "semente metálica espacial"

Cientistras descobriram minúscula esfera metálica que poderá ser uma espécie de semente enviada por aliens para propagar novas formas de vida na Terra.

Um grupo de cientistas das universidades de Buckingham e de Sheffield, na Inglaterra, descobriu uma minúscula esfera metálica que, consideram, poderá ser uma espécie de semente enviada por alienígenas para propagar novas formas de vida na Terra.

Não é uma teoria nova e, se pensarmos bem, faz todo o sentido que assim seja.
Tal como as sementes de uma planta são transportadas pelo vento para as levar a pontos distantes no planeta, é possível que espécies extraterrestres funcionem dentro da mesma lógica, para se propagarem pelo universo.
Nós próprios, podemos ser descendentes de uma espécie extraterrestre que chegou a este planeta da mesma forma.

Why not?

A esfera colidiu com um balão que os cientistas tinham enviado a uma altitude de 27km e, segundo os especialistas, a velocidade a que a colisão se deu é prova de que a esfera veio do espaço, ou seja, estava a entrar e não a sair da Terra.

O interior continha um líquido biológico viscoso, que possivelmente continha material genético e escorria para fora através de um orifício.
Os investigadores alegam que nunca nada parecido tinha sido encontrado na Terra, ou pelo menos nunca tinha sido divulgado publicamente.

“É uma bola de diâmetro comparável ao de um cabelo humano, que tem vida filamentosa na parte externa e um material biológico espesso a escorrer do centro”, explicou Milton Wainwright do Centro de Astrobiologia da Universidade de Buckingham.

Depois de terem realizados vários testes, os cientistas descobriram que a esfera era composta por titânio e vanádio.
A teoria desenvolve-se na hipótese de que “a esfera tenha sido enviada por alguma civilização desconhecida”, especulou Milton Wainwright.

Já em 2013 o investigador tinha afirmado à BBC que a sua invetigação sugeria que a Terra é constantemente bombardeada com micróbios vindos do Espaço, que chegam em cometas e meteoros.