Noticias

Loading...

segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

Desrespeito total: Força Aérea libera lote de documentos sobre extra-terrestres, mas esconde seu passado de tortura e assassinatos durante a Ditadura Militar

A comunidade ufológica brasileira está em festa.
Depois de anos de espera, eis que o governo e as Forças Armadas acabam de liberar o terceiro e talvez mais importante lote de documentos “secretos” a respeito de supostas aparições de óvnis (objetos voadores não-identificados) em território nacional.
O conjunto inclui dois relatórios estatísticos, além de filmes e gravações. A liberação dos documentos tinha sido exigida por 500 terráqueos que se reuniram no 4º Fórum Mundial de Ufologia, que aconteceu em dezembro de 2012 em Foz do Iguaçu (PR).
Segundo o editor da revista especializada “Ufo” e organizador do fórum, Ademar José Gevaerd, “não há motivo para os relatos acerca de aparições ufológicas terem tratamento restritivo”.
Pelo relatório estatístico elaborado em 2001, fica-se sabendo que a Aeronáutica catalogou 662 casos de aparições de objetos voadores não-identificados, entre os anos 1954 e 2000. E que os anos de glória da ufologia nacional foram 1977 e 1978, em que se registraram 85 e 63 aparições, respectivamente.
Mas tem muito mais:
– Descobre-se que as naves espaciais alienígenas tem estranhos hábitos notívagos. Nada menos do que 77,4% das aparições ocorreram entre 18h e 5h59.
– Que o Estado que mais viu óvnis foi o Pará, que sozinho registrou 133 casos. Em São Paulo, foram 97.
– Que 214 óvnis apareceram na forma de luz. Apenas 28 tinham a forma celebrizada pelos filmes de ficção cientítica, aquela com aparência de um chapéu amassado.
A Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) pretende usar os dois relatórios para solicitar, com base na Lei de Acesso à Informação, o “inteiro teor de todos os casos listados”, já que se supõe que cada uma dessas alegadas aparições possa ter gerado relatórios, gravações, filmes e fotografias.
É longo o histórico de cooperação entre a FAB e a ufologia, um campo de interesses dado a reunir gente com imaginação além do habitual. Desde 1954, a Aeronáutica já discutia assuntos ufológicos com a Comissão de Investigadores sobre Discos Voadores. Em 1969, um órgão oficial foi criado para estudar o assunto, o Sioani (Sistema de Investigação sobre Objetos Aéreos Não-Identificados). Em 1986, o então comandante da Aeronáutica produziu o “aviso secreto 001”, transferindo para o Comdabra (Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro) a responsabilidade de reunir todos os relatos de óvnis.
Ao Fórum de Ufologia de Foz do Iguaçu, a Aeronáutica até enviou um representante oficial, o capitão Herbert Filgueiras. Para muitos dos participantes, foi a chancela definitiva, o selo de qualidade que faltava na crença de que, afinal, “não estamos sós”...
A abertura dos “arquivos X” da Força Aérea já produziu descobertas sensacionais, como aquela que foi garimpada entre as milhares de páginas liberadas em 2009. Trata-se de oito páginas, todas com o carimbo de “Confidencial”, que compõem um tal “Relatório de Ocorrência de 2 de junho de 1986”, assinado pelo brigadeiro-do-ar José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, comandante interino de defesa aérea do então Ministério da Aeronáutica.
O documento relata minuto-a-minuto a aparição de uma suposta esquadrilha de óvnis voando em velocidades subsônicas e supersônicas, além de se manter em "voo pairado" sobre a cidade de São José dos Campos (a 94 km de São Paulo). Toda a movimentação dos 21 objetos teria sido acompanhada por radares e visualizada pelo operador da torre de controle aéreo de São José.
O avião Xingu prefixo PT-MBZ, que passava pela região no mesmo momento, e que levava a bordo o então presidente da Petrobras, coronel Ozires Silva, também teria visualizado a tal esquadrilha... Seu depoimento enche de coragem todos os que são acusados de loucos ao relatar um avistamento:
– Quando nos aproximávamos de São José dos Campos, a bordo do avião Xingu PT-MBZ, Brasília pediu para observarmos alguns pontos que estavam sendo detectados pelo radar, e que não estavam registrados como vôos regulares dentro daquela área.

– Na altura de 600 metros, vimos pontos luminosos, de cor laranja-vermelhado, com brilho muito intenso.

– Tentamos nos aproximar das luzes, mas desistimos. As luzes apagavam e acendiam em lugares diferentes. Observamos variações muito rápidas de velocidade.

– As luzes tinham presenças reais, eram alvos primários no radar, alvos positivos, uma coisa concreta.

– Se não fosse detectado pelos radares, eu não teria falado nada.

– Está registrado em fitas pelo radar.

– Não consegui identificar nada.
As conclusões do Relatório de Ocorrência também são estimulantes:
“Este Comando é de parecer que os fenômenos são sólidos [ou seja, não apenas luminosos] e refletem de certa forma inteligência, pela capacidade de acompanhar e manter distância dos observadores como também de voar em formação, não forçosamente tripulados”.
Uau! Vem coisa muito louca por aí.
Agora, compare a atitude da Aeronáutica que faz um relatório como esse e o libera para consulta (apesar do risco de cair no ridículo) e a mesma Aeronáutica, que nega qualquer informação sobre o que ocorreu nas suas dependências durante a caçada aos “inimigos políticos” do Regime Militar implantado no Brasil entre 1964 e 1985.
A Comissão Nacional da Verdade, encarregada de apurar os crimes contra os Direitos Humanos cometidos pelo Estado Brasileiro, havia solicitado à Marinha, ao Exército e à Aeronáutica que lhe enviassem informações sobre abusos ou irregularidades que ocorreram em suas unidades durante a Ditadura.
(É mais do que notório, para ficar em apenas um exemplo, que o militante Stuart Jones, filho da estilista Zuzu Angel, foi preso, torturado e assassinado na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro.)
Pois não é que a arma chefiada pelo mesmo tenente-brigadeiro-do-ar Juniti Saito, que cumula os ufólogos de gentilezas, teve a desfaçatez de produzir um relatório de 145 páginas em que, depois de incrível enrolação, incluída a história da aviação praticamente desde Santos Dumont, ousa desafiar a inteligência nacional?
“Não houve desvirtuamento do fim público estabelecido para a Base Aérea do Galeão, no período em questão, que pudesse configurar desvio de sua atividade regulamentar. Respeitosamente, Juniti Saito, Comandante da Aeronáutica.”
Respeitosamente? Juniti Saito pode entender muito de extra-terrestres (e isso diz mais sobre sua mente do que sobre a existência dos pobres ETs), mas nada entende de seres humanos, de humanidade ou de respeito.

Fonte

sábado, 2 de Agosto de 2014

Aglomerado de estrelas a deslocar-se "Portugal"

Os relatos não param de chegar ao Ufo Portugal, onde luzes "estrelas em movimento" são a principal observação das testemunhas, espalhadas um pouco por todo o país e ilhas.
Os relatos em suma são referentes ao Mês de Julho expecto o caso da Ilha da Madeira que está referente ao Mês actual "Agosto".
Desta forma partilhamos os relatos e observações avançadas pelas testemunhas sobre as suas ocorrentes observações.

Relatos...

Madeira - Hoje (03-08-2014) por volta das 00:15 observei no céu uma série de luzes cintilantes.
Não sei precisar o número, mas eram seguramente uma centena delas. Inicialmente estavam relativamente agrupadas e deslocavam-se de Sul para Norte.
Posteriormente, desagruparam-se até que deixei de as conseguir observar.
Este fenómeno demorou cerca de 25 minutos.
Realizei dois vídeos, mas como a câmara não possui muita resolução não é perceptível o fenómeno.
Como verifiquei, que existem relatos similares no vosso blog, decidi enviar-vos o meu testemunho, observado por mais duas pessoas que se encontravam comigo.
Gostaria ainda de perguntar se já existem explicações para o sucedido.

Catarina Ferreira

Lisboa - Olá boa tarde,
tinha enviado um e-mail ao Instituto de Astronomia, mas até agora ninguém respondeu.
Uma vez que aquilo que vimos foi tão espectacular fiz uma pesquisa na net como aglomerado de estrelas a deslocar-se e encontrei no vosso site quase que uma resposta e a certeza que mais pessoas têm visto o que nós vimos na noite de 26 de Julho pelas 23h00-23h30 (seguramente depois das 23h00).
Espero que vocês me respondam!

Este é o nosso testemunho:

Podemos também afirmar que não eram estrelas cadentes ou chuvas de estrelas, balões leds, fogo de artificio...

Nesta noite de sábado (26 de Julho) pelas 23h20 mais ou menos e o fenómeno terá durado ainda uns bons 15 minutos, o céu estava limpo e com algumas estrelas.
No terraço da minha irmã (Penha de França/Sapadores) temos uma ampla visão do céu.
Mas de repente o céu, literalmente por cima das nossas cabeças, ficou cheio de estrelas (mais baixas pareceram,creio eu, que as estrelas...digamos...normais).
Mas quando digo cheio é mesmo cheio.
O alerta foi dado pela minha sobrinha Sofia que insistia para irmos ao terraço ver porque ela achava que não estava "a ver bem"!

Um arrastão delas e em movimento creio que na orientação oeste -este.
Mas além de uma beleza estonteante de nos deixar deslumbrados, espantados, enfim, sem palavras,piscavam com grande intensidade e uma ou outra fazia movimentos rápidos e a luz dessas ia diminuindo à medida que se deslocavam rapidamente.

Também o mais estranho é que apesar de se estarem a deslocar e olhando na direcção para onde iam (mais ao longe), não havia uma continuação. Desapareciam.

Ficaram para o fim duas dessas luzes em paralelo, avançaram e depois desapareceram.

Tivemos depois a ver se havia alguma notícia sobre o assunto nos telejornais mais tardios, mas nada. Não é possível que só nós tenhamos assistido!

Tentámos filmar com o telemóvel, mas não aparece nada. Só escuro, nada.

Desconhecendo assim o fenómeno a que assistimos gostaríamos de saber o nome (?) para este acontecimento, que creio ter sido um daqueles raros momentos de sorte de estarmos no sítio certo na hora certa.

Testemunhas : Família Özkaplan (Sílvia/Nail/João - 7 anos/ Pedro - 6 anos) e Família Santos (Cristina/Luís/Marta(15 anos) e Sofia (12 anos).

Sílvia

Guimarães - Venho por este meio relatar um avistamento de um Objecto Voador Não Identificado, em Souto de Santa Maria (Guimarães, Portugal)
Por volta das 23.00 horas da passada 6a feira, estávamos os dois ao ar livre, a apreciar os encantos de mais uma noite de verão maravilhosa, numa propriedade em Souto de Santa Maria, em Guimarães.
A dada altura a minha mulher chama-me, apontando para o céu, dizendo "olha, olha pr'aquilo!" (Disse-me mais tarde que "algo" a fez olhar para trás e olhar naquela direcção.)
Olhei de imediato e vi o que me parecia ser fogo de artificio, daqueles pouco intensos do tipo estrelitas a cair, cintilantes.
Lembro-me de ter pensado de imediato "que bonito... adoro fogo de artificio!".
Após alguns segundos de observação detectei algo de estranho nesse "fogo de artificio": não caía!
E percebi então que não poderia ser fogo de artificio.
As luzes, cerca de 30, talvez mais, piscavam alternadamente, a cada segundo aproximadamente, sem padrão aparentemente visível.
Quando vi pela primeira vez, tinha uma forma alongada, ligeiramente mais larga no centro, vertical.
Com o passar do tempo essa forma foi-se achatando, transformando-se numa forma mais arredondada, ate que se converteu numa forma mais próxima de uma banana ou boomerang, já na horizontal.
Do nosso posto de observação, as luzes estavam a sul, a uma altitude aproximada à de um avião voando a alta altitude, e a intensidade das luzes similar às das estrelas mais cintilantes que se podem avistar no céu. Depois foi-se afastando para sul/sudoeste, de forma lenta, numa trajectória aparentemente ascendente, com a intensidade da luz a diminuir lentamente, ate que desapareceram por completo.
O esquadrão de luzes estaria ligeiramente a leste do eixo traçado entre Souto de Santa Maria e Guimarães, deslocando-se depois, numa trajectória mais ascendente, para sul/sudoeste.
O tempo de avistamento terá durado entre 5 a 7 minutos, tendo terminado por volta das 23.30.
Nuno. T

Arcos de Valdevez - Quero partilhar convosco um fenómeno, no mínimo estranho, que tive a sorte (?) de partilhar com a minha esposa e uma cunhada.

O fenómeno ocorreu no céu, em Arcos de Valdevez, cerca das 23 horas. O dia esteve muito quente e àquela hora estavam cerca de 22º C.
Minha esposa gosta imenso de observar as estrelas e ontem deparou-se com um fenómeno estranho, e chamou-me para o ver também.
Olhando para leste, viram-se imensas ( não sei quantas, mas umas dezenas ) de luzes que piscavam , a grande altitude, e deslocavam-se como em formação para oeste.

Passados talvez 5 minutos já tinham percorrido uma distância enorme e nessa altura alteraram a sua rota para sul, acabando por desaparecer.
Posso salientar que as distâncias entre elas eram constantes assim como a velocidade a que se deslocavam.

Gostei, e como já pensava que não nos encontramos sozinhos nesta universo, isto foi a sua confirmação.

Raul Costa

Serra da Gardunha - Sou Emigrante na França tenho 20 anos e estou cá a passar as minhas ferias,mas esta noite fui seguido por uma bola de luz azul por mais de 5 quilómetros na serra da Gardunha a vir de Castelo Branco Para o Fundão, depois foi em direcção da serra da estrela, foi o maior susto da minha vida, no fim de semana passado tinha ouvido uma conversa entre uns velhotes que virão umas luzes estranhas na serra a noite, será que era o mesmo que eu vi?
Será que por ai mais pessoas que virão o mesmo que eu?

Se observou ou registou o fenómeno em fotografia ou vídeo entre em contacto connosco ufo_portugal@sapo.pt

Enquanto as observações em Portugal, também curiosamente no dia 26 de Julho sobre Milão Itália era registado o seguinte vídeo em plena luz do dia.


domingo, 27 de Julho de 2014

Luzes observadas novamente em Portugal

Testemunhas voltam a observar estranhas luzes.
Não sabendo a sua origem as testemunhas descrevem as luzes como algo incomum, fora do vulgar perante os seus conhecimentos.

Aroeira
Ontem por volta das 00:30h também pude observar na zona da Aroeira o mesmo fenómeno constatado no vosso blog.
Olhei para o céu e observei um conjunto de luzes que se seguiam em linha estas mesmas cintilavam umas entre outras...e parecia deslocarem se ao mar...estava com mais uma pessoa que pode afirmar o mesmo.
Nunca tinha avistado tal coisa e fiquei deslumbrada.

Bom Jesus
O Fenómeno apareceu há pouco, perto do Bom Jesus, às 00:23h.
Estava com 2 amigos e ouvíamos fogo de artifício mas sem ouvir pois parecia distante.
Quando começo a ver luzes a piscar e aviso-os que o fogo estava ali.
Pensei para os meus botões é ainda está a rebentar e este é daqueles foguetes que duram muito tempo.
Mas estranhamente os foguetes não desciam.
As luzes piscavam e cintilavam rapidamente.
Até que alguém disse aquilo é muito estranho.
As luzes piscavam e aproximavam-se lentamente, começaram a tomar outra forma.
Ao todo eram 7 luzes: 3 à frente, depois 2 e atrás outras 2. Moveram-se para outra sentido depois formaram meio circulo e aos poucos as luzes começaram a ficar menos intensas.
Depois ao lado das luzes observei que havias uma nuvem se outra luzes mais fracas parecia centenas.
Ao que parece algumas piscavam ao pares, duas próximas muito juntas.
Durante este tempo - cerca de 15 min - tentei tirar fotos e fiz vários vídeos, mas não tinha resolução suficiente.

Gostava de saber algo mais sobre isto ou se outras pessoas também o viram, ou têm melhores vídeos.

Sintra
Ola boa tarde, ao tentar perceber o que vi ontem a noite ( 25/7/2014 ) encontrei o vosso site.
Reparei que houve mais avistamentos desta luzes intermitentes o ano passado na zona do porto.
Ontem por volta das 23:30 em Trajouce/Sintra, ao passar numa zona de fabricas, céu descoberto e com iluminação, deparei-me com as tais luzes intermitentes, entre 20 a 30, não muito longe do solo.
Sobrevoava em sentido contrario ao meu, foi então que dei a volta ao carro e segui a sua direção que seria para o mar.
Tentei filmar mas sem sucesso e acabaram por desaparecer
Já se conseguiu perceber do que se trata?

Ufo Portugal
Não existe uma certeza, devido a não possuirmos imagens do que foi observado.
As imagens podem ajudar a identificar o que foi observado pelas testemunhas.
Inicialmente julgamos serem balões leds.
Estes são libertados durante eventos festivos com maior frequência nos "Fins de semana e feriados".
Porem bem recentemente em Curitiba Brasil, Knittelfeld Austria e França, o mesmo fenómeno era observado apresentando as mesmas caracteristicas.
Ficamos aguardar por imagens que nos ajudem a decifrar mais esta observação realizada por várias testemunhas afastadas por mais de 780 quilómetros entre elas.
Enviem as vossas imagens para ufo_portugal@sapo.pt



Este fenómeno ocorre um pouco por todo o mundo e não se trata em todos os casos de balões leds ou metereologicos!
Em muitos dos casos existem cientistas a tentar decifrar estas misteriosas aparições que até ao momento não apresentam uma explicação racional.
Somente com ajuda de imagens será possível se poder chegar a um consenso.

Vídeo envido pela testemunha Raul Costa.
Registo dia 26 de Julho.

video

Em breve iremos adicionar mais informação e outros relatos que nos chegaram via e-mail ufo_portugal@sapo.pt

quinta-feira, 24 de Julho de 2014

Escala de Hynek

PRIMEIRO GRAU

O avistamento de um ou mais objetos voadores não identificados:

Discos voadores;
Luzes estranhas;
Objetos voadores não identificáveis como feitos pelo homem.

SEGUNDO GRAU

Observação de um OVNI associada a outras percepções:

Calor ou radiação;
Danos ao terreno;
Círculos nas plantações;
Paralisia (catalepsia);
Animais assustados;
Interferência no funcionamento de máquinas;
Perda de memória associada ao encontro com o OVNI.

TERCEIRO GRAU

É a observação que Hynek classificou como a de "seres animados" em associação com os OVNIs. Hynek deliberadamente escolheu o termo vago "seres animados" de modo a descrever os supostos seres sem fazer qualquer julgamento de valor de como eles seriam. Hynek não necessariamente especificou esses seres como sendo "extraterrestres" ou "alienígenas". Ainda, ele manifestou desconforto com os relatos existentes, mas sentiu-se obrigado a incluir a categoria para representar esta minoria que afirma ter tido os encontros.

A escala original de Hynek vai somente até o terceiro grau.

O pesquisador de OVNIs Ted Bloecher propôs uma escala de seis subtipos de encontros de terceiro grau da escala de Hynek:

(A) uma entidade é observada apenas dentro do OVNI;
(B) uma entidade é observada dentro e fora do OVNI;
(C) uma entidade é observada próxima ao OVNI, mas nem entrando nem saindo dele;
(D) uma entidade é observada e nenhum OVNI é avistado, mas atividades de OVNIs são relatadas na mesma área e momento;
(E) uma entidade é observada e nenhum OVNI é avistado, e nenhuma atividade OVNI é relatada naquela área naquele momento;
(F) nenhuma entidade ou OVNI é observada, mas o alvo experimenta alguma forma de "comunicação inteligente".

QUARTO GRAU

Um ser humano é abduzido por um OVNI ou seus ocupantes.

Jacques Vallée, que trabalhou com Josef Allen Hynek, argumentou que um encontro do quarto grau deveria ser descrito como um caso onde "o observador passa por uma experiência de transformação de seu senso de realidade", de modo a incluir casos de não-abdução taxados de simples alucinação ou sonho.

QUINTO GRAU

Descrita por Steven M. Greer engloba encontros onde há comunicação bilateral, espontânea, voluntária e proativa entre o observador e inteligência extraterrestre. A definição é similar aos relatos da década de 1950, onde pessoas afirmaram manter uma comunicação regular com alienígenas benevolentes.

A natureza desta comunicação bilateral e deliberada é geralmente tida como (mas não necessariamente deve ser) telepática. O alvo geralmente diz não ter quaisquer super habilidades psíquicas prévias. Ao contrário da crença geral, nem todos os alvos identificam a fonte como sendo de origem extraterrestre, mas simplesmente de um mundo diferente do nosso.

SEXTO GRAU

O ufólogo Michael Naisbitt propõe que o cenário do encontro de sexto grau existe quando um incidente com um OVNI provoca diretamente ferimentos ou a morte. Esta categoria tem sido considerada redundante, uma vez que a escala original de Hynek descreve o segundo grau como um encontro que deixa uma evidência física de qualquer tipo.

SÉTIMO GRAU

O Black Vault Encyclopedia Project propõe um encontro de sétimo grau como sendo um acasalamento entre um ser humano e um ser extraterreste, produzindo um ser híbrido. O conceito é similar ao proposto pela teoria dos astronautas antigos como Erich Von Däniken, Zecharia Sitchin e Robert K. G. Temple, onde extraterrestes interagiram e possivelmente influenciaram seres humanos no passado. 4

O conceito deste sétimo grau não combina com os conceitos originais de Hynek, que especificamente evitou descrever os ocupantes dos OVNIs como "alienígenas" ou "extraterrestres", levando em consideração que não há evidências suficientes para determinar a natureza física dos seres, ou mesmo seus motivos.
O Dr. Josef Allen Hynek foi um professor acadêmico, astrônomo e ufólogo estadunidense. Ele atuou como consultor de pesquisas ufológicas da United States Air Force (USAF, Força Aérea dos EUA) em três iniciativas: Project Sign (1947-49), Project Grudge (49-52) e Project Blue Book (52-69).

Ele começou como cético, mas teve sua opinião transformada pelos casos que estudou. Nas décadas seguintes, conduziu sua pesquisa de forma independente e é considerado o pai da análise científica de relatos e, principalmente, vestígios deixados por OVNIs.

Rondinelli



quarta-feira, 23 de Julho de 2014

Alemanha liberta arquivos sobre ovnis

Durante várias décadas, autoridades do governo alemão afirmaram que nunca houve um interesse oficial em investigar ou estudar o tema de objetos voadores não identificados (OVNIs). 

Mas agora, o editor da notícia-blog alemão em ciências de fronteira e do paranormal, Andreas Muller, foi capaz de acessar anteriormente arquivos secretos sobre OVNIs compilados pelo segredo interno alemão, agência de inteligência "Bundesnachrichtendienst" (BND), que conta uma história completamente diferente do omitido e negado pelo Governo Alemão.

Foi em 2008 que o Ministro Federal do Interior alemão da época, Dr. Wolfgang Schaeuble, repetiu o que outros funcionários disseram várias vezes antes das últimas décadas, quando foram questionados sobre o interesse oficial de governos alemão e interesse dos militares sobre o tema OVNI e sua investigação, dizendo:
... Eu não tenho conhecimento de qualquer órgão oficial, instituição ou órgão que lida com ou investiga avistamentos de objetos voadores não identificados, os chamados OVNIs.
Além disso eu não tenho conhecimento de qualquer um desses projetos oficiais dessa natureza.

 Os recém-reveladas UFO-arquivos pela BND agora contradizem essa versão oficial com um todo arquivo-conjunto de 67 páginas intitulado já com o "OVNI".
O conteúdo desses arquivos são "avistamentos de objetos voadores não identificados ao longo das zonas de fronteira entre a Alemanha Ocidental e a República Democrática Alemã (RDA) e Chechoslovakia (CSSR)".
Os arquivos podem ser encontrados sob a palavra "UFOs" dentro dos Arquivos Federais Alemães ("Bundesarchiv") com sede na cidade de Koblenz.
No entanto, devido ao fato de que todos os documentos que são libertados para esses arquivos são automaticamente protegidos e embargado por 30 anos, de acordo com a lei alemã Archive Federal, estes arquivos são protegidos e fechados até ao ano de 2021.
No entanto, você pode pedir esses arquivos a serem liberados antes dessa data.
E se alguém já passou por este processo com sucesso de antemão, tais arquivos será aberto também para os candidatos posteriores.
Provavelmente devido ao fato de que todo o arquivo também inclui partes não relacionadas com o OVNIs sobre a antiga fronteira entre Alemanha Oriental e Ocidental, alguém já tem permissão para ver este arquivo - incluindo o capítulo extenso sobre OVNIs - já estava aberto para ser visto por todo mundo.
No entanto, até agora o cerne da questão é que este fato não é oficialmente mencionado na lista.
Na verdade, os arquivos ainda estão listados hoje como "fechados até 2021" - e, aparentemente, ninguém se deu ao trabalho de perguntar pelo seu status atual.

Os arquivos que estão listados sob o código de identificação "B 206/1914 - Bestand B 206 des Bundesnachrichtendienstes", obviamente, não foram criadas originalmente porque a agência secreta Exterior alemã BND queria estudar objetos voadores não identificados por causa de uma possível natureza exótica ou mesmo extraterrestre, mas devido ao fato de que durante a Guerra Fria estes avistamentos foram pensados serem possíveis atividades inimigas ou ações de espionagem do lado dos Estados do Pacto de Varsóvia e das tropas soviéticas estacionadas na RDA e CSSR.
Embora existam alguns avistamentos que foram relatadas por civis, a maioria dos casos enumerados foram relatados por membros das unidades de patrulha e proteção de fronteira.
E se é verdade que a maioria dos casos descritos e contidos verdadeiramente pode ser facilmente explicado por drones soviéticos e sonda de balões, porque os objetos descritos completamente assemelhava a esses drones dessa área, como o avião soviético avião-like "Tupolev M-141", ou sonda de balões convencionais (como em muitos casos de OVNIs-arquivos oficiais de outros países), há uma pequena quantidade de casos que desafiam tais explicações, não só devido à natureza exótica das características observadas dos objetos avistados, mas também porque até mesmo as investigações oficiais tiveram problemas ou totalmente incapazes de explicar os avistamentos - pelo menos como descrito e coberto nesta mesma arquivos.

Todas as 67 páginas do BND-UFO-Files. | Direitos de autor: Bundesarchiv.de (Crédito: grenzwissenschaft-aktuell.de)
Todas as 67 páginas do BND-UFO-Files. | Direitos de autor: Bundesarchiv.de (Crédito: grenzwissenschaft-aktuell.de)

Primeiro Encontro acima escrito pela Guarda de Fronteiras Alemã e da estação da Marinha no mar Báltico
O caso mais interessante de avistamento de um OVNI, por quatro funcionários aconteceu em 1986 em Fehmarn, Alemanhas terceira maior ilha do Mar Báltico (que era uma ilha fronteira, durante esse tempo, quando pós-WW-2-Alemanha ainda estava dividida em Médio Ocidental).
Sobre este evento o BND-UFO-Files revela o seguinte:

No início da manhã de 1986/08/26 (26 agosto de 1986), no período entre 03.00 e 03h30, três funcionários públicos no cargo de Guarda Fronteiriça em Puttgarden, que estavam no serviço noturno, olharam para fora da janela do seu escritório observado um objeto voador que viajou numa velocidade lenta em direção a estação ferry em Puttgarden.
Ao mesmo tempo, este objeto voador era observado por um outro funcionário da alfândega Puttgarden, a partir do chamado "parque de estacionamento" da estação de ferry, que foi posicionado a cerca de 300 metros (900 pés sobre) afastado (a partir dos três guardas oficiais de fronteira) .
Depois de uma extensa entrevista e interrogatório pelo signatário (do relatório), foram confirmadas as seguintes circunstâncias:


1) O objeto voador não identificado se aproximou da estação de ferry-Puttgarden na época mencionada em uma velocidade lenta comparativa (de forma alguma era um avião convencional) vindo do Oeste.
2) O objeto estava voando a uma altura de cerca de 50 - 60 m. (ca. 150-180 pés).
3) Como se chegou (sobre) o ferry-estação Puttgarden, mais uma vez reduziu mais a sua velocidade e chegou a um impasse quase completo.
4) Neste momento de observação os policiais da guarda fronteiriça ouviram um som que eles descreveram - de acordo com um funcionário da alfândega - como um "comparativo som silenciosamente cantarolando", que poderia ser comparado ao som de uma turbina.
5) Todos os agentes foram incapazes de dar qualquer descrição sobre o tamanho, forma e cor do objeto voador.
Isto foi devido topo das seguintes razões:
1) A noite estava escuro como breu.
2) O objeto emitida tal radial ofuscante iluminação / luz, para que as OBSERVAÇÕES mencionadas a acima se tornava impossível para o descrever.
Um oficial até especula que esta iluminação poderia ter sido ligado com a intenção de evitar uma identificação, como a luz utilizada não era nem a de luzes de navegação, nem luzes de inundação, como ausência de cones de luz direcionamento.
6) Após a quase a metade do objeto, mesmo em frente da estação de ferry-Puttgarden, o objeto continuou o seu vôo pairando na mesma altitude para o leste passando acima da estação da Costa Marinha Marienleuchte em Fehmarn (ca. 600m/1800ft distância).
7) As tentativas de recolher mais informação para clarear as observações através de outros profissionais falhou.
Investigações foram feitas através da Marinha Coast-Guard Westermarkelsdorf, Marienleuchte e Stabernuk (todos na ilha de Fehmarn), bem como com o esquadrão de vôo do comando da Guarda de Fronteiras "Coast" (helicópteros), a vigilância de funcionamento da estação de balsa Puttgarden, com as balsas alemães 'Deutschland' e 'Karl Carstens' e a Polícia dinamarquesa em Rodby.

O Caso de Puttgarden sozinho abrange cinco páginas com o BND-UFO-Files. | Direitos de autor: Bundesarchiv.de (Crédito: grenzwissenschaft-aktuell.de)
O Caso de Puttgarden sozinho abrange cinco páginas com o BND-UFO-Files. | Direitos de autor: Bundesarchiv.de (Crédito: grenzwissenschaft-aktuell.de)

Embora a testemunha exclua a possibilidade de que eles haviam observado um avião e também excluiu a opção de um helicóptero, o arquivo mais tarde faz a suposição de que poderia haver uma conexão com o alegado avistamento de um helicóptero soviético acima da cidade alemã de Luebeck na mesma manhã (1986/08/26), mas em 7:00 (assim 4-3 horas depois) que foi relatado por um jornal local.
Partindo desse pressuposto novamente novas investigações foram feitas, mas novamente com o resultado negativo.
Avaliação eo significado do BND-UFO-Files
Independentemente de como especialistas na área de OVNIs e os militares vão finalmente valorizar cada caso de avistamentos OVNIs descritos neste recém-descobertos BND-files, o seu significado e importância para uma verdadeira compreensão do interesse do governo alemão sobre o tema dos OVNIs pode ter altos interesses.
Enquanto os arquivos em si não são secretos ou embargado mais porque no contexto histórico pode ser visto por qualquer pessoa nos Arquivos Federais de Koblenz, já é a existência de tais arquivos em si, que faz aumentar o seu valor, porque - como disse antes - contradiz totalmente a posição oficial dos governos alemães durante várias décadas, que não há e nunca houve qualquer interesse oficial, nem por parte dos governos, seus elementos, ministérios, entidades, instituições, serviços militares secretos, nem sobre o tema e estudo de objetos voadores não identificados .
Além disso, a existência do BND-UFO-Files suporta também uma avaliação pelos politicamente independentes do Congresso de Investigação Científica (Serviços Wissenschaftliche Dienste) do Parlamento alemão (Bundestag) em relação à posição do governo alemão sobre OVNIs e visitantes extraterrestres na Terra.

Esta avaliação conclui:
O fato de que ambos, o Reino Unido, bem como a França (e em vários outros países), têm estado envolvidos com a questão sobre a existência de OVNIs e formas de vida extraterrestre, e que confirmou esse interesse através da publicação de seus arquivos antes secretos extensivamente até mesmo on-line , sugere que as agências também alemães e ministérios federais estão envolvidos com este problema e pergunta.
(Pode ser interessante para os leitores que esta mesma avaliação feita pelos congressistas Scientific Research Services alemães é atualmente o tema de uma ação judicial em curso, em que a administração do Parlamento alemão está se esforçando para manter a avaliação de ser liberado sob a liberdade Alemanha of Information Act).
De fato, muitas facetas dos BND-arquivos acima descritos revelam que tal interesse, pelo menos, uma vez que existe (e, provavelmente, ainda existem!), como os arquivos demonstram que houve procedimentos e mecanismos para relatar e investigar casos de avistamento-objetos voadores não identificados por civis também e principalmente por funcionários e membros das forças armadas e guardas de fronteiriças.
Um arquivo, por exemplo é marcado com o fim manuscrita de "por favor, crie um" OVNI-procedimento '", enquanto outros mostram claramente que a assistência jurídica e administrativa foi procurada para novas investigações sobre alguns dos avistamentos de OVNIs descritos, não só os militares, mas também para o Ministério do Interior - assim o mesmo Ministério que (como outros) reivindicou durante tantos anos não ter qualquer interesse em relação aos OVNIs.

Crédito

terça-feira, 22 de Julho de 2014

Astrônomo britânico tira fotografia de OVNI

Durante a recente super lua cheia, o astrónomo Lee Thompson teve sorte de tirar fotografia de um OVNI (objeto voante não identificado) que se deslocava da direita para a esquerda tendo a Lua como fundo.

Cumpre apontar logo que ao observar a Lua os astrónomos percebem amiúde objetos voantes não identificados contra o fundo do seu disco brilhante. Neste caso houve, inclusive, suposições de que o britânico tivesse feito fotografia da Estação Espacial Internacional.
Mas naquele momento a Estação simplesmente não podia encontrar-se neste lugar. Além disso, o aspecto deste objeto é totalmente diferente do aspecto da estação espacial.
Na noite de 14 para 15 de julho o satélite do nosso planeta atingiu o seu perigeu e ficou à distância de 362.062 quilómetros da Terra, isto é, bastante perto, pois a distância média entre estes corpos celestes varia entre 384 e 401 mil quilómetros.
Neste caso o plenilúnio coincidiu com a aproximação dos planetas resultando num espetáculo excepcionalmente belo, chamado Super lua.
Muitos astrónomos amadores aguardam com impaciência este fenómeno e cuidam de tirar sua próprias fotografias.


Crédito

OVNIs: Explicação anedótica da CIA é arquivada

Lembram-se dos relatórios de actividade anormal nos céus dos anos '50? Fomos nós.

Não percebi: se é para rir?
É evidente que a CIA não tem uma grande opinião da espécie humana, e talvez nem esteja errada neste aspecto: mas isto é demais.

Em primeiro lugar: esta mensagem já tinha sido transmitida através do FOIA (Freedom of Information Act) nas páginas da internet da CIA já no longínquo 1998.
Portanto, nada de novo debaixo do sol: é uma sopa aquecida, mas isso não impediu que os principais órgãos de informação mundiais repetissem a história até que todos os cantos do planeta estivessem alcançados.


Meus Senhores, o fenómeno OVNI está assim explicado.
Ponto final, parágrafo.

Mas vamos em frente, porque alegado ao tweet está uma vista parcial dum documento, no qual é explicado que os "OVNIs" na realidade não passavam de aviões-espiões U2 Lockheed.

Problema: o U2 Lockheed, conhecido também como Lady Dragon, voou pela primeira vez em 1955 e entrou em serviço só no final de 1957.


Então, as vagas de observações feitas em 1952?
Aquelas de 1954?
Os OVNIs fotografados por cima da Casa Branca, sempre em 1954, eram U2?
Estavam a espiar o Presidente?
Ou andavam perdidos?

Continuemos. De acordo com as explicações fornecidas pela CIA, os EUA estavam a testar novos aviões de espionagem que voavam muito acima dos aviões comerciais. Nomeadamente, os aviões de transporte de passageiros voavam entre 10.000 e 20.000 pés, enquanto os U2 voavam acima de 60.000 pés. Que significa: mais de 18 quilómetros de altitude. Wow, que vista que têm estes americanos, melhor do que uma águia. Deve ser dos hot-dogs.

Explicação: o sol, na altura de pôr-se, baixa-se no horizonte e deixa de iluminar os aviões comerciais; mas não os que ficam mais acima, como os U2, que são iluminados a partir de baixo, tornando-se assim brilhantes e visíveis até por parte das pessoas que ficam em terra.


1870, Mt. Washington, New Hampshire (EUA): afinal era um U2
Este é um pensamento particularmente interessante, com o qual a CIA reconhece (por assim dizer) que é capaz de encontrar uma explicação "válida" para todas as observações de OVNIs efectuadas pouco depois do pôr do sol (mais ou menos uns 20-30 minutos após o sol ter desaparecido da linha do horizonte).
Ficam de fora todas as observações efectuadas em outras alturas do dia e da noite.
Notável.

1927, Cave Junction, Oregon, (EUA): outro U2
Alguém deve ter reparado nisso na CIA (provavelmente o mais inteligente do grupo) e eis que surge outra linha:
Até nas horas diurnas, o corpo prateado do U2 podia ter apanhado pelo sol e ter produzido reflexos e brilhos que poderiam ter sido observados [...] até do terreno.
Ah, tudo bem então.
Falta só resolver o problema da noite: posso sugerir um reflexo luar que iluminava as asas prateadas dos U2?
Fica a ideia.

2014: Também este é um U2
Haveria depois um pormenorezinho...nada de importante, que fique claro: mas os U2 não eram prateados.

A razão?
O facto é que um avião-espião que se ilumina no céu em pleno dia como se fosse um fogo de artifício, não é destinado a ter muito sucesso.
Os Russos podiam não ser raposas, mas verem um avião prateado que brilhava e emanava reflexos poderia ter feito surgir algumas dúvidas até no cerebrinho deles.
Por isso os U2 eram pretos, de tinta mate.

Outro problema: o U2 não era um avião supersónico, a sua velocidade máxima era de 805 km/h. Que não é pouco, mas continua a não ser supersónica e, sobretudo, observada a 18 quilómetros de distância faz todo outro efeito.
Nada a ver, portanto, com as fantásticas velocidades testemunhadas até por militares da USAF.

Bom, mas tudo isso agora é secundário: o que conta é que o problema OVNI foi resolvido duma vez por todas.
Podemos deixar de falar destas coisas, boas só para quem tiver a cabeça nas nuvens.

O caso sobre OVNIs fica arquivado, pelo menos até a próxima anedota publicada pela CIA.

Crédito