terça-feira, 17 de setembro de 2019

Pilotos militares da Rússia também se envolvem em encontros imediatos com ovnis (Tic Tac) Russo!

Nem só os militares americanos se envolvem em encontros com Objectos Voadores Não Identificados, os seus pilotos rivais parece também terem alguns encontros imediatos.

O major-general reformado Nikolai Ivanovich Chaga, que foi vice-chefe do Centro de Aviação de Lipetsk, testemunhou vários encontros frequentes com objectos voadores não identificados (OVNIs) em 1990.

No fim de Março de 1990, o então e ainda coronel Nikolai Chaga, realizou um voo de treino a bordo de um MiG-29. Era noite e voou entre Lipetsk e Kind. Quando estava prestes a pousar, o céu de repente se iluminou estranhamente.

“A princípio, parecia que um grupo de estrelas muito brilhantes”, lembra Nikolai. “Mas essas estrelas fizeram uma formação de elipse e então já parecia uma aeronave com uma luz forte no nariz, a luz era muito branca, nem tenho nada para comparar ou descrever. Parecia que a aeronave estava bastante próxima, com uma altitude cerca de 3.000 metros”, disse Nikolai.

Nikolai informou o diretor de vôo. As autoridades responderam que um piloto civil em vôo em Moscovo também havia relatado a presença de um OVNI e as coordenadas coincidiram. A curiosidade invadiu Nikolai Ivanovich e pediu para investigar:

- Deixe-me voar para averiguar o OVNI.

- Terra respondeu Não!

A aeronave continuava mudando de forma, agora parecia uma baleia e, em vez de uma cauda, ​​tinha raios brancos brilhantes.

Então Nikolai descobriu que o objecto foi observado por muitos outros pilotos, mas ninguém se atreveu a relatar o incidente com o comando: "Todos temiam que fossem considerados loucos ou sofrer algum tipo de consequência". 

As visitas de OVNIs sobre o espaço aéreo de Lipetsk duraram mais dois meses.
O coronel recolheu esboços de colegas das reuniões e imagens tiradas por uma câmera a bordo de um dos aviões.

Cinco bolas azuis esverdeadas

Mais tarde, a esfera maior, seguida pela menor, movia-se a uma velocidade constante.

"O piloto não queria acreditar no que via", diz Nikolai Ivanovich. O espaço aéreo estava fechado, apenas dois aviões poderiam estar no ar. Os aviões MiG-29 não registaram nenhuma interferência magnética funcionaram normalmente durante este aparato.

Em terra, pensava-se que as esferas poderiam ser algum tipo de reflexo. O piloto ajustou os espelhos laterais e a luz não desapareceu.

O avião estava voando diretamente em direcção às bolas de luz, de frente, o acidente parecia inevitável.

E de repente, uma das esferas direcionou um raio verde no piloto. O clarão do raio cegou o piloto, luz tão forte mais brilhante que as faíscas de solda elétrica, conseguindo abaixar o filtro do capacete para se proteger. O piloto manobrou a subida do MIG-29 e, quando olhou para trás, as esferas luminosas haviam simplesmente desaparecido.

De manhã, a surpresa

No escritório central, foram revelados os negativos das imagens do avião juntamente com o relatório do encontro com o OVNI.
Acontece que objectos voadores não identificados foram capturados pela câmera de bordo.


"Verifiquei as fotos, elas são genuínas", diz Nikolai.

Demais para a sua imaginação

Em 1990, Nikolai Chaga queria publicar fotografias de OVNIs registadas pelas câmeras laterais dos caças de combate. Porém o comando aconselhou a não fazer ruído sobre este assunto.

Um ano depois, Marina Popovich, a lendária piloto de testes, viu Nikolai Ivanovich, da qual ficou bastante interessada nas fotos solicitado as mesmas a Nikolai.

“Nikolai: Entreguei as fotos quando fui a Moscovo para receber o título de Piloto de Honra da URSS. Foi ai que conheci Marina Popovich e nunca mais nos vimos depois disso. 

Onde estão as fotos agora? Não sei. E os backups no centro aéreo foram destruídos.
As imagens realizadas pelos caças são armazenados por alguns anos e depois destruídos ”, disse Nikolai Ivanovich.

Sem comentários:

Enviar um comentário