quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Detetive revela formação de comité internacional de estudo do fenómeno ovni para reconhecimento da ONU

No  passado sábado decorreu no auditório do Agrupamento de Escolas Rafael Bordalo Pinheiro, nas Caldas da Rainha, a conferência anual do grupo de Exopolítica Portugal que, tal como em ano anteriores, teve o apoio do Jornal das Caldas e da Rádio Mais Oeste. Este ano o convidado especial foi Gary Heseltine, detetive aposentado da polícia britânica e fundador e editor da revista The UFO Truth Magazine, sendo atualmente o principal nome da ufologia no Reino Unido.

Gary Heseltine, detetive oficial da polícia britânica, foi o convidado especial deste evento.
A conferência deste ano remeteu-nos para finais de dezembro de 1980, em Rendlesham, nas imediações de uma base nuclear norte-americana (em território britânico), onde durante três dias foi reportada a presença de um estranho objeto a circundar a base, sendo disso testemunhas o próprio comandante da base, assim como diversos oficiais e recrutas.

Inclusive um dos militares, Jim Pennistin terá tocado no objeto, que rapidamente numa ascensão vertical abandonou o local, deixando no solo marcas e elevados níveis de radioactividade, conforme relatório militar oficial de época. 

Gary Heseltine, detetive oficial da polícia Britânica que estuda este incidente desde 2003, foi o convidado especial deste evento nas Caldas da Rainha, tendo partilhado perante um auditório de pessoas oriundas de todo o país o resultado das suas investigações sobre este caso.

O polícia inglês anunciou em primeira mão um documentário intitulado “Capel Green” a estrear em 2019, no qual serão entrevistadas outras testemunhas militares que apenas recentemente concordaram em se expor a público, trazendo consigo novas evidências e relatos na primeira pessoa sobre as ocorrências dessas noites envolvendo a aeronave. 

Segundo o detetive, este documentário ao estrear “irá provocar frenesim na imprensa, o que levará a explicações oficiais por parte governamental sobre o que realmente ocorreu”.
O detetive deu também a conhecer uma muito recente iniciativa chinesa para tentar desbloquear o chamado “Disclosure”, o reconhecimento oficial por parte dos governos de que o planeta Terra tem sido visitado por “outras inteligências”.
Gary Heseltine divulgou os primeiros passos de uma cimeira na Rússia na qual participou para a formação de um comité internacional de estudo do fenómeno ovni que visa o reconhecimento por parte da Organização das Nações Unidas (ONU) para o estudo do fenómeno e posterior mudança de paradigma para a divulgação oficial desta realidade.

Nuno Santos, cientista, abordou o fenómeno ovni à luz da ciência, bem como o sistema de propulsão que estas aeronaves possam eventualmente utilizar, assim como as formas teóricas de um dia se poder desenvolver tecnologia que contrarie as leis da gravidade, à semelhança do que os relatos destas aeronaves indicam.

Joaquim Fernandes, historiador da Universidade Fernando Pessoa, fez a sua intervenção via skype, uma vez que, por motivos de saúde, não pôde estar presente. Realizou uma pequena apresentação do seu mais recente livro “Ficheiros Secretos à Portuguesa”. Respondeu ainda a algumas questões por parte do público presente, relativas ao estudo de filamentos de origem desconhecida que caíram sobre Évora na década de 50 após a passagem de uma aeronave não identificada, da qual centenas de pessoas foram testemunhas.

Júlio Guerra, ex-piloto da Força Aérea Portuguesa, partilhou o relato na primeira pessoa de um encontro que teve com um objeto desconhecido durante um voo de treino. Explicou em detalhe todas as manobras realizadas pelos caças da Força Aérea que visavam “intercetar o objeto embora sem sucesso, uma vez que essa aeronave desconhecida realizava manobras que contrariavam todas as leis da aerodinâmica até ao momento conhecidas”.
Francisco Mourão Corrêa, coordenador do grupo Exopolítica Portugal, dedicou a sua intervenção a um rancho situado em Utah, nos Estados Unidos, conhecido como Skinwalker Ranch, no qual “são reconhecidas toda uma série de fenómenos inexplicáveis pelas leis da ciência, e outros de natureza bizarra como a mutilação de animais com precisão cirúrgica”. 
Partilhou com os presentes vários relatos e fotografias chocantes captadas naquele local, que é ainda hoje zona de estudo pelas altas patentes militares, americanas.
Filipe Maia, representante do Grupo Exopolítica para a zona centro, fez um balanço extremamente positivo do evento, salientando a disponibilidade da continuidade da realização do mesmo em Caldas da Rainha, reiterando para o efeito a relevância da parceria imprescindível com o Grupo Medioeste (Jornal das Caldas e Rádio Mais Oeste), bem como o importante apoio do Hotel Cristal Caldas, Restaurante Zé do Barrete e Agrupamento de Escolas Rafael Bordalo Pinheiro, ao professor Paulo Vasques e ao aluno do Curso Profissional Técnico de Audiovisuais, Guilherme Reis.

https://jornaldascaldas.com

1 comentário:

  1. Mais iniciativas como estas são bem vindas para o futuro da "Humanidade"
    Desmistificar estes casos e dá-los a conhecer serão um marco e um passo muito positivo para a História do ser humano...

    ResponderEliminar