quarta-feira, 22 de novembro de 2017

CIA manipulou estudos para obter controle sobre a questão ufológica




CIA manipulou estudos para obter controle sobre a questão ufológica
Agência de Inteligência manobrou para desqualificar o Projeto Blue Book e manter segredo sobre o assunto dos OVNIs

Entre 1958 e 1966 a Força Aérea norte-americana (USAF) foi obrigada a ter a imagem pública do estudo ufológico oficial nos Estados Unidos, ao passo que a Agência Central de Inteligência (CIA) desde 1957 sempre procurou ter o controle do aparato de estudo científico da comunidade de Inteligência. 
Isto colocou a USAF na posição de realmente fingir ser o órgão do governo responsável pelo estudo dos OVNIs. Então em 1966 a Força Aérea, sob pressão do Congresso norte-americano, apontou o físico Edward U. Condon para liderar um "estudo científico e independente sobre OVNIs", conforme apresentado para a imprensa.

Edward Condon fez parte do Projeto Manhattan durante a Segunda Guerra Mundial, que resultou na fabricação da bomba atômica, e depois da guerra realizou estudos e desenvolvimentos de ogivas de reentrada atmosférica, tanto para o programa de mísseis estratégicos quanto para o programa espacial. Hoje os especialistas apontam que a escolha de Condon para o comitê de estudo ufológico que levou o seu nome era um meio de tirar completamente o estudo dos OVNIs da USAF, tornando-os uma questão secreta com vista ao acobertamento de informações. Durante a realização do estudo liderado pelo físico a CIA se aproveitou para obter dados de Inteligência a respeito dos OVNIs. 
Em fevereiro de 1967 Condon e outros cientistas de seu grupo tiveram um encontro secreto com oficiais da CIA do Centro Nacional de Interpretação Fotográfica (NPIC), onde fotos de satélites e dos aviões espiões U-2 e SR-71 eram analisadas com as mais avançadas técnicas.

O diretor do órgão pediu ao cientista fotos de OVNIs e em seguida Condon fez um apelo aos cidadãos norte-americanos que enviassem a seu Comitê fotos de discos voadores, mas na verdade serviram para o próprio estudo secreto da CIA. 

Em abril de 1967 um dos investigadores do grupo, dr. Gerald Rothberg do Instituto Stevens, viajou até Harrisburg, Pennsylvania, para investigar uma onda ufológica. Ele estava acompanhado por dois oficiais da CIA, um deles Fred Durant, oficial de pesquisa científica da agência, que depois teve o seu nome ligado à pesquisa com naves alienígenas capturadas. O grupo tinha um furgão com sofisticado aparato de vigilância e chegou a se encontrar com pessoal local do Comitê Nacional de Investigação de Fenômenos Aéreos (Nicap), então a maior organização de pesquisa ufológica do mundo.


Edward Condon

 ACORDO COM OS RUSSOS

Em 1968 outra comunicação do Comitê Condon convidou cientistas da União Soviética para dividir informações sobre OVNIs, mais tarde investigadores do grupo se encontraram com cientistas soviéticos na Europa. Isso resultou em 1968 na visita de oficiais de alto nível da KGB, a principal agência de Inteligência russa, aos Estados Unidos para trabalhar na elaboração de um acordo de não agressão, a fim de que uma das potências não acusasse a outra de que OVNIs sobrevoando suas instalações estratégicas seriam na verdade armas secretas do adversário. Esse pacto foi elaborado a fim de evitar um conflito causado pelos discos voadores, lembrando que o almirante Roscoe Hillenkoetter, primeiro diretor da CIA em 1947, falava muito a respeito dos perigos de sobrevoos dos OVNIs. 

Finalmente, o Comitê Condon conseguiu destruir a credibilidade da pesquisa ufológica em 1969, é encerrando o estudo da USAF e deixando a CIA responsável secretamente pela matéria, sem responder a ninguém. 
Acadêmicos e políticos se deixaram convencer, enquanto o público continuou a relatar o que observava, enquanto o governo continua a dizer que nada está acontecendo.

Há um mistério que acompanha a Ufologia desde o início da Era Moderna dos Discos Voadores, em 1947, e que ainda resta ser decifrado. São os chamados homens de preto, também conhecidos como MIBs, do inglês men in black. Eles vêm há décadas surgindo em cenários de ocorrências ufológicas, muitas vezes apenas observando e noutras abordando com energia tanto testemunhas quanto investigadores destes factos. MIB: 

Os Verdadeiros Homens de Preto disseca o assunto como nenhuma obra antes, e o faz sob o comando de um dos maiores especialistas no tema em todo o mundo, o ufólogo inglês naturalizado norte-americano Nick Redfern.

www.ufo.com.br

Sem comentários:

Enviar um comentário