sábado, 21 de outubro de 2017

“A vida é comum no universo”, diz José Rodrigues dos Santos



O novo livro do jornalista fala sobre a existência de vida inteligente em outros planetas.

O romancista que mais livros vende em Portugal revela os seus segredos de escrita e fala sobre os rendimentos que os livros lhe trouxeram.

Em ‘Sinal de Vida’, como nos seus restantes livros, existe a menção de que a informação histórica e científica é verdadeira.

Como faz a preparação para cada obra? José Rodrigues dos Santos

O que procuro fazer sempre é um jogo entre a ficção e a não ficção.
É uma história ficcional, mas o mistério é real.
Toda a informação científica ou histórica é real.
E os leitores gostam deste jogo, porque através de uma história que é interessante aprendem coisas verdadeiras.

-Só começa a escrever quando tem a pesquisa consolidada?

- Um romance meu começa com a ideia, depois vem a pesquisa, pode acontecer até que durante a pesquisa chegue à conclusão que não vou contar nada de novo e desisto.
Ou começo a descobrir coisas novas.
Aí vou consolidando a pesquisa, normalmente de vários meses.
Só depois é que estruturo o livro e o começo a escrever.

-Num mês lançou dois romances com mais de 1300 páginas no total…
Nos últimos anos tem lançado, pelo menos, um livro por ano.

-Como é que organiza o seu dia para escrever a este ritmo e, ao mesmo tempo, manter o emprego na RTP?

- Há pessoas que usam o tempo livre para ir ao café, ou para arranjar namoradas.
Eu uso o meu para escrever, porque divirto-me imenso.
E tenho outra vantagem.
Trabalho muito rapidamente e escrevo com muita facilidade.
Escrevo sem dificuldade dez páginas por dia.
Em dois meses aparecem logo 600 páginas.
Claro que há fins de semana e nunca são dois meses, acabam por ser três.
Mas a trabalhar a esse ritmo, e na verdade não é trabalho, é prazer, não é difícil.

-Num dia normal, a que horas começa a trabalhar nos livros e a que horas entra na RTP?

- Os meus dias são estruturados em função da época do ano.
No inverno é a altura que estou mesmo a escrever.
Acordo às sete e tal, tomo banho, e pumba, começo logo.
Depois almoço, escrevo mais um bocado, e vou para a RTP.
Na primavera tenho mais viagens de promoção.
No verão e outono faço leituras de pesquisa do próximo romance.
Acordo e estou a ler horas e horas.

-No final de ‘Sinal de Vida’, acredita que há vida noutros planetas?

- Hoje começa a haver a convicção entre muitos biólogos de que foi encontrada vida em Marte. E se foi encontrada em dois planetas vizinhos, é porque é comum no universo.
A questão é saber se a vida inteligente também está espalhada no universo.

Correio da Manhã

3 comentários:

  1. sites brasileiros estao noticiano que o ovni pousou em peruibe. https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/video-mostra-local-de-suposto-pouso-de-disco-voador-em-sp.ghtml

    ResponderEliminar
  2. Sites brasileiro estão noticiando que um ovni pousou em peruibe

    ResponderEliminar
  3. Queria partilhar com o mundo a experiência que minha mae teve com um OVNI ela tinha 22 anos hoje com 84 conta para o mundo sua história guardada por décadas ela queria partilhar pois vivemos numa ilha onde no mapa do mundo e apenas um ponto minúsculo ilha da madeira aqui fica a entrevista https://youtu.be/9__a2rRnwZg

    ResponderEliminar