quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Você acredita nos atuais Agroglifos?

Os agroglifos são um dos maiores mistérios da humanidade. Surgiram há aproximadamente 30 anos atrás no interior da Inglaterra e se espalharam pelo resto do mundo. Muitos acreditam que seres de fora deste planeta, já outros alegam ser apenas fraudes. Confira neste artigo e saiba mais sobre esse interessante e intrigante fenômeno que mexe coma imaginação de todos.
Agroglifos é, talvez, um fenômeno que não é muito conhecido pelas pessoas. Trata-se de uma manifestação de imagens, desenhos feitos em plantações de milho, canaviais, entre outros, de forma inexplicável. São sinais que podem ser facilmente confundidos com os nossos conhecidos hieróglifos egípcios. Essas manifestações em campos de plantações são relacionados a formas de vida inteligente não conhecidas pelo homem.
Realidade x Fraude

O fenômeno de Agroglifos no Brasil teve início em 2008 na região sul do país, principalmente em pequenas cidades com menos de 10 mil habitantes. Até hoje, no Brasil, nenhum artista ou pessoa reclamou a si a fraude e assumiu o seu trabalho, o que nos leva a pensar que essas são possíveis casos reais. Entretanto em outros países como na Inglaterra, artistas já enganaram muita gente ao criarem agroglifos com muita precisão e depois de um tempo admitiram a autoria de certos desenhos.

Aqui podemos ver que é possível cria-los!


Essas imagens pode ser produzidas facilmente com uma simples vassoura, por exemplo, a pessoa simplesmente pode ir aos poucos dobrando as plantas até formar tais imagens, entretanto existem Agroglifos que são tidos como quase impossíveis de se reproduzir. Deve-se ao fatos ao da precisão métrica, do formato e do tamanho, ou seja, são mais do que meros círculos no campo. Há possibilidade de serem verdadeiros e o tempo que levaria para ser feito, algo dessa magnitude e precisão poderia levar dias ou muitas horas para ser feito por uma equipe bem treinada. Sem falar que seria preciso uma marcação precisa por satélite e GPS para reproduzir com exatidão o que já foi encontrado.

 Reconhecendo um Agroglifo verdadeiro

Um agroglifo verdadeiro pode ser identificado por vários fatores, veja aqui uma lista de fatos que ocorrem quando é encontrado um agroglifo.(Pelo menos é o que dizem) 

Atividade magnética e energética
Odores diferentes
Flash de luzes
Encontrado em locais isolados ou pouco habitados
Formatos diferenciados, totalmente simétricos
Relatos de ocorrências incomuns no local
Significado dos Agroglifos

Há muita controversa sobre tal significado. A maioria dos ufólogos, estudiosos nessa área, concorda em dizer que essa é uma mensagem de seres de vida inteligentes que não são deste planeta. Não é possível traduzir o significado dos símbolos, outros estudiosos relacionam os agroglifos a símbolos antigos, principalmente da civilização egípcia, cujo a qual poderiam ter alguma ligação.

Rondinelli: Eu particularmente acredito em “marcas” em plantações, mas não nesses atuais! Acredito em marcas de pouso e não desenhos complexos sem sentido algum. Sabemos também de relatos de que pessoas são contratadas para fazer esses desenhos! Favorecer alguém? Sim, claro! Já que é um assunto fascinante e que vende milhões (Revistas por exemplo).
Acredito sim que somos visitados a milênios, só não acredito que seres altamente evoluídos venham até aqui só pra zuar nossas plantações, não é verdade!?
E você? Acredita em Agroglifos?

Parte do texto: Fc Noticias




segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Observação de Objeto Voador Não Identificado em Fernão Ferro


Localização - Fernão Ferro

Data, hora - 28/11/2016 - 18:30h

Testemunha - Senhora Helena Duarte

Relato da testemunha

Hoje, 28 de Novembro de 2016, avistei algo estranho no céu da zona onde resido: Fernão Ferro (Freguesia do Seixal, Conselho de Setúbal).
Como não é a primeira vez que faço um avistamento estranho, resolvi consultar a net para descobrir se existe alguma entidade que recolha
este tipo de informações, e encontrei este vosso endereço.

O que vi hoje, cerca das 18:30h.
Estava ao fundo do meu quintal, que é comprido, e vi no céu, para lá do telhado da casa, algo brilhante que se deslocava da esquerda para a direita,
tipo em direcção a Setúbal.
Chamou-me a atenção a intensidade de luz que piscava e a rapidez do objecto, pois era um pouco mais rápido que normalmente se nota num avião,
mas principalmente porque a sua luz era muito intensa e nítida.
Fiquei a observar e a pensar: os aviões agora têm uma luz tão forte?
Enquanto isso reparei noutro pormenor ainda mais estranho: A luz tinha um formato sensivelmente retangular e mudava de côr: verde, depois azul, depois vermelho, verde, azul, vermelho, verde… e assim
sucessivamente… e, cada vez que mudava a côr, ela aparecia numa zona diferente, como se o objecto tivesse luzes em sítios diferentes e as
acendesse uma de cada vez, rotativamente.
Todas estas “anomalias” prenderam a minha atenção e não tirei os olhos daquele espectáculo.
Calculo que tenha durado pouco mais de meio minuto,
desde que raparei nele.

Croqui enviado pela testemunha
Como disse, ele ía em deslocação para a direita mas, de repente, o objecto desceu rápida e verticalmente e num ápice deixei de o ver por causa do
telhado da minha casa.
Fui a correr até à frente da casa mas não vi mais nada, nem luz nenhuma em sítio nenhum.

O outro caso estranho deu-se na noite de 31 de Dezembro de 2014, cerca das 18:30.
Eu ía de carro, de Setúbal e a chegar ao Pinhal Novo. O marido ía a conduzir e eu ao seu lado. Estávamos a passar numa avenida ladeada de palmeiras
e os prédios à minha direita estavam bastante distantes.
Enquanto apreciava a paisagem reparei que no céu, acima daqueles prédios, mas
certamente muito para lá deles e muito acima deles, havia uma luz redonda vermelha, de contornos bem definidos, portanto não havia laivos a
desvanecer para o exterior. Era grande demais para ser de um avião e não piscava.
Fui acompanhando atentamente para perceber se ela se movia e em que sentido mas, como íamos em deslocação, não consegui ter a certeza.
Parecia-me que, se se movia, era muito lentamente.
Enquanto olhava fixamente a luz vermelha a tentar perceber o que era e para onde ía, ela simplesmente se apagou.

Conto-vos estes casos na esperança de que me possam informar se têm outras descrições idênticas nas mesmas datas e lugares, que nos levem
a um entendimento maior do que eram estas luzes.
Fico, assim, na expectativa do favor das vossas notícias.

Ufo Portugal


Perante a observação descrita pela testemunha data e hora, será de referenciar dois voos sobre a área mencionada.
Voo da Ryanair logo seguido por um segundo da Tap.

DESCRIÇÃO DAS LUZES DE NAVEGAÇÃO E ANTICOLISÃO

Luzes de navegação: As lanternas de luzes de navegação são dotadas de lâmpadas de filamento, as quais, quando ligadas, mantêm um fluxo constante de luminosidade.

Lanterna na cor vermelha, asa esquerda.
Lanterna na cor verde, asa direita.
Lanterna na cor branca, cauda.

Os voos não se relacionam com a direção do avistamento "objeto" no sentido Fernão Ferro - Setúbal.


 Satélites visíveis embora com extrema dificuldade, seria Ariane e Intercosmos a Sul.
Porem e de referenciar que os Satélites não emitem luzes de cores, mas sim e em alguns casos refração da luz Solar através dos seus painéis.

Analisando a descrição das cores, constatamos a ausência da luz azul nas aeronaves, como também os movimentos esquerda e direita não fazerem parte de um voo ou qualquer padrão conhecido de uma aeronave.
Sem muita informação podemos alegar que o dia 28 de Novembro terá sido bastante ativo em especial na Turquia e Canadá com a observação anómala de várias luzes que estão em análise de investigadores locais.

video

Existem inúmeros fatores que não se enquadram nas características das aeronaves nesta observação.
Não deixa de ser interessante visto ser uma área com algum histórico visto a sua visibilidade para a Serra da Arrábida que conta com um vasto histórico incrível de observações anómalas!

Exemplo de um dos vários vídeos existente sobre o registo destes objectos voadores não identificados na região de Setúbal.

Vídeo realizado em 2012


Uma das possibilidades seria a presença de algum drone visto ser uma das tendência em crescimento no país.
Portanto, se observou algo de anormal ou extraordinário que nos possa ajudar queira por favor entrar em contacto connosco ufo_portugal@sapo.pt

O Ufo Portugal, ao longo dos anos tem se dedicado ao registo, monitorização e identificação dos pontos de observação pelo país.


sexta-feira, 25 de novembro de 2016

OVNI em São Marcos - Sintra "vídeo"

Estranho fenómeno aéreo é registado por telefone na região de Sintra.

Este fenómeno terá despertado a curiosidade de Nuno Dias juntamente com um amigo, ao chegar no recinto escolar de São Marcos, pelas 08:05 da manhã de hoje, quando viram viram no céu algo de coloração dourada brilhante!
Nuno terá então registado o fenómeno através do seu telefone.
Nuno, conta que o objecto terá se deslocado de Este para Oeste com uma observação de três minutos aproximadamente.

A observação terá então sido encaminhada de imediato para o Ufo Portugal, a fim de se proceder a recolha de mais informação sobre a origem do misterioso objecto voador não identificado.

Até ao momento não existe uma opinião formulada sobre a origem do misterioso objecto!
Desta forma se procede a recolha de informação de outras testemunhas que tenham presenciado o mesmo fenómeno.

Se observou o mesmo fenómeno ou fez registo do mesmo, queira então entrar em contacto connosco via e-mail ( ufo_portugal@sapo.pt ).

Assista ao vídeo e tire as suas conclusões.


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Origem da humanidade




Canal History exibe documentário Círculos, sobre o aparecimento de Crop Circles no Oeste de SC - Brasil


Filme acompanha a rotina dos habitantes de Ipuaçu e as investigações do editor-chefe da revista UFO, Ademar Gevaerd
Foto: Novelo Filmes / Divulgação

Desde 2008, sempre na mesma época do ano, aparecem misteriosos agroglifos - aquelas circunferências de até 110 metros de diâmetro que surgem em plantações, geralmente de trigo - em Ipuaçu, no Oeste catarinense. A curiosidade sobre o assunto levou a cineasta catarinense Cíntia Bittar, da Novelo Filmes, de Florianópolis, a idealizar o documentário Círculos, que estreia nesta quarta-feira (23), às 22h40min, no History, com reprise no sábado, no mesmo horário. O filme será exibido como parte da programação especial Invasão Alienígena, que vai até sábado (26), sempre a partir das 20h.

Primeiro documentário de longa-metragem sobre o surgimento de agroglifos no Brasil, Círculos acompanha a rotina dos habitantes de Ipuaçu e as investigações do editor-chefe da revista UFO, Ademar Gevaerd. Com 75 minutos de duração, a produção traz depoimentos de moradores como Marco Tonin, operador de máquinas de agricultura que foi o primeiro a chegar no agroglifo de 2015 em Ipuaçu, Genuíno Begnini, padre da região que afirma já ter visto ovnis e Seu Valdemar, o dono da propriedade. As diversas teorias colaboram para que a narrativa tenha um quê de suspense e humor.


— São personagens com senso de humor muito afinado, é impossível não se divertir. Mas o próprio mistério da situação acaba gerando um suspense. Então, esse clima está presente pelo tema e o humor por causa das pessoas, que analisam a situação com pontos de vista bem distintos e teorias divertidas. A gente quis passar para o expectador a situação de estar lá — explica Cíntia, que assina o argumento e direção e também fez a produção ao lado de Ana Paula Mendes.


A equipe da Novelo Filmes passou três semanas em Ipuaçu em outubro de 2015 na expectativa, já que os sinais costumam aparecer sempre nesta época do ano. Eles já estavam quase desistindo quando, no dia 31, foram fazer uma ronda pela manhã e encontraram algo estranho no meio de uma plantação. Em 2016, os círculos voltaram a ocorrer no Estado no começo de novembro. Além de Santa Catarina, Círculos também vai mostrar outros fenômenos que aconteceram em Prudentópolis, no Paraná - única cidade além de Ipuaçu a registrar o fenômeno no Brasil. 

video

Para definir se um agroglifo é realmente autêntico - ou seja, feito por extraterrestres e não por humanos - é preciso atender a alguns critérios, como o trigo deitado rente ao solo sem que o caule esteja danificado, como se tivesse sido penteado. Mas o foco de Círculos não é definir se o fenômeno é verdadeiro ou não, e sim mostrar a especulação e o impacto disso na cidade.

— Obviamente a gente nunca ia descobrir quem fez, mas as histórias são bem interessantes — resume Cíntia.

Abaixo um recente debate ufologico com o diretor da Revista UFO, Ademar Gevaerd, na TV Folha, onde o tema é debatido com bastante seriedade...


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

(Matéria de 2013 atualizada em janeiro de 2016) OVNIs: O porquê do sigilo sobre os documentos?





Em 2009, o então governo Lula iniciou um movimento para tornar públicos relatórios e documentos sigilosos sobre a aparição de objetos voadores não identificados no País. Encaminhou ao Arquivo Nacional mais de cinco mil páginas desses relatos, cujo prazo de 50 anos para manutenção do sigilo havia expirado. Em 2010, a Casa Civil baixou um decreto determinando que arquivos sobre o tema espalhados em diferentes órgãos fossem reunidos para posterior divulgação. Ainda há, porém, uma lista enorme de inquéritos, fotos, filmagens e depoimentos mantida em total segredo. Apesar de conhecida e informada nos anos 50 e 60, a existência de parte desta papelada é negada pela Marinha, pelo Exército e pelas Forças Armadas.

Essa situação inclui casos notórios. Um deles envolve a Operação Prato, que reuniu trinta militares para investigar as constantes aparições de objetos estranhos no céu da Amazônia entre 1977 e 1978. Os depoimentos armazenados em quatro fitas ainda não vieram a público. O mesmo ocorre com a documentação sobre a Ilha de Trindade, no Espírito Santo, cenário de uma suposta sequencia de aparições de discos voadores em 1958. À época, a Câmara pediu à Marinha acesso a todos os relatórios e fotografias. O então parlamentar Sergio Magalhães (PDT-DF) chegou a avisar publicamente que estava com o inquérito em mãos. Os relatórios, entretanto, não constam entre os que foram entregues ao Arquivo Nacional. “A Marinha não possibilitou o acesso. Sequer fazem referência ao que foi entregue. Cobramos respostas sobre o que temos certeza que existe”, desabafa o pesquisador Marco Antonio Petit. O Ministério da Defesa afirma não ter em seu poder os documentos que especialistas dizem que estão sendo omitidos.

Autor de pelo menos dois requerimentos enviados ao ministério pedindo acesso aos dados omitidos, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) resume o cenário: “Ainda persiste a nebulosa situação sobre o real tamanho dos arquivos e até onde o Comando está disposto a abri-los”. Mas qual seria a preocupação da Defesa? Militares ouvidos por ISTOÉ dizem que não existe interesse do governo em promover novas discussões sobre a existência ou não de extraterrestres. A não divulgação de documentos envolvendo o assunto seria uma maneira de garantir a ordem pública e evitar a instauração desnecessária de pânico, revelam as mesmas fontes. As explicações são rasas e não justificam o descumprimento de uma decisão já tomada pelo próprio governo. Embora questionável, esse controle procura imitar padrões já estabelecidos por países como Estados Unidos e Grã-Bretanha. “Nenhum governo ganha divulgando detalhes sobre operações desse tipo. Há muita coisa em jogo”, diz um militar de alta patente. houve um encontro entre ufólogos e os três comandos da Defesa. O debate foi uma oportunidade de esclarecer de uma vez por todas à população a necessidade da manutenção do sigilo das informações sobre os Óvnis no País.

FONTE: REVISTA ISTO É

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Terra um circo cósmico

Quando chegarem, cá para mim, mandam-nos para um circo cósmico

Leio aqui na Visão online que a NASA prevê encontrar vida fora da Terra nos próximos 20 anos.
O que significa que acredita que ela exista. E eu fico radiante de alegria, pois perco a vergonha de falar do assunto.
De facto, já tinha pensado escrever sobre isso e tenho evitado. Mas vamos por partes.

Toda a vida me fascinou esta questão.
Desde muito pequeno, imaginei que era de um planeta distante, o K 17 (por mim inventado), e que um dia os meus concidadãos me viriam buscar. Não fiz, claro, grande alarde da questão - podia ser maluco mas não era parvo - e mantive-me reservado até descobrir, não sei bem quando (provavelmente no princípio da minha idade adulta, já que tive o enorme privilégio de não ter tido adolescência e ter chegado a adulto vindo directamente da infância), esse fantástico livro que é o despertar dos mágicos, de Bergier e Pauwels.
Segui depois a carreira do J. Bergier e de todos os seus acólitos do "realismo fantástico", através, entre outros, dos seus múltiplos livros da célebre colecção preta da Bertrand.

Quando me tornei professor numa distinta universidade deste país, ousei um dia puxar o assunto junto dos meus colegas de departamento e só não fui apedrejado porque sou grande e era mais forte do que eles.
De qualquer maneira, não me livrei do ridículo de ser um pseudocientista que acreditava em seres do outro mundo.
Porque os extraterrestres são ainda piores do que as almas penadas, pois têm, como sabem todos os que vêem os filmes americanos de série B, cabeças de lagarto.

No entanto, nos meus estudos de Antropologia - felizmente, realizados bem longe daqui -, foi claro perceber-se que a teoria da evolução, apesar de inquestionável, tem "gatos", por vezes deparamos com evidências que sugerem uns quantos "empurrões" evolutivos.
Há depois, claro, centenas de factos e artefactos que são totalmente inexplicáveis à luz dos conhecimentos que possuímos.
No entanto, a nossa ciência oficial tem uma posição cómica: mesmo quando não sabe explicar, sabe o que não é aceitável como explicação.

Assim, os tipos lunáticos que acreditam que possa existir vida extraterrestre, embora acompanhados nessa humildade por alguns dos maiores cientistas que jamais existiram, são logo classificados como os imbecis que "acreditam em ovnis". E como a mediocridade humana tem muito prazer em divertir-se à custa dos outros, a chacota é monumental.
E depois há aqueles cineastas de que já falei, normalmente americanos, que fazem corar o Spielberg e dar-lhe vontade de ir viver, como o Brel, para as Marquises.
E não são necessariamente os criacionistas.
Nem sequer pessoas especialmente religiosas.
Grande parte são cientistas, ou professores universitários reputados, que nunca perceberam o que era verdadeiramente a ciência.

Muito bem. Um comentário sério: penso que a Humanidade ainda não está preparada.
Vamos precisar, nestes 20 anos, de passar muitas vezes os Encontros imediatos do 3º grau, com a autoridade do Truffaut a fazer de cientista.
Mas, muito mais importante do que isso, temos de pensar o que nós, terráqueos, temos para mostrar na fotografia: a guerra em Gaza e em todo o lado?
Ou seja, múltiplos seres humanos que se andam a matar uns aos outros, normalmente por causa da identidade de uns deuses antigos que, se calhar, foram extraterrestres que nos visitaram há milhares de anos (como postula a "teoria dos antigos astronautas")? A excisão feminina praticada em milhões de raparigas por todo o mundo (não devemos olhar de lado "os africanos subdesenvolvidos", porque se não existisse uma excisãozinha de outro tipo nos moços judeus, milhões deles teriam sobrevivido ao delírio nazi), como foi notícia esta semana?
A nossa ciência porventura tão débil?
Ou escondemos a malta toda e fazemos de conta que o planeta é só habitado por filósofos e artistas?

Se os extraterrestres tiverem a dimensão intelectual que se supõe, e se ela estiver, nesses outros mundos, associada a uma dimensão ética correspondente, deverão ter mais desprezo por nós do que o que sentimos pelos macacos.
Quando chegarem, cá para mim, mandam-nos para um circo cósmico.
Se essa associação não existir, e forem uns patifes, achar-nos-ão do melhor que há.

Em qualquer circunstância, estamos perdidos.


Visão 

Será o ser humano uma criação genética alienígena?


Ainda não é clara a origem da vida na Terra.
Mas uma nova teoria esclarece, pelo menos, uma parte do mistério. seremos, afinal, todos extraterrestres?


Crédito - Visão
Há quase um século que a teoria da "sopa primordial" serve como explicação para a origem da vida na Terra. Mas por mais elegante que seja, a ideia de que as moléculas orgânicas - os blocos com que se constroem todos os seres vivos - começaram a agregar-se num caldo aquecido, formando os primeiros organismos, deixa muitas pontas soltas.

Uma delas é a fonte de carbono. Na sua infância, o nosso planeta era uma massa escaldante, por conta da intensa atividade vulcânica. Nestas condições, todo o carbono, um elemento essencial à vida, teria desaparecido por evaporação. Agora, uma equipa de geólogos da Universidade de Rice, nos Estados Unidos, apresentou uma origem para o carbono: uma colisão com um planeta semelhante a Mercúrio, depois da Terra ter arrefecido, pode de facto ter depositado na Terra todo o material necessário para a evolução da vida no planeta.

"O desafio é explicar a origem dos elementos voláteis como o carbono, que ficam fora do centro da Terra. Mesmo que o carbono não se tivesse vaporizado e escapado para o espaço quando o nosso planeta estava praticamente derretido, acabaria no centro metálico do planeta", diz o geólogo Rajdeep Dasgupta, ao site Sciencealert.

Já não é nova a tese de que parte dos elementos essenciais à vida tenha vindo de outros mundos, ou seja, que no fundo, temos origem extraterrestre. Por exemplo, através da colisão com um meteorito. Só que a nova tese apresenta argumentos de peso, publicados num artigo na revista científica Nature Geoscience.

Com experiências de alta-pressão e alta-temperatura, os investigadores testaram quais as condições e quais os elementos químicos que poderiam resultar numa composição igual à do manto terrestre. Com simulações várias, a equipa concluiu que numa colisão hipotética entre a Terra e outra massa, o carbono manter-se-ia no manto da Terra - sem ser completamente absorvido pelo núcleo de ferro - se a outra massa fosse feita de uma liga de ferro, rica em silício ou enxofre. Nesta teoria, a colisão terá acontecido há 4,4 mil milhões de anos.

Prevê-se que haja ainda uma boa discussão à volta do tema. Mas uma coisa parece ser certa: é preciso mais do que um caldo para a vida acontecer.





Charles Darwin foi um gênio, responsável por uma das descobertas mais impressionantes da ciência: o mecanismo de seleção natural da evolução das espécies.
Mas, como todo bom gênio, ele não tem um currículo impecável.
Ao teorizar sobre nossa história, ele cometeu alguns erros.

Em que ficamos! 


"Qualquer pessoa acha que uma luzinha no céu é um óvni"

Especialistas e curiosos em fenómenos extraterrestres queixam-se que a Internet está cada vez mais cheia de ruído. 

Há muitas imagens irreais: montagens feitas com telemóveis, onde se acrescenta um óvni, um cometa ou outro elemento.

Os enigmas do Universo e a possibilidade de haver vida inteligente noutros planetas são temas que despertam a curiosidade de muitas pessoas.
Com a Internet, cresceram então os falsos rumores relacionados com extraterrestres, alertam os especialistas.

Segundo o investigador e coordenador do movimento Exopolítica Portugal, Fernando Mourão Corrêa, que se dedica ao estudo da vida extraterrestre, vive-se hoje uma situação "um bocado complicada" neste setor.

"De alguma forma, a Internet aproximou as pessoas e democratizou o acesso à informação, mas, por outro lado, também se tornou um grande veículo de ruído, ou seja, qualquer pessoa acha que uma luzinha no céu é um óvni".

A proliferação de imagens completamente irreais tem vindo a ser exponencial, o que dificulta a distinção entre o que possa ser real e o que não é real de certeza.

Há pessoas que não sabem o que veem no céu e depois, hoje em dia, os telemóveis têm aplicações que permitem tirar fotografias e adicionar uma imagem de um óvni, de um cometa, etc. Tudo isto veio criar muito ruído".

Ainda "há muitas interrogações"
Não existem dados que comprovem ou contabilizem o número de óvnis que passam em Portugal. Segundo o investigador, "há muitas interrogações" e a hipótese de serem extraterrestres "tem de ser a última a ser considerada após validar todas as restantes".

"No momento, não há uma base de dados real, fidedigna, com um número de relatos mensais de óvnis que passam em Portugal.
Por isso não acredito e não há ninguém que faça essa recolha de forma sistemática, porque hoje cada estrela é quase um óvni, o que traz ruído e não permite que se faça uma estatística”.

O excesso de imagens falsas tem confundido e até mesmo atrasado as investigações, que não chegam a ser concretas.

No entanto, a Exopolítica Portugal continua a ajudar pessoas que acreditam ter visto algo estranho, que relatam o sucedido e até outras que temem o ridículo.

Há muito temor pelo ridículo, porque as pessoas são muitas vezes rotuladas de doidas, bêbedas, etc. Não é fácil, há pessoas que de certeza querem protagonismo e dizem que viram, assistiram, mas há outras que têm medo do ridículo.
Neste casos, com certeza há uma investigação, tenta-se preservar a identidade das pessoas, acompanha-se ao máximo, de forma discreta e com os melhores profissionais".

Realizada no dia 18 de Novembro... 

Conferência "Extraterrestres"
Para falar destes e outros assuntos, a Exopolítica Portugal realizou uma conferência “Extraterrestres”, analisando a série que já conta com 18 episódios e é transmitida em simultâneo em Portugal e em Espanha.

A iniciativa contará com quatro oradores, nomeadamente, Joaquim Fernandes, cofundador do Centro Transdisciplinar de Estudos da Consciência, Josep Guijarro, produtor da série “Extraterrestres?”, Pedro Barbosa, investigador, e Francisco Mourão.

Informação avançada pela TVI 24.

Ufo Portugal

No âmbito de uma investigação ou mesmo passagem de informação de uma observação anómala, muitas pessoas continuam a ser rotuladas!
Rotulo esse que por vezes e de alguma forma acaba por ser repassada por pseudo-investigadores ou curiosos com uma má informação!
Exemplo disso a prestação de um elemento do Ufo Portugal, que no passado esteve presente num desses eventos e se fez prestar em anonimato com um vídeo, onde um dos referidos membros desse grupo já extinto, afirmava que no vídeo em questão se tratava de um helicóptero, quando a verdade era inversa!
Na atualidade podemos observar jornalistas a fazer o trabalho de um investigador de Ovnis e o seu resultado nem sempre é o mais positivo!

É sabido que a internet além de um excelente meio de comunicação, se transformou de alguma forma viral com falsas imagens, depoimentos, vídeos baratos ou mesmo com efeitos surreais.
Aplicações para sistemas Android e photo shop.

Hoje em dia podemos constatar que a Ovnilogia se transformou numa espécie de negócio de imagem "Markting", para algumas pessoas, que fogem desta forma à realidade do fenómeno, fazendo crer que somente a sua palavra é a real dos acontecimentos.

Porem não deixa de ser importante a criação destes eventos, "conferencias", pelo país a fim de informar o público sobre a existência do fenómeno.

Num convite televisivo, era proposto falar "opinar", sobre vários casos, mesmo sem o conhecimento dos mesmos!
O investigador em questão tinha a internet como base, para pesquisar e no referido programa opinar a sua opinião, isto sem ter minimamente conhecimento do caso em concreto ou da sua existência!
Será caso para dizer, que a proposta terá sido negada embora a sua verba fosse aliciante.

Nos programas de TV, continua-se com o mesmo paradigma de sempre!
Os temas em questão continuam a ser os mesmo de sempre de anos anteriores e já bem difundidos nas redes sociais!

Até quando vamos ter novos casos, novos acontecimentos?

Francisco Mourão, presidente do Exopolitíca Portugal, refere e bem esse exemplo de erros e más interpretações que cada vez estão mais vinculados ao avanço de tecnologias militares e civis que de alguma forma acabam por ser mal interpretados.
Exemplo dos balões led's, que vieram para ficar.


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Terra a 'tasca' intergalatica dos extraterrestres

Ingo Swann tem a convicção de que os extraterrestres visitam a Terra para levar os alimentos que necessitam, venham eles de onde vierem.

A razão pela qual os extraterrestres visitam o nosso planeta não se prende com sondas mas sim para nos 'roubar' alimentos.
É pelo menos nisto que acredita um antigo membro da CIA, Ingo Swann.

Conta o Metro info, britânico que Ingo Swann passou por uma experiência que lhe permite afirmar que 'eles' visitam a Terra em paz, apenas para satisfazerem a fome, mas essencialmente a sede.
Ingo Swan diz ter visto um OVNI a sugar, ‘aspirar’ água de um lago.

E foi isso que o fez acreditar que os extraterrestres nos visitam apenas por bem.

"Por amor de Deus! Estava com sede! Querem beber água, obviamente.
Qualquer pessoa, em qualquer lugar, precisa de água ... então, suponho que venham cá buscá-la.
Não é preciso ser medium para ver isso", afirmou o antigo membro da CIA, citado pelo especialista em OVNIs, Richard Dolan.

Ingo não tem dúvidas de que nos visitam "como quem vai a um supermercado". 

Embora não saiba ao certo quais são os alimentos de eleição, a água - o nosso bem mais precioso e elemento pelo qual somos o Planeta Azul - parece estar no topo da lista.


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Novos documentos oficiais sobre Ovnis - S I O A N I

Integrantes da BURN recebem pacote contendo documentos oficiais e originais sobre pesquisas de OVNIs conduzidas pela CIOANI (FAB - Força Aérea Brasileira), gerados na década de 60 por integrantes que residiam na cidade de Ibiúna - SP.
Edison Boaventura Júnior, Josef Prado e Osmar de Freitas (do GEONI) tiveram acesso ao material pela primeira vez durante pesquisa de campo realizada no dia 22/10/2016, na cidade de Ibiúna - SP.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Observação anómala em Urqueira, Ourém 1998

Correio dos leitores...
Avistamento.

Venho relatar um avistamento que se passou em 1998.

Antes de mais gostava de esclarecer que sempre estive ligado à astronomia amadora bem como à aviação e aeroclubes desde muito novo, pelo que sei identificar a maior parte dos objetos bem como aviões, aeromodelos, Satélites, iridium falres etc...

Na altura eu tinha 12 anos, e o meu irmão tinha 8, dormíamos em beliches, e quando fui fechar a janela para dormir, vi a pairar sobre a aldeia de "Urqueira" um objeto estranho, como nunca tinha visto nem voltei a ver estes anos depois em qualquer relato.
Tinha certa de 10 metros de diâmetro, e estava mesmo baixo, consigo descrever pois a cerca de 2km existe no horizonte uma colina alta, pelo que deu para perceber que este estava baixo e perto.

Esteve estacionário durante um longo período, o suficiente para chamar o meu irmão, ele olhar, exclamarmos e falarmos sobre o que seria, de repente o objeto começou a diminuir o tamanho, como se se estivesse a afastar.

Croqui da testemunha
Saímos do quarto para chamar o meu pai, mas quando fomos à rua ver, este já tinha desaparecido.

Gostaria de saber se existem relatos de algum avistamento de um objeto como este.

Vando Valente

Ufo Portugal

Se observou algo de extraordinário ou semelhante ao descrito pela testemunha, queira nos relatar através do nosso e-mail: ufo_portugal@sapo.pt

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

História de luzes, Espanha 1979

Notícias em 'La Voz de Albacete ", teve também avistamento ovni na cidade. - Foto: ARQUIVO

Há 37 anos, atrás Valencia foi agitada pelos aviões Mirage F-1 da Base Aérea de Los Llanos, ativado num dos principais "arquivos ufológicos" Espanhóis sobre a presença de objetos misteriosossobre Valencia

A história de avistamentos de objetos voadores não identificados no céu espanhol ainda deixam um pequeno papel em Albacete, em particular para as aeronaves Mirage F 1- da Base do Los Llanos, em Novembro de 1979, que saíram para intercepção da presenças de ovnis sobre Valência e Motril.
Este é uma das principais registos OVNI divulgado pelo ministério da Defensa publicados agora.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Piloto evita catástrofe no Canadá com Objecto Voador Não Identificado


O piloto da companhia aérea do Canadá "turboélice Porter Airlines" acaba de evitar uma catástrofe com um objeto voador não identificado, que foi relatado pela estação de televisão "CTV".

O incidente, ocorreu a 14 de Novembro a 2.700 metros de altitude e 55 quilómetros de Toronto.
O piloto viu um objeto voador não identificado, informou o canal de televisão.
O piloto ao se aperceber que estava em rota de colisão com um objeto não identificado, terá realizado uma manobra evasiva a fim de evitar a catásrofe; disse um porta-voz da companhia aérea. 
Dois comissários de bordo sofreram ferimentos leves. 
À primeira vista, o objeto voador parecia um balão, refere o piloto. 
Mais tarde, surge a possibilidade de ser um UAV. A Transportation Security Administration canadense. 
De acordo com a estação de TV um destes aparelhos militares pode atingir altitudes até 3.000 metros - equipamentos amadores não podem ou conseguem fazer esta proeza. 
O Ministério dos Transportes do Canadá também afirmaram que aviões não tripulados não excedam uma altura superior a 90 metros a nove quilómetros na frente de um aeroporto ou heliporto. 
Só este ano, a Autoridade investigou cerca de 50 incidentes.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

ILHA TERCEIRA, AÇORES 31-JANEIRO-1968


A 31 de Janeiro de 1968, Serafim Vieira Sebastião, de 36 anos, natural da Ribeira Grande, Açores, encontrava-se de guarda às instalações militares "Azores Air Station" , que servia de paiol de munições, no lugar do Cabrito, Cinco Picos, ilha da Terceira, Açores, a ouvir o relato de futebol entre o Setúbal e o Sporting, quando, de repente, "o transistor deixou de se ouvir".

Conforme declarou a testemunha, "não se ouvia nada, nem música, nem relato de futebol" tendo de desligar o aparelho isto cerca das 9 horas locais. Repentinemente sentiu um "zumbido". Saíu para fora do paiol vendo um "veículo", do lado esquerdo do posto onde se encontrava; "era um objecto estranho a aproximar-se do paiol" adiantou. Regressou ao paiol e chamou a atenção, por telefone,aos seus superiores comunicando que o estranho objecto estava a proximar-se daquele local. Saíu do paiol para confirmar a observação.

E acrescentou: "uma grandecíssima claridade entrou pela janela dentro; claridade essa que era muito forte, de uma luz clara e pedi que viessem quanto antes para cima e tornei a desligar o telefone. Saí novamente e vi aquela grandecíssima claridade. Quando olhei para o lado esquerdo, é que vi que aquele projector estava parado sobre o posto de munições à face do paiol. Entrei novamente e fui buscar um "foco" (lanterna). Quando cheguei ao exterior, vi que aquela claridade incidia directamente sobre os paiois. Aquela luminusidade saía de um veículo oval, de aspecto metálico, que culminava numa torre de vidro, com peduena balustrada a que se encostavam dois seres.Este objecto devia de ter aí uns 6 metros de comprimento e 3 de altura e não era nem avião, balão ou helicóptero No meio daquela luminisodade vi
quatro homens
: dois dentro e dois fora.
Os que estavam dentro mexiam-se bem, como que estando à secretária a tratar de qualquer coisa. Os que estavam do lado de fora, encontravam-se ao pé de uma espécie de corrimão. Se quizessem, podiam passar por cima do corrimão e saltar para o paiol. Não vi ouvidos; não vi as caras. Quando me aproximei mais, à face do paiol, senti
um zumbido exactamente como se fosse um enxame de abelhas ;
projectei o foco (lanterna) mas não vi nada, nem letras nem nada naquilo. Apenas vi que os homens tinham uma viseira com um pouco de vidro e que a côr do facto era uma côr de chumbo Assim que acendi o foco para eles aquilo moveu-se muito rapidamente, tendo emitido na minha direcção
uma projecção de luz nuito forte
, que tive de tapar a cara. Logo a seguir senti uma coisa estranha, como que uma poeira. Caí e não me recordo de mais nada".


Serafim Vieira, deu entrada no hospital regional cerca da uma hora da madrugada, tendo sido socorrido pelos Drs. Ferreira Gomes e Hélio Flores. Encontrava-se em estado de choque de origem psicossomática; não falava, e ouvia muito mal. Às três da madrugada começou a balbuciar algumas palavras; às dez da manhã foi-lhe dada alta no Hospital Regional de Angra seguindo para o aeroporto das Lajes, escoltado pela Polícia a fim de ser submetido a um inquérito oficial. feito pelas entidades aeronauticas de Portugal e Estados Unidos.


Porém, a justificação oficial "cabal e satisfatória" não tardou. Segundo as entidades competentes Serafim Vieira teria testemunhado um
"
balão-sonda (?),
que ao encontrar um campo electrico de alta tensão o balão teria provocado determinado fenómeno que teria assombrado o guarda "
(sic.). Mas o que as entidades "competentes" esqueceram-se de informar, foi que, naquele local,
não passavam cabos de alta tensão
, mas sim cabos telefónicos; que os serviços de rádio-sonda lançaram um balão às 22 horas e que a ascenção foi perfeitamente controlada, a fim de transmitir a temperatura, ventos e humidade em altitude, tendo-se desintegrado a 126.000 pés, 1 hora e 50 minutos após o lançamento,
nunca tendo perdido altitude
, ou desviado anormalmente a sua trajectória; que o balão tomou rumo de 50º correspondente ao vento predominante, e não 100º em direcção a Cabrito, local onde se encontrava Serafim Vieira; que o balão sonda utilizava uma lâmpada electrica de 1,5 volts, incapaz de encadear a testemunha.


© e Investigação de J. Garrido/CEAFI

CASO ROSMEAD, ÁFRICA DO SUL – POUSO DE OVNI


Um interessante caso de avistamento de OVNI com vestígios físicos da pouco conhecida casuística africana
Dados Gerais

Local
Rosmead, em Eastern Cape , na África do Sul

Data e Hora
20:15 hs de 12 de novembro de 1972

Nº de Testemunhas
várias

Tipo
passagem ou pouso de OVNI com vestígios físicos

Um dos mais interessantes casos registrados pela pouco conhecida ufologia africana ocorreu na cidade de Rosmead, em Eastern Cape , na África do Sul em 1972. Nesse ano diversos casos de contato imediato foram registrados na região. O caso Rosmead ocorreu no fim desta onda ufológica, em 12 de novembro de 1972.

Era por volta de 8:15 da noite ,quando quatro soldados de uma base militar de Eastern Cape observaram um conjunto de luzes rotativas de coloração avermelhada perto do quartel onde estavam servindo. O avistamento durou um curto intervalo de tempo, pois o objeto desapareceu antes que os militares pudessem tentar identificá-lo.


Mais ou menos nesse mesmo horário, o diretor da escola secundária de Rosmead, Harold Truter, dirigia-se para o trabalho. Nas proximidades da escola ele observou um estranho objeto luminoso, de tons esverdeados, deslocando-se pelo céu disparando um raio luminoso em direção ao chão. De onde se encontrava, ele pôde observar a escola, e oito árvores ao lado da quadra de tênis, exatamente onde o objeto se encontrava. Já próximo da escola ele observou que o OVNI deslocou-se, saindo das proximidades da escola e posicionando-se sobre o cume de uma colina próxima, perto de um estaleiro.

Ao chegar na escola, o diretor sentiu um cheiro de óleo queimado. Olhando por cima do muro percebeu que a quadra de tênis estava destruída. Alguma coisa havia descolado o piso e em várias partes ele havia sido aparentemente revirado. Alguns buracos tinham 12,5 cm de profundidade. Em um deles havia uma poça alcatrão derretido. Posteriormente, durante uma investigação mais detalhada, descobriu-se marcas simétricas semelhantes à marcas de aterrissagens encontradas em diversos casos de pousos em vários países. Mais tarde, pedaços da quadra foram encontrados a 183 metros de distância, em um bosque de eucalipto. Algumas destas árvores apresentavam-se queimadas, secando nas semanas seguintes e morrendo dois meses depois do episódio.

A polícia da cidade recebeu, naquela noite, numerosas chamadas de pessoas que estavam avistando o estranho objeto. Alguns policiais que passavam pela região, a fim de atender estas chamadas, foram testemunhas do aparecimento do OVNI.


Vestígios físicos da passagem do OVNI, em Rosmead, África do Sul

Fonte

10 estranhos encontros

Não há quem fique indiferente quando o assunto são os OVNIs. Desde o forte crente até o cético mais arrogante, todo mundo tem uma opinião sobre aqueles pontinhos brilhantes que aparecem (ou não) de vez em quando nos céus do nosso planeta. Alguns acreditam que os OVNIs são viajantes de outros planetas ou dimensões. Para outros, trata-se de aeronaves militares experimentais.
Inúmeras pessoas de todos os cantos do globo já alegaram terem visto naves espaciais – e muitas das histórias coincidem com relatos de outras pessoas de lugares muito distantes. O padrão se segue desde os tempos anteriores à “popularização” dos ETs através do cinema, televisão e literatura.
Lenta, mas seguramente os cientistas estão começando a concordar que é matematicamente impossível que não exista vida inteligente não existe como no nosso planeta na vastidão infinita do universo, e nos trilhões de planetas que ele contém. Wernher Von Braun, o pioneiro do programa espacial americano Apollo, uma vez sintetizou toda a discussão sobre o assunto: “Nós temos duas altarnativas: ou estamos sozinhos no universo ou não estamos sozinhos no universo. E, de qualquer modo, as implicações são enormes”.


Possivelmete, no futuro, olharemos para o passado dando risada da dúvida que há sobre vida extraterreste – da mesma forma como fazemos agora quando lembramos que as pessoas costumavam pensar que a Terra era plana e que não orbita o Sol. Mas talvez esse dia nunca chegue. Enquanto ainda especulamos sobre ETs, OVNIs e suas implicações, eis os 10 casos mais bizarros de encontros de ETs e suas naves espaciais já registrados:


10 – A aparição do gramado de boliche



Durante a noite de 12 de fevereiro de 2010, Roy Shaw, um cético para assuntos paranormais, estava passeando com seu cachorro em Devon, Inglaterra. Andando pelas tranquilas ruas de seu bairro, ele começou a se aproximar do clube de Boliche na Grama local, quando foi surpreendido por um objeto estranho pairando alto no céu.
Nebuloso e distante, num primeiro momento, começou a descer lentamente e se mover mais perto na direção de Shaw. De formato circular, a nave ficou suspensa acima do clube de boliche e Shaw entrou no terreno para obter uma melhor visão do objeto. Ele assistiu com espanto o ziguezaguear e a aterrissagem do outro lado do gramado.
Ele se surpreendeu ao encontrar a nave espacial de 30 metros de comprimento, com luzes azuis e vermelhas piscando em volta. Neste momento, um vulto branco saiu da espaçonave e flutuou em direção a ele, atravessando o gramado. “Tinha cerca de 1,20m, parecia ser translúcido e se mexeu muito lentamente em nossa direção. Fiquei paralisado porque ele fazia um ruído estranho que soava como “meu, meu” repetido várias vezes”, relatou mais tarde a jornais.
Seu cão, Sydney, normalmente é muito calmo, começou a rosnar e mostrar os dentes para o ser desconhecido. Neste ponto, Shaw saiu correndo para salvar sua vida, com tanta pressa que torceu o tornozelo. Outra pessoa que passeva com o cachorro nas redondezas afirmou ter visto a nave decolar novamente em direção ao céu em um ângulo de 45 graus. Mesmo após o encontro bizarro, Roy Shaw ainda se diz cético quanto a assuntos paranormais. Na foto, o esboço do OVNI que ele viu.


9 – ET com sotaque


Angustiada, uma mulher telefonou para a Força Aérea de Wattisham, em Suffolk, Inglaterra, no dia 21 de novembro de 1989, para relatar o encontro que teve na noite anterior com um homem estranho perto de casa. Por volta das 22h30, a mulher estava andando com seu cachorro (parece ser um padrão) perto de um campo de esportes quando foi abordada por um homem com um “sotaque que parecia ser escandinavo”. Ele vestia um macacão marrom-claro que parecia ser um traje de vôo.
No relatório sobre o caso publicado recentemente pelo Arquivo Nacional, lê-se: “O homem perguntou se a moça estava ciente de histórias sobre grandes áreas circulares achatadas que surgiram em campos de trigo. Em seguida, explicou que ele era de outro planeta semelhante à Terra, e que os círculos foram causadas por outros como ele, que tinham viajado para o nosso planeta”. O homem prosseguiu dizendo que suas visitas eram amigáveis, mas foi ordenado a não fazer contato no caso de serem vistos como uma ameaça. Ele disse que desobedeceu as ordens porque sentiu que seria importante estabelecer contato entre os povos.
Eles conversaram por dez minutos até que, de repente, o homem misterioso correu na direção de onde veio. A mulher, percebendo a gravidade da sua situação e com medo do que acabara de acontecer, também correu, só que para casa, em estado em pânico. Enquanto isso, ela ouviu um barulho ensurdecedor, como um zumbido crescente, atrás dela. Ela se virou e então viu um grande objeto esférico, brilhante e de cor branca e laranja em ascensão até, eventualmente, até desaparecer na atmosfera. O Ministério da Defesa dos Estados Unidos, em nota anexada ao arquivo, descreveu o caso como “um dos nossos relatórios mais incomuns sobre ETs”. O operador que recebeu a chamada da  mulher em 1989 descreveu-a como verdadeira.


8 – O caso de Wyoming



Em 1974, Carl Higdon estava caçando na Floresta Nacional de Medicine Bow, Wyoming, Estados Unidos. Enquanto atirava em um dos alces, algo estranho aconteceu: sua bala parecia se mover em câmera lenta. Quando ele tentou verificar o que acontecia com a bala, um repentina sensação estranha apoderou-se dele. Virando, ele viu um humanoide com mais de seis metros de altura – que ele descreveu como tendo um macacão preto, um cinto largo decorado com uma estrela de seis pontas e um emblema amarelo.
Tinha cabelos lisos que cresciam para cima e não possuía sobrancelhas. Ainda tinha pernas e braços longos que terminam com apêndices no formato de varas no lugar das mãos. O ser lhe perguntou se Higdon estava com fome e lhe deu quatro pílulas, dizendo-lhe que se ele comesse uma delas, não ficaria mais com fome durante quatro dias. O humanoide, em seguida, apontou para Higdon e, num instante, ele se viu envolto por um dispositivo transparente e usando um capacete.
Outros dois humanoides apareceram carregando os cinco alces que Higdon havia caçado antes, que agora estavam duros, em um estado artificialmente congelado. Foi-lhe dito que ele viajaria até o planeta natal deles, a 163 mil anos-luz de distância. Chegaram lá em um instante. No planeta, Higdon relata ter encontrado muitos edifícios que se assemelhava à Torre de Seattle. O sol do planeta era de um calor intenso.
Sua próxima lembrança era de estar de volta ao parque, duas horas e meia após o episódio da bala em câmera lenta. Ele estava em um estado perturbado, incapaz de encontrar seu caminhão. Acabou por fim achando-o a quase cinco quilômetros de distância. De lá, entrou em contato com o delegado do condado, que o encontrou à meia-noite exausto e desesperado, gritando “eles levaram meus alces!”.
Higdon foi levado para o hospital local e examinado. Os níveis de todas as vitaminas estavam milagrosamente altos. As marcas de tuberculose que ele tinha nos pulmões haviam desaparecido. A esposa de Higdons e outras duas pessoas da região viram luzes verdes e vermelhas brilhando no céu na noite do rapto.


7 – O caso no Oeste da França



George Gattay era um homem muito respeitado na cidade de Nouâtre, no oeste da França. Um veterano da Segunda Guerra Mundial, lutou na Resistência Francesa, em Luxemburgo, contra os nazistas. No dia 30 de setembro de 1954, ele era o responsável por uma equipe de oito homens que trabalhavam em um canteiro de obras. Enquanto trabalhava, sentiu uma “moleza peculiar”. Ele se sentiu obrigado a andar, embora não soubesse para onde muito menos por que andava, como se alguma força desconhecida o guiasse.
Quando parou, ele pôde ver um ser desconhecido a pouco menos de dez metros de distância em uma colina. Ele o descreveu como tendo um capacete de vidro opaco, macacão cinza e botas curtas. Gattay também notou arma em forma de vara na mão e um dispositivo eletrônico no formato de quadrados no peito. A criatura estava parada em frente a um objeto em forma de cúpula que pairava a menos de um metro acima do solo. No total desconhecimento do que ele estava observando, Gattay permaneceu em silêncio, paralisado.
Enquanto ele permanecia em choque, algo ainda mais estranho aconteceu. Ele contou: “De repente, o estranho homem simplesmente desapareceu. Eu não poderia explicar como ele fez isso, já que ele não foi embora andando, mas desapareceu como uma imagem que é apagada. Então, eu ouvi um som de assobio forte que se sobrepôs ao ruído das nossas escavadeiras. Logo, o objeto que estava flutuando no ar levantou voo no sentido vertical e, em seguida, ele também desapareceu em uma espécie de névoa azul, como que por um milagre”.
Gattay depois correu de volta ao canteiro de obras para relatar o que viu. Dois de seus trabalhadores afirmaram ter visto um disco voador e “um homem vestido como um mergulhador em frente à nave”. Todos os sete colegas de trabalho de Gattay reclamaram de um sentimento inexplicável de sonolência durante o evento e o próprio George Gattay sofreu dores de cabeça, perda de apetite e insônia durante a semana seguinte inteira.


6 – A mulher de Winchester



Adrian Hicks, o conselheiro local de Winchester, em Hampshire, Reino Unido, foi ao centro da cidade numa tarde movimentada de sábado durante os primeiros meses de 2004. Depois de almoçar e comprar alguns livros de uma livraria, ele percebeu algo estranho em uma mulher andando pela rua principal da vila rural. Suas roupas eram um tanto incomuns e tudo sobre ela fazia sentido para Hicks. O jeito como ela me movia e seu comportamento geral passava uma estranha impressão e a destacava na multidão.
Ele a seguiu com os olhos por alguns instantes e chegou à conclusão incrível que ele não estava olhando para um ser humano – mas um extraterrestre. “Foi incrível, eu não costumo ficar sem palavras, mas naquele momento eu fiquei”, relata. Ele a observou por cerca de nove minutos, caminhando à sua frente duas vezes e notou uma espécie de saia franzida de bailarina ao redor da cintura e uma mecha de cabelo loiro brilhante. “Ela era uma humanoide marchando como um pinguim. Ela tinha olhos ovais muito grandes e ficava girando as mãos em um movimento circular. Parecia amigável e totalmente à vontade com as pessoas ao redor. Ela não estava com medo, estava sorrindo e parecia se divertir entre nós”.
Hicks parou a cerca de dois metros dela e tentou questioná-la sobre sua respiração estranha. Porém, sem sucesso. “Ela caminhou lentamente até outra rua. Lembro que ela estava muito interessada no relógio que existe no prédio de um banco lá”.
Ele afirmou que várias pessoas também perceberam a presença da mulher peculiar, mas sem prestar qualquer atenção extra. Hicks viu algumas pessoas tirando fotos dela, apesar de nenhuma imagem jamais ter aparecido da moça. Hicks acredita que o encontro tem ligação com uma presença muito maior de extraterrestres em Winchester, devido às operações secretas dos EUA e da Grã-Bretanha em uma base militar próxima.
Técnico ortopédico com mais de 35 anos de experiência, Hicks manteve o seu segredo guardado por cinco anos a fim de garantir seu lugar no governo local. Só revelou sua história depois de garantir a eleição como democrata liberal no Conselheiro. Ele gastou £400 (R$1.080) de seu próprio dinheiro para que um artista local fizesse um esboço da ET, que pode ser visto acima. Ele agora faz lobby para que o governo admita a público suas relações com OVNIs.


5 – O caso de Silbury Hill

Em julho de 2009, um sargento de folga do serviço estava dirigindo em uma auto-estrada durante as primeiras horas da manhã. Por volta das 5h, enquanto passava por Silbury Hill (no Centro-Sul da Inglaterra), uma área muito conhecida por seu histórico de observações de OVNIs e atributos místicos, ele percebeu três homens excepcionalmente altos de pé em um campo de colheita, analisando um círculo feito havia pouco tempo. Ele percebeu que os homens possuíam cabelo loiro brilhante e estavam vestidos com macacões brancos, o que os deixavam parecidos com detetives forenses.
Intrigado com tal espetáculo bizarro, o sargento estacionou seu carro e se aproximou dos homens. De uma distância de aproximadamente 360 metros, ele gritou para eles, mas suas tentativas foram infrutíferas. Ao entrar no campo, no entanto, os três homens tomaram conhecimento de sua presença e, simultaneamente, se viraram e começaram a se afastar a uma velocidade milagrosa. O sargento os seguiu por alguns segundos, mas percebeu que ele não era páreo para o ritmo dele e os assistiu, com assombro, enquanto corriam com passadas sobre-humanas. Poucos segundos depois, os homens já haviam desaparecido completamente.
Caminhando de volta para seu carro, ele sentiu algo semelhante a uma eletricidade estática ecoando por todo o campo. As plantações começaram a fazer movimentos ondulados e a balancar ao redor dele, e o sargento desenvolveu uma dor de cabeça enorme. “Eu então fiquei com muito medo. O barulho ainda era intenso, mas eu consegui chegar até o carro e ir embora dali. Durante o resto do dia, sofri de uma dor de cabeça que não passava”, disse Andrew Russell, investigador de OVNI através do qual ele escolheu para se comunicar a fim de manter o anonimato.
Naquele mesmo dia à noite, moradores da área relataram ter visto um helicóptero sem identificação de companhia ou empresa pairando durante três horas sobre o campo onde aconteceu o encontro. A região continua a atrair ufólogos e casos de misteriosos círculos em plantações são relatados com uma frequência crescente. O sargento continua anônimo.


4 – O encontro no Zimbábue


No dia 14 de setembro de 1985, houve relatos de OVNIs nos céus do Zimbábue, país localizado no sul da África.  Dois dias mais tarde, na Escola Fundamental Ariel, em Ruwa, a 20km da capital, Harare, 62 crianças entre 5 e 12 anos relataram terem visto uma bola brilhante no céu durante o recreio da manhã.
Eles a observaram pairar no ar, aparecendo e desaparecendo por um tempo curto antes do objeto descer até o chão – em uma área cheia de arbustos, a apenas 30 metros das dependências da escola. Um “homenzinho”, de cerca de 90cm de alturasaiu da nave e começou a caminhar em direção às crianças. Ele tinha cabelos compridos e negros, olhos grandes e um pescoço magro. No momento da queda da aeronave, os professores e funcionários da escolas se encontravam dentro do prédio, em reunião, o que deixou as crianças sem supervisão.
Enquanto se movia em direção aos alunos, ele de repente desapareceu e reaparecendo em cima da nave, de onde silenciosamente encarou as crianças por alguns momentos, antes de voltar para dentro do objeto e decolar a uma velocidade incrível. Muitos alunos ficaram apavorados devido às histórias do folclore africano, que falam de demônios e vampiros que sequestram crianças para devorá-las. O único adulto presente era um pai, dono de uma loja perto do portão da escola, para onde as crianças correram a fim de lhe contar sobre o episódio extraordinário.
O diretor da escola, Colin Mackie, contatou Cynthia Hind, na época a investigadora de ETs mais famosa da África. Ela entrevistou os alunos e pediu-lhes para recriar desenhos do que viram. Cerca de 35 esboços foram produzidos, todos muito semelhantes entre si. Após as entrevistas, Hind ficou convencida da autenticidade das histórias. Uma criança lhe disse: “Juro por todos os cabelos da minha cabeça e por toda a Bíblia que o que eu estou dizendo é a verdade.” O consenso foi alcançado entre os pais, funcionários da escola e Hind de que os alunos estavam de fato falando a verdade; tal mentira seria demasiadamente complexa para crianças de tão pouca idade.
Em um episódio ainda mais bizarro, a criança mais velha relatou a Hind que o pequeno homem advertiu as crianças de que a beleza e os recursos naturais do planeta estavam sendo devastados e poluídos num caminho sem volto. “Esses pensamentos vieram do homem, dos olhos do homem”, disse a criança de 12 anos, assustada. O desenho de um dos alunos pode ser visto acima.


3 – O caso de Livingstone


O engenheiro florestal Robert Taylor empregado pela Corporação de Desenvolvimento Livingston saiu de casa às 10h30 do dia 5 de novembro de 1979, para monitorar algumas mudas que ele havia plantado em um morro fora da cidade. Acompanhado de seu cão, ele estacionou sua caminhonete no início de uma trilha na mata e precedeu o resto do caminho a pé. Chegando a uma clareira na floresta, Taylor foi saudado por um espetáculo incrível.
Suspenso no ar, havia um objeto esférico silencioso e imóvel, que media cerca de seis metros de largura por três de altura. Era todo preto, com um anel e uma fileira de pequenas janelas circulares ao redor. Partes do objeto eram transparentes ou quase, o que deu a Taylor a impressão de que o objeto estava a tentando se tornar invisível por inteiro. Enquanto ele começou a andar em direção ao objeto, duas esferas menores foram ejetadas da nave principal e rolaram para cima dele. Cada uma grudou em uma das pernas da calça de Taylor e ambas emitiram um cheiro sufocante, que o fez perder a consciência.
Quando acordou, estava de bruços na grama, sem ETs por perto e com seu cachorro latindo e correndo loucamente. Ao tentar chamar o cão, percebeu que tinha perdido a voz, e, ao tentar mexer os pés, concluiu, horrorizado, que não conseguia ficar de pé nem menos andar. Arrastando-se no chão, conseguiu chegar até o seu caminhão, onde recuperou as funções das pernas e da voz.
Ao chegar em casa, sua esposa pensou que ele tivesse sido assaltado devido ao seu estado físico e emocional: rosto esfolado, calça rasgada e roupas sujas de lama. Ela chamou a polícia e um inquérito revelou alguns fatos interessantes.
A área em que Taylor encontrou os ETs estava cheia de marcas peculiares, que não se encaixavam com nenhum equipamento florestal ou veículos oficiais que pudessem ter passado pelo local. Os rasgos em sua calça foram examinados por uma equipe forense e chegou-se à conclusão de que foram feitos por uma “força desconhecida”. O que quer que tenha rasgado as calças de Taylor tinha a intenção de erguê-lo para o alto através dos furos.
Taylor nunca ganhou dinheiro ou lucrou contando sua história, que se manteve a mesma desde quando veio à tona nos anos 70 até a morte de Taylor, aos 89 anos, em 2007. O caso permanece sem solução até hoje, e é o único caso de OVNI no Reino Unido que resultou em uma investigação criminal. Acima, uma impressão artística do que Taylor encontrou.


2 – Marconi Systems


Marconi Systems foi uma empresa de engenharia da defesa e aeronáutica, contratada pelo governo britânico para projetar e fabricar sistemas de armas e embarcações militares visionários e revolucionários.
Durante a década de 1980, relatos de uma quantidade incomum de “suicídios” entre os trabalhadores da Marconi que trabalharam em projetos secretos atraíram a atenção da mídia no Reino Unido. 25 especialistas em engenharia, cientistas e especialistas em comunicação digital sucumbiram ao “suicídio” ou a “acidentes” durante um período de seis anos, entre 1982 e 1988. A grande maioria morreu pouco antes de seus contratos com a Marconi expirarem ou quando estavam na iminência de se transferir para outra empresa de sistemas de defesa.
Entre os “suicidas”, estava Shani Warren, 26 anos, antigo assistente pessoal em uma subdivisão de bioquímicos de Marconi, que foi encontrado no fundo de um lago, com as pernas dobradas, a boca amordaçada, uma corda em torno do pescoço e as mãos amarradas atrás das costas.
Richard Pugh, de 37 anos, especialista em comunicação digital, foi encontrado com os pés amarrados, um saco plástico na cabeça e uma corda enrolada no pescoço e no corpo quatro vezes.
Alistair Beckham, 55 anos, engenheiro de software havia anos, que supostamente se suicidou, entrando no seu jardim, conectando seu corpo em uma série de fios elétricos e eletrocutando-se até a morte.
Vimal Dajhibai, um engenheiro de software de 24 anos de idade, morreu quando estava em sua última semana de trabalho para Marconi. Sua morte foi considerada suicídio pulando de uma ponte em Bristol, Inglaterra. Amigos discordaram ao lembrar da felicidade de Dajhibai em achar um novo emprego e não viam nenhuma razão para ele acabar com a vida.
Muitos pesquisadores descobriram rumores de que as mortes estavam relacionadas à tecnologia de radar revolucionária infravermelha que estava sendo desenvolvido pela empresa. Olhando para estas mortes, é claro que a segurança era algo que Marconi levou muito a sério, e que eles estavam dispostos a ir às medidas impensáveis ​​para manter as suas capacidades e invenções em segredo. Uma importante e estratégico complexo Marconi estava situado na pequena cidade inglesa de Frimley, composto por uma zona de teste, uma fábrica e a sede da empresa.
Dado o que já sabemos sobre eles, podemos imaginar o que aconteceria se um intruso penetrasse nas instalações da companhia. E isso foi exatamente o que aconteceu em 1976, embora aquele não tenha sido um intruso qualquer. Um guarda de segurança estava fazendo sua patrulha durante a noite e passou pela Casa Velha, uma estrutura que abrigava o escritório do diretor da empresa e um mundo de informações secretas sobre as capacidades radioativa, nuclear, energética, militar etc etc do Reino Unido.
Enquanto caminhava por um destes corredores, ele percebeu uma luz azul emitida por debaixo de uma das portas. O guarda ficou alerta e sacou a arma – a única pessoa autorizada a estar ali era ele mesmo. Ele entrou na sala e se deparou com uma cena chocante: no canto, debruçado sobre um arquivo aberto e vasculhando montanhas de documentos secretos, estava nada mais nada menos do que um extraterrestre.
Descrito como humanoide e usando algum tipo de farol que emitia o brilho azul, o ET rapidamente desapareceu em meio a uma névoa azul diante de seus olhos. Apavorado, o guarda correu para fora do prédio até o posto de segurança, onde informou os seus colegas do seu encontro e o complexo foi fechado. Na manhã seguinte, o guarda foi levado por dois psiquiatras militares. Ele nunca mais foi visto por qualquer pessoa no complexo.


1 – O ET de Varginha


Nos últimos anos, o caso de Varginha tem recebido tanta atenção e polêmica entre os entusiastas do ramo como o caso Roswell teve entre o público em geral. Muitas tentativas têm sido feitas para investigar exaustivamente o caso e fazer resultados conclusivos. “UFOs no Brasil”, o livro lançado em 2002 pelo ufólogo estadunidense Roger Leir, é o que mais se aproxima de um veredito final, com suas entrevistas com militares, cirurgiões do hospital e uma grande variedade de testemunhas civis.
O Comando de Defesa Aeroespacial Norte Americano seguiu um objeto não-identificado pairando sobre o hemisfério ocidental no dia 13 de janeiro de 1996. Ele entrou no espaço aéreo brasileiro e o Cindacta (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) foi contactado, que por sua vez alertou o comando do Exército brasileiro em Três Corações, Minas Gerais, dando instruções para que todos os militares brasileiros ficassem em alerta máximo.
Os boatos de visualização em massa de OVNIs começaram a varrer toda a região sul do Brasil nos dias que se seguiram. No dia 20 daquele mês, testemunhas de uma cidade rural de Minais informaram ter visto uma “nave em forma de submarino” cruzando os céus a uma altura de seis metros do chão e que parecia estar danificado ou com defeito. Movendo-se a um ritmo lento e emitindo um tipo fumaça, ele ia em direção a Varginha.
Ao amanhecer do dia 21, estranhas criaturas eram vistas vagando ao redor da cidade em um estado de incapacidade e terrivelmente confusas. Os moradores explodiram em frenesi e notificaram os encontros bizarros à polícia e aos bombeiros, dizendo que a cidade tinha sido invadida por monstros de contos folclóricos indígenas e até mesmo pelo próprio diabo. O exército foi contactado rapidamente e de acordo com várias testemunhas, duas das criaturas foram capturados sem resistência – uma foi posteriormente morta a tiros e outra, transferida para o Hospital Humanitas para receber tratamento para os ferimentos que sofreu durante o acidente.
O médico ortopedista Leir disse que foi instruído por policiais armados para começar uma paramentação cirúrgica e preparar-se para executar operar a fratura em uma “perna”. Leir entrevistou os outros cirurgiões e auxiliares que participaram da cirurgia, todos afirmaram que a sala de operações foi selada com exceção de uma entrada, que foi ocupada por policiais armados, sem conhecimento sobre o que estava exatamente acontecendo. O fluxo de oficiais militares e funcionários do hospital para o quarto era rigorosamente controlada, com apenas uma pequena equipe essencial de pessoal autorizada a entrar. A cirurgia corretiva foi realizada em uma fratura do fêmur da coxa, com membros do Exército Brasileiro e da  inteligência militar estar presente na cirurgia.
A criatura bípede foi descrita como tendo em torno de 1,50m, enormes olhos vermelhos, pescoço fino e pele morena escura – que parecia molhado, mas estava seca ao toque. Ele também possuía três protuberâncias ósseas em três seções em toda a sua cabeça e, a partir de sua anatomia, era impossível determinar seu sexo. Todas as tentativas de se comunicar verbalmente com a criatura foram infrutíferas.
A ferida cicatrizou completamente dentro de 24 horas. Após a operação, o cirurgião percebeu os olhos do ET fixados em cima dele. Ele então começou a sentir pressão na cabeça e receber pedaços de informação vindas do extraterrestre. O médico nunca revelou a extensão do que o ser lhe disse, mas, entre outras coisas, o ET comentou sentir pena dos seres humanos, porque não temos conhecimento das coisas incríveis que podemos realizar, coisa que é a raça dele já tem.
Embora algumas pessoas achem que a história não passa de um disparate sem fundamento, há ainda mais evidências do contrário. Ubirajara Rodrigues, advogado e ufólogo especialista no caso de Varginha, obteve uma cópia da certidão de óbito de Marco Cherez, um funcionário que morreu três semanas depois de ter supostamente tocado na criatura com suas próprias mãos. O atestado de óbito indica a causa da morte como sendo de uma “substância tóxica” e uma doença “do tipo Ebola”. O relatório completo de sua autópsia, porém, nunca foi revelado.Não há quem fique indiferente quando o assunto são os OVNIs. Desde o forte crente até o cético mais arrogante, todo mundo tem uma opinião sobre aqueles pontinhos brilhantes que aparecem (ou não) de vez em quando nos céus do nosso planeta. Alguns acreditam que os OVNIs são viajantes de outros planetas ou dimensões. Para outros, trata-se de aeronaves militares experimentais.
Inúmeras pessoas de todos os cantos do globo já alegaram terem visto naves espaciais – e muitas das histórias coincidem com relatos de outras pessoas de lugares muito distantes. O padrão se segue desde os tempos anteriores à “popularização” dos ETs através do cinema, televisão e literatura.
Lenta, mas seguramente os cientistas estão começando a concordar que é matematicamente impossível que não exista vida inteligente não existe como no nosso planeta na vastidão infinita do universo, e nos trilhões de planetas que ele contém. Wernher Von Braun, o pioneiro do programa espacial americano Apollo, uma vez sintetizou toda a discussão sobre o assunto: “Nós temos duas altarnativas: ou estamos sozinhos no universo ou não estamos sozinhos no universo. E, de qualquer modo, as implicações são enormes”.