terça-feira, 6 de janeiro de 2015

O TABU DO FENÓMENO OVNI EM PORTUGAL

GPPOOVNIS

Em Portugal, a investigação ao fenómeno OVNI é frequentemente dificultada pelas entidades oficiais, por melhor que sejam as boas intenções dos investigadores. Infelizmente desde o início dos anos oitenta a Força Aérea Portuguesa pouco apoio tem prestado às investigações relativas a este fenómeno.

Com efeito não raras vezes, as portas fecham-se aos investigadores e a correspondência enviada não obtém qualquer resposta ou, em última instância, é pura e simplesmente recusada.

Prova disso, a imagem  que se segue de um dos envelopes em cujo conteúdo uma carta solicitava  informações sobre o acesso a relatórios existentes na Força Aérea Portuguesa, de observações de fenómenos OVNI, feitos por pilotos portugueses:

Frente do envelope solicitando informações à F.A.P.


Verso do envelope solicitando informações à F.A.P.



Aparentemente parece também haver o dom de "adivinhar" o conteúdo dos envelopes fechados...


Assim, não é de admirar que os investigadores amadores desconfiem das intenções de  "ajudas de boa vontade" que algumas entidades oficiais prestam sobre o assunto !!!

É que todos nós investigadores  em Portugal e no mundo, face a situações deste género, ficamos com  a sensação do "déjà vu" (idênticas atitudes foram sempre tomadas   pelo MAJESTIC 12, 13, ...100, ou qualquer outro número).

http://gppovnis.tripod.com

Independentemente já terem passado 30 anos, a mentalidade das autoridades sobre o assunto em nada mudou!
O seu silêncio sobre o fenómeno, revela as seguintes questões...

1 - Existe uma entidade do Governo a lidar com o fenómeno OVNI!

2 - A FAP não tem qualquer tipo de capacidade de garantir segurança no seu espaço aéreo sobre estes fenómenos, tornando a FAP obsoleta!

O fenómeno OVNI em Portugal, continua a ser um "TABU", por parte das autoridades e Governo em questão!

Porem acredita-se que exista na FAP e Governo quem tenha vontade de dialogar sobre o assunto, mas simplesmente esteja proibido de o fazer por questões de Segurança e Política.

3 comentários:

  1. Este grupo ainda está activo? Julgo que não.
    Tentei alguns contactos com o grupo e até hoje não obtive respostas.
    Por outro lado quem são os investigadores que tiveram as portas fechadas por parte das entidades oficiais? Que eu saiba os investigadores e grupos de investigação creditados como tal sempre tiveram a colaboração da Força Aérea Portuguesa (FAP).
    Não podemos querer que a FAP atenda todos e quaisquer “investigadores” e “grupos de investigação” só porque dizem que o são. Todas as organizações procedem da mesma forma nas suas áreas de actuação por isso não vejo porque a FAP não faria o mesmo. Além de mais, as Forças Armadas não são bem uma organização de atendimento ao público. Há determinados procedimentos a realizar quando queremos um contacto. Um deles é o de dirigir os pedidos aos estados maiores dos ramos (Exercito, Força Aérea ou Armada).
    Refiro-me aos tempos actuais e não em 1980, altura em que a ovnilogia estava em ebulição.

    Depois, acusar não basta. Há que ser objectivos pelo risco de se cair no ridículo e desta forma darmos motivos à critica por parte de quem detracta a investigação OVNI. refiro-me aos pontos apontados no fim do artigo;

    1 - Se existe uma entidade, quem é ela? Que provas há, para além da não recepção de correspondência com remetente óbvio e bem expresso? Se se faz uma acusação, ela deve ser minimamente sustentada. Por exemplo, nos EUA temos essa indicação.
    A haver um organismo que recolhe e gere as informações respeitantes ao fenómeno OVNI em Portugal, ele é com certeza estrangeiro. No entanto estando Portugal inserido numa organização chamada, NATO é muito natural que as nossas Forças Armadas estejam simplesmente a respeitar uma determinação que mais não é a de passar a informação para algum organismo e de não dar importância a estes casos.

    2 - O comentário desta alínea mostra um total desconhecimento do que é a estrutura militar e um ataque deliberado e sem nexo a uma organização apenas pelo facto dela ser estatal.
    A FAP garante a segurança do espaço aéreo. A prova disso são os recentes acontecimentos com a intercepção dos aviões da Força Aérea Russa. Por isso logo aqui, se demonstra a gratuitidade do ataque que referi e a tentativa de denegrir a imagem de uma instituição apenas para sustentar um ponto de vista ERRADO e até desconhecedor dos factos.
    Temos depois o facto de que NENHUMA força aérea mundial tem capacidade para interceptar ou fazer valer a sua capacidade de resposta perante aparelhos voadores com as características como as dos OVNIs. Nenhuma FA o conseguiu até hoje. Será que isso faz de todas as forças aéreas, entidades obsoletas? De qualquer forma, obsoleta é algo velho, ultrapassado. Quanto muito podia ser ultrapassada. Mas nem isso é pois as FFAA estão equipadas com meios modernos e em nada ficam a dever aos outros exércitos como aliás, está demonstrado nas várias Forças Nacionais Destacadas e que recebem os mais rasgados elogios pela sua conduta, actuação e profissionalismo.
    Só mesmo a falta de dinheiro dificulta o fuir desse trabalho.

    Não devemos cair na lenga-lenga do costume de que a culpa é dos outros. Devemos ser racionais, conhecer do que estamos a falar, antes de falar e cultivar boas relações com aqueles com quem queremos uma parceria sob a pena de nos serem fechadas as portas por má vizinhança.
    É isto que falta nos tais “investigadores” e “grupos de investigação” (entre parenteses porque na realidade não são nada disso, apenas se auto-intitulam) e é por isso que talvez as portas lhes sejam fechadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que o GPPOVNIS está inactivo.
      Mas o PUFOI julgo ainda estar a funcionar.
      Existe uma outra entidade que funciona mas no meio do silêncio.
      Só não me recordo do nome.
      Conheci estes através de uma entrevista na TSF.

      Eliminar
  2. Fernando já tive o privilégio de ouvir uma comunicação gravada entre Pilotos e Torre a tentar interceptar um Objecto Voador Não Identificado em pleno Portugal em 2013!
    São estas comunicações e registos que pretendemos obter.
    Certamente existem muitos mais casos destes guardados pela FAP que nos estão a ser omitidos!

    Recordemos o OVNI que atravessou Portugal de Norte a Sul a 4 de Julho de 2004!!!
    Na TV Noticias foi comunicado por um Oficial da FAP que o caso teria sido entregue a uma equipe de investigação do fenómeno OVNI.

    Até ao momento que se saiba, ninguém recebeu nada da FAP.
    Somente ficamos com o que foi divulgado pela TV na época.

    Neste sentido o Exército tem colaborado sempre que solicitado qualquer tipo de informação.

    ResponderEliminar